Feeds:
Posts
Comentários

Archive for junho \29\UTC 2011

Depois de encarar a realidade da primeira derrota, o Palmeiras volta para uma casa portuguesa com certeza, lutando pelos 3 pontos. Com o retorno de Luan e a possível estréia de Maykon Leite, a expectativa em torno do jogo é grande e a dúvida fica por conta de Kléber.

Horário e local: quinta-feira (30/06), às 19:30, no Canindé (PPV)

Árbitro: será Nielson Nogueira Dias (PE). Histórico:

2011 – 2×0 Coritiba (c – CB)

2009 – 1×1 Grêmio (c)

Situação na tabela: o Palmeiras está em terceiro; o Atlético é o décimo segundo.

Nesse momento, em 2010: o Palmeiras ocupava o décimo-segundo lugar e o empate em 1×1 fora de casa contra o Internacional fez o time terminar a rodada em décimo.

Desfalques: Valdivia, na seleção chilena, Kléber não se sabe aonde.

Pendurados: Thiago Heleno, Wellington Paulista, Kleber e Patrik.

Próxima partida: América-MG (fora).

Palpite IPE: Marcos; Cicinho, Heleno, Amaro e Gabriel Silva; Araújo, Assunção e Patrik; Luan, Dinei e Maykon Leite.

Destaques/Atl-GO: O Atlético-GO tem o time completo para esta partida. O Dragão vem de derrota em casa para o Vasco e quer a reabilitação. O time goiano deve ir a campo com Márcio; Adriano, Gilson, Anderson e Thiago Feltri; Agenor, Pituca, Bida e Vitor Júnior; Anselmo e Marcão.

Última vitória no local do jogo: o Verdão nunca enfrentou o Atlético-GO jogando no Canindé.

Última vitória em SP: Foi pela Copa do Brasil 2010, em 29/4/2010; o Palmeiras venceu por 1×0 no Palestra Itália, com um gol salvador de Cleiton Xavier aos 49′ do 2ºT.

Última derrota em SP: O último aniversário do Verdão carrega uma péssima lembrança, no dia 26/8/2010 o Palmeiras recebeu o Atlético-GO, então lanterna do BR10, e tomou um sapeca-iá-iá, 0×3 e muitas vaias, os 3 gols foram do meia Elias (não, não é aquele ex-Palmeiras-B).

Histórico: são poucos confrontos na história, e por mais incrível que pareça, a vantagem é toda do adversário.

GERAL CAMPEONATO BRASILEIRO
J V E D GP GC J V E D GP GC
 6 2 0 4 7 11 2 0 0 2 0 6

O IPE se lembra: No 2º jogo das quartas-de-final da Copa do Brasil 2010 o Palmeiras foi a Goiânia com a vantagem de empatar e acabou perdendo no tempo regulamentar por 1×0. A disputa foi então para os penaltis e São Marcos de Palestra Itália defendeu 3 cobranças! Mas o goleiro do adversário defendeu 4 e o Verdão foi eliminado por 2×1 na disputa de penalidades. Agora é hora de vencer o Atlético-GO…

Read Full Post »

Dura realidade

E veio a primeira derrota. Diante de um adversário que ainda não havia vencido em casa e sob forte calor, o Palmeiras não conseguiu se impor, perdeu a invencibilidade no campeonato e de quebra ainda viu o arquirrival tomar a segunda colocação aplicando uma sonora goleada e com um jogo a menos no campeonato.

Tem sido assim o desempenho dessa equipe. É impressionante a falta de capacidade que esta equipe tem de se impor contra times que lutarão contra o rebaixamento. O Palmeiras até começou melhor, sufocando o Ceará e levando perigo à meta de Fernando Henrique. Entretanto, bastou ao vozão criar a primeira oportunidade para abrir o placar e partir dali o time se perdeu.

Jogando com 3 volantes e em desvantagem no placar, a equipe não conseguia chegar ao ataque com a bola dominada e encontrava dificuldade para invadir a área adversária. A lesão de Cicinho obrigou Felipão a mexer na equipe, mas a entrada de Patrik não surtiu nenhum efeito prático.

Para completar o domingo, o segundo gol cearense veio no último lance do primeiro tempo e caiu como a ducha de água fria que faltava para derrubar de vez o time.

No segundo tempo bem que o time tentou, mas faltava objetividade e qualidade na troca de passes. Adriano entrou no lugar de Lincoln já no intervalo e Vinícius substituiu Wellington Paulista aos 15 do segundo tempo, mas ambas as substituições não surtiram efeito.

O jogo se resumiu à uma batalha pela posse de bola na intermediária, e a medida que o tempo ia passando o Palmeiras via o Ceará levar perigo nos contra-ataques à medida em que se mandava para o ataque em busca do empate.

O lance mais perigoso do segundo tempo morreu nos pés de Chico, após cruzamento rasteiro de Adriano, em que o volantão mandou a bola na lua. O Ceará ainda viu uma bola de Osvlado explodir na trave no fim do jogo.

Com a derrota, o Palmeiras termina a rodada em terceiro lugar e continua a quatro pontos do líder. Na próxima rodada, a primeira no meio de semana, o Palmeiras recebe outro time que vem cambaleando neste início de campeonato, o Atlético-GO.

FICHA TÉCNICA:
CEARÁ 2X0 PALMEIRAS

Estádio: Presidente Vargas, no Ceará (CE).
Data/hora: 26/6/2011, às 16h
Árbitro: Heber Roberto Lopes (PR).
Auxiliares: Gilson Bento Coutinho (PR) e José Amilton Pontarolo (PR).

Renda/público: Não disponíveis
Cartões amarelos: João Marcos (CEA); Wellington Paulista, Thiago Heleno (PAL)
Cartões vermelhos: -
GOLS: Washington, 7′/1ºT (1-0); Thiago Humberto, 45′/1ºT (2-0)

CEARÁ: Fernando Henrique, Boiadeiro (Diego Macedo 33′/2ºT), Fabricio, Diego Sacoman e Vicente; Michel, João Marcos, Heleno e Thiago Humberto (Iarley 27′/2ºT); Osvaldo e Washington (Geraldo 42′/2ºT). Técnico: Vagner Mancini.

PALMEIRAS: Marcos, Cicinho (Patrik 32′/1ºT), Leandro Amaro, Thiago Heleno e Rivaldo; Chico, Márcio Araújo, Marcos Assunção e Lincoln (Adriano Michael Jackson, intervalo); Wellington Paulista (Vinicius 14′/2ºT) e Kleber. Técnico: Luiz Felipe Scolari.

Read Full Post »

Embalado pela sequência positiva no campeonato, o Verdão vai até o Ceará buscar a primeira vitória fora de casa na competição, contra o Vozão. Ainda esfriando depois de mais um incêndio interno, o Palmeiras teve a sexta-feira de tranquilidade e apresentou o atacante Maikon Leite, que ainda não joga por não estar regularizado junto a CBF.

Horário e local: domingo, 26/6, às 16:00, no Estádio Presidente Vargas, o PV (Globo-SP/PPV).

Árbitro: será Héber Roberto Lopes (PR). Seu último jogo é de péssimas lembranças:

2010 – 1×2 Goiás (casa - SA), 2×0 Atl-MG (casa – SA); 3×0 Vitória (casa – SA); 0×1 Corinthians; 1×0 Prudente (fora); 2×3 Cruzeiro (casa);

2009 – 2×1 Vitória (casa); 0×0 São Paulo (fora); 2×2 Corinthians (casa); 0×2 Grêmio (fora).

2008 – 5×2 Cruzeiro (casa); 1×1 Figueirense (casa); 1×0 Cruzeiro (fora); 0×1 Grêmio (casa); 0×1 Botafogo (casa).

Situação na tabela: o Palmeiras está em segundo; o Vozão é o décimo-sétimo.

Nesse momento, em 2010: o Palmeiras estava em sétimo, com sete pontos. Na sexta rodada, uma derrota em casa no fim para o Flamengo derrubou o time para a décima segunda posição.

Desfalques: Valdivia, mais uma vez, e Luan, suspenso.

Pendurados: Kleber e Patrik.

Próxima partida: Atlético-GO (c)

Palpite IPE: Marcos, Cicinho, Leandro Amaro, Thiago Heleno e Rivaldo; Márcio Araújo, Marcos Assunção e Lincoln; Wellington Paulista, Kléber e Adriano MJ.

Destaques/Ceará: o vozão vem reforçado para enfrentar o Palmeiras. O zagueiro Fabrício e o lateral Boiadeiro retornam de lesão e começam como titulares. Geraldo, que também está liberado pelo departamento médico, deve começar no banco de reservas. Outro reforço será o do atacante Washington Dumbo (o próprio), que volta de suspensão. O provável Ceará para enfrentar o Palmeiras deverá ter Fernando Henrique; Boiadeiro, Fabricio, Diego Sacomam e Vicente; Michel, João Marcos, Heleno e Thiago Humberto; Osvaldo e Washington.

Último confronto no Ceará: foi ano passado, um empate em 0×0, pela 11a. rodada do Brasileirão-2010.

Última vitória no local do jogo: a última vitória do Palmeiras enfrentando o Ceará no estádio Presidente Vargas foi pelo Campeonato Brasileiro de 1973 – 2×0 – gols de Leivinha e César Maluco.

Última derrota no local do jogo: foi em um amistoso – 2 a 1 – em 1970 (Lima, Luciano; Neves – um LD cujo único gol pelo Palmeiras foi esse).

Curiosidade: A única derrota do Palmeiras para o Ceará na história foi justamente no estádio onde será disputada a partida de amanhã.

Histórico: A vantagem é toda esmeraldina, sendo que em campeonatos brasileiros o Palmeiras jamais perdeu para o Ceará.

GERAL CAMPEONATO BRASILEIRO
J V E D GP GC J V E D GP GC
 18 10 7 1 41 9 10 7 3 0 21 2

O IPE se lembra:  em 1997 o Palmeiras foi ao Ceará pela Copa do Brasil e não tomou conhecimento do time da casa – 5×2 (Viola (4); Rincon; Elói (2))

Read Full Post »

Luís Pereira - O Chevrolet

Completa 62 anos hoje o maior zagueiro da história do Palmeiras e um dos maiores de todos os tempos do futebol brasileiro. Luís “Chevrolet” Pereira nasceu em Juazeiro-BA em 1949 e iniciou sua carreira nos gramados no São Bento, em 1967.

Chegou ao Verdão em 1968 e ficou até 1974, depois de participar da Copa do Mundo daquele ano – e tomar um dos raríssimos cartões vermelhos de sua carreira no jogo contra a Holanda – foi jogar no Atlético de Madrid-ESP, onde é ídolo e trabalha como coordenador atualmente. O retorno ao Brasil em 1980 foi para o Flamengo, mas no ano seguinte voltou ao Palmeiras para ficar até 1984. A partir aí perambulou pelo futebol paulista, passando inclusive pelo rival da Marginal S/N.

Fica pra próxima, Rivelino...

Com a camisa Alviverde disputou a gloriosa marca de 568 partidas, tendo marcado 35 gols – fato que o torna o zagueiro que mais marcou com o manto Palmeirense. Foi tricampeão Brasileiro (1969, 1972, 1973) e bicampeão Paulista (1972, 1974), formou ao lado de grandes nomes da defesa Palestrina um quinteto muito famoso e respeitado: Leão, Alfredo, Eurico, Zeca e Luís Pereira.

O Chevrolet teve uma longa ‘vida útil’ e continuou aterrorizando atacantes adversários até 1997 (!!) quando encerrou a carreira aos 47 anos com a camisa do São Caetano. Haja fôlego!

O IPE parabeniza o grande Mito da defesa Palmeirense, obrigado Chevrolet pelos serviços prestados, tudo de melhor e muito (mais) sucesso para você. Feliz  aniversário, craque!

Confira abaixo um vídeo com algumas atuações do grande zagueiro com a camisa do Verdão:

E de quebra, uma demonstração da admiração que os espanhóis do Atlético de Madrid tem por Luís Pereira, o “El Mago” deles, que lhes ajudou a conquistar o título espanhol de 1975/76:

Read Full Post »

Artilheiro

Em tarde de Luan e Kleber, o Palmeiras não tomou conhecimento do lanterna e, se fora de campo existe uma insistente campanha para desestabilizar o clube, dentro dele fica mais do que provado que vai tudo muito bem. O time catarinense é fraco, e o Palmeiras fez exatamente aquilo que se espera quando se enfrenta esse tipo de equipe: atropelou.
Desde o primeiro minuto de partida a pressão e inciativa do jogo foi verde. Cicinho e Luan alternavam os ataques pelas laterais do campo, com Kleber centralizado e Wellington Paulista caindo pela direita. O Avaí se defendia como podia e tentava sair nos contra-ataques, mas sem sucesso.
A pressão verde surtiu efeito logo aos 18 minutos. Assunção cobrou escanteio, o zagueiro do Avaí colocou para dentro e Lincoln saiu comemorando – 1×0. O segundo veio logo em seguida, com Luan, após bela jogada de Cicinho pela direita – 2×0 – e em menos de 20 minutos de jogo o Avaí já estava completamente entregue.
A equipe esmeraldina continuou em cima, com domínio completo da partida. O Avaí ainda teve uma chance, mas parou em Marcos. Aos 40, em bela jogada individual pela esquerda, Luan invadiu a área e bateu cruzado. A bola desviou no zagueiro catarinense e enganou o goleiro – 3×0 – e a artilharia do campeonato para o contestado Luan.
Assim como nos dois primeiros gols, mal foi dada a saída de bola e veio mais um. Dois minutos depois do segundo gol de Luan, foi a vez de Kleber deixar o dele. Em mais uma arrancada pela esquerda, Kleber deixou um jogador avaiano sentado com um drible de corpo, conduziu e bateu de fora da área, colocado, com extrema categoria. Um golaço, e o fim do primeiro tempo.
No segundo tempo a equipe voltou em ritmo mais lento, sem correr riscos. Com os 4×0 no placar, bastava ter paciência para ampliar a goleada em cima da frágil e previsível equipe catarinense. A única diferença tática visível foi a inversão dos atacantes, com Wellington Paulista jogando centralizado e Kleber caindo pela direita.
O jogo permaneceu morno e a chance mais clara de gol foi catarinense, com uma bola na trave. Aos 17 minutos de jogo, Felipão começou a mexer na equipe. Primeiro tirou Wellington Paulista e colocou Chico. Aos 26 minutos, em uma bola alçada na área, o zagueiro avaiano se enroscou em Lincoln. Penalti. A torcida imediatamente pediu que Marcos batesse. No primeiro momento o goleiro negou, em seguida até esboçou uma ida à área adversária, mas foi contido por Felipão. Kleber bateu e fechou o caixão – 5×0.
Imediatamente após o gol foi a vez de Lincoln sair para a entrada de Patrik. Alguns minutos depois, Dinei entrou em campo para a saída de Kleber, e a partida transcorreu morna até o apito final.
Com a vitória, a equipe de Felipão chega aos 11 pontos e cumpre a meta inicial imposta pelo comandante. Além da invencibilidade, foi mantida a distância para o primeiro colocado e agora a equipe ocupa a segunda colocação. Na próxima rodada, sem Luan suspenso, o Palmeiras vai ao nordeste enfrentar o Ceará.

 

FICHA TÉCNICA:
PALMEIRAS 5 X 0 AVAÍ

Estádio: Canindé, São Paulo (SP)
Data/hora:
 19/6/2011 – 16h (de Brasília)
Árbitro:
 Fabricio Neves Correa
Auxiliares:
 Altemir Hausmann e Marcelo Bertanha Barison
Público e renda: 12.138/ R$319.419,00
Cartões amarelos: Luan e Wellington Paulista (PAL); Juninho, Bruno Silva, Marcinho Guerreiro e Acleisson (AVA)
Gols:  Lincoln, 18′/1ºT (1-0), Luan, 22′/1ºT (2-0) Luan, 40′/1ºT (3-0) e Kleber, 42′/2ºT (4-0) e Kleber, 26′/2ºT (5-0)

PALMEIRAS: Marcos, Cicinho, Thiago Heleno, Leandro Amaro e Rivaldo; Márcio Araújo, Marcos Assunção e Lincoln (Patrik, 27′/2ºT); Wellington Paulista (Chico, 17′/2ºT), Luan e Kleber (Dinei, 35′/2ºT). Técnico Luiz Felipe Scolari.

AVAÍ: Aleks, George Lucas (Estrada, Intervalo), Cássio, Bruno e Julinho; Acleisson, Marcinho Guerreiro e Marquinhos Gabriel; Pedro Ken, William e Robinho (Fábio Santos, Intervalo). Técnico: Alexandre Gallo.

Read Full Post »

Parabéns Zinho!

Hoje completa 44 anos o ex-jogador de futebol Crizam César de Oliveira Filho – QUEM?? – o Zinho! – Ah bom! – o meia teve duas excelentes passagens pelo Palmeiras – e uma terceira meio apagadinha, além de ter sido multicampeão por onde passou. Nascido em Nova Iguaçu – RJ,  hoje é diretor-técnico do time homônimo, que disputa a série A do Campeonato Carioca.

Zinho foi revelado pelo Flamengo em 1986, de onde veio para o Palmeiras em 1992 para integrar o esquadrão que nos anos seguintes seria bicampeão Brasileiro e Paulista. Zinho já havia sido Campeão Brasileiro em 1987 e 1992 no rubro-negro carioca, sagrando-se assim tetracampeão brasileiro, com três títulos em sequência, uma marca e tanto. Ainda tinha mais, no Cruzeiro de 2003 ganhou seu quinto título da série A, tornando-se recordista de conquistas.

Voltando um pouquinho no tempo, depois de participar das conquistas de 93/94 o jogador se transferiu para o Japão, de onde voltaria em 1997 para participar de mais ‘levantamentos de taças’ com a camisa do Verdão: a Copa do Brasil 1998, a Copa Mercosul 1998 e a principal delas: A Taça Libertadores da América 1999. Definitivamente Zinho tem o seu lugar na galeria dos maiores campeões pelo Palmeiras. É bem verdade que ele errou o seu penalti na final da Libertadores, mas é verdade também que o Sr. Crizam fez 333 jogos com a camisa alviverde, marcando 56 gols e conquistando 8 títulos. Dentre eles o memorável primeiro gol do segundo jogo da final do Paulistão 1993.

Além das campanhas vitoriosas com a camisa do Palmeiras, Zinho conquistou a Copa do Mundo de 1994, titular daquele time montado por Carlos Alberto Parreira, foi por vezes chamado de ‘Enceradeira’, mas cumpriu sua missão e fez o meio-campo da seleção municiando Viola, Bebeto e Romário.

Zinho acabou voltando ao Flamengo em 2004, por onde teve breve passagem e foi encerrar a carreira no Nova Iguaçu em 2005, um convite do Miami FC (EUA), entretanto, o fez desistir da aposentadoria e lá se foi ele brilhar novamente na terra do Tio Sam, jogou até 2007 e depois se tornou treinador do clube norte-americano.

O Blog do IPE deseja tudo de bom para o aniversariante do dia e muitos anos de vida e títulos em sua carreira de treinador, quem sabe um dia possamos vê-lo comandando a conquista de alguma taça, que outrora ganhou vestindo a 11 alviverde? obrigado e feliz aniversário Zinho!

Confira abaixo todos os títulos da carreira do craque:

 - Como jogador:

* Flamengo: Campeonato Carioca: 1986, 1991, 2004; Taça Guanabara: 1988, 1989, 2004; Taça Rio: 1986, 1991; Campeonato Brasileiro: 1987;1992; Copa do Brasil: 1990;

* Palmeiras: Campeonato Paulista: 1993, 1994; Torneio Rio-São Paulo: 1993; Campeonato Brasileiro: 1993, 1994; Copa do Brasil: 1998; Copa Mercosul: 1998; Taça Libertadores da América: 1999

* Seleção Brasileira: Copa do Mundo: 1994; Copa Stanley Rous: 1995;

* Grêmio: Campeonato Gaúcho: 2001; Copa do Brasil: 2001;

* Cruzeiro: Campeonato Brasileiro: 2003; Copa do Brasil: 2003; Campeonato Mineiro: 2003;

* Nova Iguaçu: Campeonato Carioca-2ª Divisão: 2005;

- Como treinador :

*Miami FC : George Washington Cup: 2007;

Read Full Post »

Guerra com a DIS, bate-boca no aeroporto entre torcedores e jogadores, jogador afastado e a possível saída de Wellington Paulista. Em se tratando de Palmeiras, diria que tivemos uma semana normal. Contra tudo isso, e também contra o Avaí, o Palmeiras vai a campo pela quinta rodada do BR-2011 tentando manter a invencibilidade e a proximidade aos líderes. Vamos à informações da partida:

Horário e local: domingo, 19/6, às 16:00, no Estádio Osvaldo Teixeira Duarte, o Canindé (PPV).

Árbitro: será Fabrício Neves Correa (RS). Será a primeira vez  que ele apita na série A, entretanto, não será a primeira vez que ele apita jogos do Palmeiras.

Curiosidade: o árbitro de domingo foi quem apitou a goleada palmeirense de 6 a 1, na Ressacada, em 2003, pela Série B do Brasileirão (pior resultado da história do Avaí na Série B e também na Ressacada desde o amistoso de inauguração  do estádio, contra o Vasco).

Situação na tabela: o Palmeiras está em terceiro; o Leão segura a lanterna.

Nesse momento, em 2010: o Palmeiras estava em sétimo, com sete pontos. Na quinta rodada, um empate sem gols com o futuro rebaixado Prudente manteve o Palmeiras na sétima colocação, mas já era o primeiro sinal de que seria mais um ano difícil.

Desfalques: Valdivia lesionado e na seleção chilena, Gabriel Silva lesionado, Tinga afastado. Danilo, de mudança para a Udinese, também deve ficar de fora.

Pendurados: Luan, Kleber e Patrik.

Próxima partida: Ceará (f)

Palpite IPE: Marcos; Cicinho, L. Amaro, Thiago Heleno e Gabriel Silva; Márcio Araújo, Marcos Assunção, Patrik e Luan; Kleber e Adriano.

Destaques/Avaí: o jogo de domingo contará com estreias no time catarinense. O lateral direito Daniel, vindo do Internacional, poderá fazer sua primeira partida pelo clube caso George Lucas não reúna condições físicas. Outro que estreia é o técnico Gallo, que já trabalha na Ressacada desde a semana que antecedeu a quarta rodada, mas vai ao banco de reservas pela primeira vez neste final de semana. Os desfalques ficam por conta do atacante Taubaté e do volante Diogo Orlando, ambos lesionados. A provável escalação deverá ser: Fernando; Daniel, Cássio, Bruno e Julinho; Acleisson, Pedro Ken, Robinho e Marquinhos Gabriel; Rafael Coelho e William.

Última vitória no local do jogo: Será a primeira vez na história que o Palmeiras enfrentará o Avaí no Canindé.

Última vitória em SP: Pela 28a. rodada do BR-2010 – 4×1 – gols de Valdivia (2), Kleber e Gabriel Silva.

Última derrota em SP: O Palmeiras jamais perdeu para o Avaí atuando em casa.

Histórico: são poucos confrontos na história, com vantagem alviverde.

GERAL CAMPEONATO BRASILEIRO
J V E D GP GC J V E D GP GC
 6 4 1 1 18 8 5 3 1 1 12 7

O IPE se lembra: em 2003, na série B, o Palmeiras foi até a ressacada e atropelou: 6×1 (Leonardo, Edmilson (3) e Diego “Bunda de Urso” Souza (2); Celso descontou para o Avaí). Nesta partida o Palmeiras foi a campo com a seguinte escalação: Marcos; Baiano, Daniel, Leonardo e Lúcio; Marcinho, Corrêa, Élson (Adãozinho) e Diego Souza; Edmílson e Vágner Love (André).

Read Full Post »

Ó, foi o 20 ali que me ajudou!

Frustrante. Essa é possivelmente a única palavra que pode descrever o resultado de ontem. Vencer o Inter fora é algo raro na vida palmeirense, e ontem faltaram 180 segundos para que o jejum de 14 anos caísse por terra e fizesse justiça a uma das melhores apresentações da equipe no ano.

Felipão optou por manter o esquema que vinha dando certo (leia-se ganhar de um a zero), mesmo em um jogo no qual éramos a caça. E a aposta se pagou: após um início melhor por parte dos colorados, o Palmeiras se assentou em campo e por boa parte do primeiro tempo teve o domínio das ações. Para isso, foi incrivelmente útil a atuação de Adriano MJ, que segurou o lateral Kleber na defesa, enquanto o no máximo esforçado Nei brigava com a bola e a defesa do outro lado. Nem mesmo a contusão do ontem razoável (o que foi uma tremenda evolução) Gabriel Silva serviu para o Inter ameaçar constantemente a meta de Marcos, já que Chico não avançou um milímetro além da risca do meio-de-campo.

E dessa forma o primeiro tempo terminou como terminaram TODOS os primeiros tempos do Palmeiras no Brasileirão: oxo. A virgindade do placar não duraria muito, no entanto, porque logo depois Massa bateria no muro Márcio Araújo faria um golaço no ângulo. Foi seu terceiro gol pelo Verdão, o primeiro do lado errado. Menos mal que Rodrigo retribuiu a gentileza poucos minutos depois.

Os minutos seguintes foram muito feios, ao melhor estilo do Palmeiras 2011, até que Marcos Assunção – até aqui o melhor da equipe no campeonato – encontrou Luan na ponta oposta, quarenta metros à frente. Este partiu para o apocalíptico duelo com Nei, se deu melhor e acertou um chute rasteiro para vencer Renan e, de forma quase inacreditável, por o Verdão à frente.

O tempo passava, já com o pouco produtivo Lincoln no lugar do improdutivo Patrik, e a zaga parecia que sustentaria o triunfo. Mas nos estertores da partida o que era sólido se desmanchou no ar. Assim como contra o Mirassol, assim como contra o Corinthians e assim como contra o Cruzeiro um escanteio apareceu no meio do caminho, e o gol de Damião aliviou a bagagem de volta do Palmeiras em dois pontos. Em geral, empatar lá não é por si só mau negócio, mas ontem foi.

O Palmeiras segue em terceiro, e hospeda agora o lanterna Avaí para buscar um novo 1 a 0. O time aprendeu a se portar e dificilmente perde a estribeira e os jogos (Coritiba à parte). Falta aprender a ganhar os jogos mais difíceis. Estará o plantel preparado para isso?

FICHA TÉCNICA

INTERNACIONAL 2 X 2 PALMEIRAS

Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)
Data: 12 de junho, domingo
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Gutemberg de Paula Fonseca (Fifa-RJ)
Auxiliares: Rodrigo Pereira Joia (Fifa-RJ) e Rodrigo Corrêa (RJ)
Cartões amarelos: Zé Roberto e Gilberto (Inter); Patrik, Marcos Assunção, Luan e Danilo (Palmeiras)

Gols:
INTER: Márcio Araújo (contra), aos seis, e Leandro Damião, aos 45 minutos do segundo tempo
PALMEIRAS: Rodrigo (contra), aos dez, e Luan, aos 21 minutos do segundo tempo

INTER: Renan; Nei, Bolívar, Rodrigo e Kleber; Tinga (Fabrício), Guiñazu, Oscar (Gilberto) e D’Alessandro; Zé Roberto e Leandro Damião
Técnico: Paulo Roberto Falcão

PALMEIRAS: Marcos; Cicinho, Thiago Heleno, Danilo e Gabriel Silva (Chico); Marcos Assunção, Márcio Araújo, Patrik (Lincoln) e Luan; Adriano Michael Jackson (Dinei) e Kleber
Técnico: Luiz Felipe Scolari

 

Read Full Post »

A Muralha Verde

Hoje é aniversário de um Mito Palestrino. O goleiro do time nas décadas de 40 e 50, que entrou em campo carregando a bandeira do Brasil na primeira partida do clube como Sociedade Esportiva Palmeiras. Feliz aniversário, Oberdan Cattani.

Oberdan é de Sorocaba e foi fazer teste no Palestra Itália em 1941, então com 22 anos, aprovado se tornou o titular da meta alviverde até 1954, quando foi encerrar a carreira no Juventus da Mooca. Reza a lenda que ele é o autor da frase “Os corintianos são os rivais dos Palmeirenses; os são-paulinos, inimigos.” apesar do próprio negar a autoria.

Realizou 351 partidas em 15 anos no clube, sendo detentor de 9 títulos, entre eles o Campeonato Paulista de 1942 – a famosa “Arrancada Heróica” e a Copa Rio 1951.

Oberdan é conselheiro vitalício do Palmeiras e pode ser facilmente encontrado pelas alamedas do clube até hoje. Recentemente foi homenageado pelo atual ídolo do gol Palmeirense: Marcos posou com o tradicional bigode de Cattani.

Homenagem de Mito para Mito

Em declaração feita há poucos dias, Oberdan expressou a vontade de estar vivo para a reinauguração do Palestra Itália. Esperamos que seu desejo seja atendido e que o novo estádio tenha a sorte de contar com Você no dia de sua abertura, o privilégio será todo da Arena! Muitos anos de vida para você Oberdan, obrigado por representar o orgulho palestrino em dias que foram dos mais difíceis na história do clube.

Confira um excelente vídeo que conta com entrevista de Oberdan e narra um pedacinho da vitoriosa história desse grande goleiro:

Read Full Post »

 

É apenas a quarta rodada, mas o Palmeiras já encara sua segunda pedreira fora de casa. Jogar no Beira-Rio costuma ser sinônimo de problemas para o Verdão, mas o mesmo nem sempre se aplica a Luís Felipe Scolari, que tantas vezes esteve lá principalmente quando técnico gremista. Com mística ou sem, o fato é que o time mostra novamente uma boa consistência defensiva; para o jogo de Porto Alegre, ela será essencial. Vamos então às informações da partida:

Horário e local: Domingo, 12/6, às 16:00, no Estádio José Pinheiro Borda, o Gigante da Beira-Rio, em Porto Alegre (Globo/Band)

Árbitro: será Gutemberg de Paula Fonseca (RJ), que apitou nossa última partida na capital gaúcha. Histórico:

2010 – 2×1 Grêmio (f), 1×1 Atlético-PR (f, CB)
2008 – 2×1 Ipatinga (f, BR), 2×0 Cene (f, CB)
2007 – 1×3 Atlético-MG (c)

Situação na tabela: o Palmeiras ocupa a terceira posição com 7 pontos; o Inter, com 4, está em décimo.

Nesse momento, em 2010: com os mesmos sete pontos, o Palmeiras estava em quarto – foi a única vez em todo o campeonato que estivemos no G4. Na quarta rodada, derrota por 1 a 0 no Choque-Rei e o time caía para sétimo, o que também seria o ápice dali pra frente.

Desfalques: Valdivia, lesionado, e só. Há tempos a enfermaria não andava tão vazia…

Pendurados: tarda, mas não falha: Kléber é o primeiro a acumular dois amarelos. Por sinal, dois amarelos estúpidos.

Próximo jogo: Avaí (c)

Palpite IPE: Marcos; Cicinho, Danilo, Thiago Heleno e Gabriel Silva; Chico, Márcio Araújo, Marcos Assunção, Patrik; Luan, Kléber.

Destaques/Internacional: o time de Falcão venceu a primeira na última rodada com boa atuação de Oscar, promovido a titular. A equipe tem os retornos de Leandro Damião e Kleber, mas não terá o volante argentino Bolatti, afastado para melhorar condição física. Uma possível escalação é Renan; Nei, Bolívar, Rodrigo e Kleber; Guiñazu, Tinga, D’Alessandro e Oscar; Zé Roberto e Leandro Damião.

Último confronto: em Barueri, pelo segundo turno do BR-2010, Faltas de Marcos Assunção 2 x 0 Inter. Antes, em Porto Alegre, houve empate por 1 a 1.

Última derrota no local do jogo: na segunda rodada do BR-2009, o Palmeiras pegou os reservas do Inter. E ainda assim perdeu: 2 a 0 (Danny Morais; D’Alessandro)

Última vitória no local do jogo: na última rodada da fase semifinal do BR-1997, os times cumpriam tabela, pois o Palmeiras já estava classificado para a final. Mesmo assim, o time de Felipão voltou com 1 a 0 na bagagem (Wagner)

Histórico: se existe um time que pode nos chamar de freguês, é o Colorado. A diferença no número de derrotas nem chega a ser enorme, mas a de gols marcados sim.

Obs: desde o jogo passado, passamos a incluir na listagem de partidas pelo Campeonato Brasileiro os jogos disputados pela Taça Brasil e Robertão. Afinal, ao contrário do que vários veículos insistem em não reconhecer, eles são edições do Brasileirão como quaisquer outras.

GERAL   CAMPEONATO BRASILEIRO
J V E D GP GC   J V E D GP GC
73 24 19 30 78 96   59 17 17 25 59 84

O IPE se lembra: na campanha do título brasileiro de 1994, o Palmeiras foi ao Beira-Rio na primeira fase e saiu com uma boa vitória por 2 a 0, com direito a um gol de Edmundo praticamente com bola e tudo.

Read Full Post »

Older Posts »

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 42 outros seguidores