Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘2011’

2011 foi um ano (mais um) para NÃO esquecer; os anos passam e o Palmeiras parece não aprender nada com seus erros, quem conferiu a retrospectiva anterior ou tem na cabeça o que aconteceu de 2010 para 2011 sabe bem do que se trata, muitas expectativas, mais frustrações e um outro ano INTEIRINHO jogado no lixo. A involução foi de encher os olhos dos habitantes da terra dos cegos.

Já dentro de 2012 notamos que apenas Juninho (LE, do Figueirense) foi contratado, e isso já é mais do que de 2010 para 2011, quando ninguém tinha fechado ainda. O planejamento da temporada vem sendo há tempos propalado por Felipão, Tirone e César Sampaio, mas o que se vê é um tiroteio de especulações com uma acuracidade quase zero. A perspectiva para o novo ano não é das melhores, a diretoria encontra resistência de jogadores que não querem vestir a camisa do Palmeiras, não tem dinheiro/disposição para grandes contratações e surgem boatos de que há um esquema de ‘pedágio’ nas contratações. A calda do picolé de chuchu é a ausência de patrocínio master para a camisa e a debandada da patrocinadora do salário do Felipão. Não vamos nem OUSAR perguntar o que mais falta pra 2012…

Você conferiu aqui no Blog do IPE a Retrospectiva Palmeiras 2010. Vamos repetir a dose mês a mês e deliciar as memórias de 2011 e ver o que esperar para 2012:

– JANEIRO

Presidente Arnaldo Tirone é eleito sob a desconfiança de ser o candidato ‘Dele’
Cicinho, um dos melhores de 2011, é apresentado, uma enxurrada de outros jogadores foi chegando até Chico fechar a conta do mês.
Primeiro jogo do Paulistão assusta: Botafogo-SP 0 x 0 Palmeiras.

– FEVEREIRO

Os resultados no Paulistão não iam enchendo os olhos e Felipão JÁ cobrava o centro avante que não ‘chegou a chegar’ em 2011
Derrota no derby
Estréia na Copa do Brasil, vitória fora, mas precisou do jogo de volta
Apesar dos pesares, termina o mês liderando o Paulistão

– MARÇO

Jogo da volta da Copa do Brasil: classificado
Alguns tropeços no Paulistão tiram o time da liderança, e servem de estopim para o próximo tópico:
Começava a guerrinha Felipão x Kléber, motivo nº1: Carnaval.
2ª fase da Copa do Brasil exterminada pelo ‘craque’ do ano
Fecha o mês lutando pela liderança do Paulistão
O Blog do IPE chega a sua 100ª postagem

– ABRIL

Wellington Paulista é apresentado, esperança de gols…
Oitavas da Copa do Brasil: Palmeiras x Santo André. Classificado.
O Paulistão voltava a ser disputado com quartas-de-final e o Palmeiras passou por ela.

– MAIO

Eliminado na Semi do Paulistão
O ‘jogo do ano’ veio para completar o desastre da primeira semana desse mês. Coritiba 6 x 0 Palmeiras.
A torcida estava grande e a esperança tomava conta, mas não deu: eliminado na Copa do Brasil.
Depois de tanta tragédia, o lateral Paulo Henrique é apresentado…
Começa o Brasileirão: vitória na estreia.

– JUNHO

O time oscila e alterna empates bizarros com boas vitórias, mas não fica no G4.

– JULHO

É o auge da guerra Felipão x Kléber, o atacante fica, contrariado, mas fica (e o ano aqui, acaba, ainda saberíamos…)
Apesar de algumas derrotas, freguesia é freguesia.
Começa a Taça BH de futebol Júnior essa o Palmeiras já ganhou
Gerley é apresentado

– AGOSTO

No dia do aniversário D’O Santo, um empatezinho pra não variar.
A Sulamericana 2011 começa ‘acabando': derrota na estréia.
Agora acabou mesmo, sofrendo um gol que foi constante em 2011 – de ex-jogador – caímos na primeira fase da SA.
97 anos e um post com os 97 mais do clube.
Na última rodada do Turno do Brasileirão, nasce o ‘mito’ Fernandão.
O Palmeiras encerrou a 1ª parte do BR11 com 32 pontos, guarde esse número.

– SETEMBRO

Começa o returno e nem o mais pessimista dos Palmeirenses no seu momento mais delirante poderia predizer o que seria essa parte do campeonato, a ‘estréia’ já era mau agouro.
Um Demonhão no Pacaembu.
Pedro Carmona é apresentado.
Depois de toda a palhaçada da não-transferência de Kléber para o Flamengo, colhíamos os frutos de segurar um jogador insatisfeito.

– OUTUBRO

O calendário corria e os pontos minguavam, o Palmeiras abriu o mês empatando com o lanterna.
No extremo da desordem em que o Palmeiras se meteu em 2011, João Vitor é agredido pela torcida, lamentável pelo fato, louvável pois mais a frente veríamos que seria o fim da era Kléber no Palmeiras, lembram dos 32 pontos na 19ª rodada? essa seria a 29ª rodada e o Palmeiras tinha 40 pontos.
Muitas derrotas ainda vieram em outubro e o time fechou o mês em 13º com 41 pontos.

– NOVEMBRO

César Sampaio é o novo gerente de futebol do Palmeiras, o efeito seria melhor do que imaginávamos.
Começávamos a implorar a chegada de 2012, os empates voltaram e nos livrávamos do rebaixamento, rodada a rodada.
Quem disse que o Palmeiras não seria campeão em 2011? o Sub-17 levantou a taça e o IPE ‘tava lá’.
Ainda tinha tempo para alguma alegria nesse ano nefasto e voltamos a vencer nosso inimigo.

– DEZEMBRO

Fechamos 2011 vendo nosso rival ser Campeão Brasileiro, com direito a presepada de Jorge Valdívia, mais uma no ano.
Morre Sócrates e o ex-craque que fez história em um grande clube paulista é homenageado pelo IPE.

Acabou 2011 e esperamos que 2012 possa ser diferente apesar de ter começado praticamente igual o anterior, existe uma necessidade latente de renovação no elenco, na diretoria, nos procedimentos, no clube como um todo. É sabido entretanto que ninguém está interessado em fazer o Palmeiras progredir para a independência política, os velhos oligarcas querem mais é garantir suas eleições de conselho e atrapalhar a gestão da oposição para não ver o sucesso ser escrito sob o nome de inimigos políticos. Lamentável, num espaço curto de tempo é imutável, porém não se pode desistir, o movimento das Diretas Já tem que continuar, ser ouvido e as ações postas em prática. Somos os donos dessa instituição, nós – os torcedores – e temos que lutar por ela.

As notícias de contratação estão fracas, as especulações estão intensas, mas no fim, a paz que foi instaurada com a saída de J30, o retorno de Valdívia a sua boa forma (com pré-temporada, claro) agora que ele está afastado por 10 jogos da Seleção Chilena que tanto o afastou do Palmeiras em 2011 e alguns ingredientes mais, podem E devem fazer 2012 pegar o trilho que foi perdido lá na semi-final do Paulistão 2011, ou mesmo lá no vexame frente o Coritiba na CB11, ou quem sabe na eliminação precoce na SA11.

Feliz 2012 para todos, e acredite nisso. Contra tudo e contra todos, nós também temos fé.

Read Full Post »

Campeões!

Dia de festa

Uma campanha vitoriosa não é feita apenas por números (no caso, 32 jogos, 25 vitórias, 3 empates, 4 derrotas. Aproveitamento de 81%. 86 gols a favor, 26 contra, saldo de quase 2 por jogo), mas principalmente pelo talento – o talento dos jovens atletas do sub-17 palmeirense (e também do técnico Márcio Rodrigues), agora campeões paulistas da categoria pela primeira vez desde 1977. Parabéns!

Um ótimo resumo do jogo e da campanha, com a artilharia completa, pode ser encontrado no Portal PTD. No entanto, o IPE esteve presente, e tem seu relato e suas fotos. Vamos lá.

O jogo começou com o Palmeiras levemente superior, mas essa pequena diferença bastou para resultar no gol do lateral-esquerdo Lima, logo aos 8 minutos.

Lima parte pro abraço

O gol prematuro deu à equipe uma certa acomodação, talvez para evitar o desgaste do sol forte. No entanto, o crescimento do Santos na partida fez com que essa estratégia fosse abandonada. O time passou a correr muito, e teve lá suas chances, a maior delas com Bruno Sabiá cara a cara com o goleiro santista, que fechou bem a meta. No fim do primeiro tempo, o time praiano estava apenas um pouco melhor quando conseguiu um pênalti que Vinícius desviou para a trave. Pouco depois, o juiz encerrou a primeira etapa.

Vinícius vai voar

No segundo tempo, o Santos virou rapidamente a partida. E, por uns cinco minutos após o 2 a 1, parecia que a casa ia cair. O Palmeiras se assustou, e cada bola chutada pra longe era um alívio passageiro, pois poucos segundos depois o perigo rondava novamente a meta. Pouco a pouco, no entanto, o time se assentou. As mudanças trouxeram gás novo ao time (era nítido o quanto os jogadores correram), e a equipe passou a se aproveitar do desespero santista para encaixar contragolpes, que geralmente por falha nos passes ou aquela segurada a mais acabaram não sendo bem aproveitados. O Santos foi mais perigoso, perdendo uma chance à queima-roupa na pequena área defendida brilhantemente por Vinícius, mas pouco a pouco também foi caindo fisicamente.

No fim, o Santos buscava cruzamentos – parecia até o time profissional do Verdão. O juiz colaborou, acrescentando três minutos, depois mais um, e por fim, sem placa nenhuma, mais derradeiros 60 segundos que pareceram uma eternidade. O Santos teve sua última chance, em chute que passou rente à trave e manteve quietos os cerca de 600 presentes ao estádio, em nossa humilde estimativa. Foi só um susto, que levou Vinícius ao chão na hora que Douglas Perrone Katayama finalmente encerrou o jogo (cuja súmula está aqui) e o campeonato.

É campeão!

Depois do jogo, uma bonita festa, que contou com a presença do presidente Arnaldo Tirone (cuja falta de alegria, ainda bem, não foi contagiante) e pelo vice de futebol Roberto Frizzo. Em princípio, apenas os familiares puderam entrar no gramado. Mas depois a entrada da equipe de reportagem do blog foi liberada e pudemos conseguir estas fotos da celebração:

Hugo Ragelli, o artilheiro verde no campeonato, foi pra galera.

Frizzo e Tirone presentes na festa

Não faltou a chuva de papel prateado

A alegria incontida de Tirone

Ainda sobrou energia pra volta olímpica

A taça circulou bastante

E o futuro?

Sabemos que ganhar a taça não é tão importante quando formar talentos. Mas nos parece que mesmo nisso estaremos bem servidos.

- O time tem vários atletas promissores. Falar da dupla de Brunos (Sabiá e Dybal) já é quase chover no molhado, mas há outros: o goleiro Vinícius foi essencial, e o meia Matheus Carvalho hoje foi o melhor do time. A zaga formada por Luís Gustavo, Mendes e Gabriel deu conta do recado, mas essa é uma posição enjoada para jogadores jovens. Os alas Cesinha e Lima são fortes no apoio – não por acaso, o gol surgiu em cruzamento do primeiro para o segundo. Lucas Taylor é um atleta versátil, que foi de volante a atacante quando o artilheiro Hugo Ragelli se contundiu, e assim abriu espaço para o bom volante João Denoni.

- Mesmo assim, devagar com o andor: a molecada ainda tem muitos vícios próprios da idade, e isso ficou claro hoje. O principal é que eles ainda prendem muito a bola. Não vale a pena queimar etapas com a garotada.

- Esse time ainda deve passar por duas Copinhas, além de várias outras competições como a Copa Rio, também conquistada esse ano. Serão novas oportunidades para os atletas seguirem seu desenvolvimento.

Enfim, palmeirense: não pense que o sucesso de hoje será o sucesso de amanhã. É mais provável que os frutos dessa conquista venham daqui a alguns poucos anos, e que o torcedor palmeirense tenha calma no momento em que finalmente essa geração entrar em nossa nova Arena pelo time principal. O futuro será melhor.

O blogueiro fez questão de cumprimentar Bruno Sabiá

Por fim, os vídeos desse momento tão importante para a base verde.

Gols do jogo:

Melhores momentos e fim de jogo (preparado pelo Antena Verde):

Read Full Post »

Faltam apenas 3 pontos para o fim do martírio. Será que agora vai?

Horário e local: domingo, 06/11, às 19:00, na Arena Barueri (PPV)

Árbitro: será o sempre correto e nada polêmico Alício Pena Jr, um velho conhecido que já nos apitou 16 vezes desde 2001 (8V/3E/5D). Segue o histórico recente:

2011 – 0x3 Leandro Damião (c); 1×0 Figueirense (f)

2010 – 2×2 Botafogo (c)

2009 – 2×2 Atlético-PR (f)

2008 – 2×3 Goiás (f)

Situação na tabela: o Palmeiras é o décimo terceiro, com 41 pontos. O Coxa é o décimo primeiro, com 45.

Nesse momento, em 2010: o Palmeiras se mantinha “heroicamente” na décima posição e ali ficaria até o fim do certame.

Desfalques: Marcos sem condições de jogo, Kleber afastado, Valdivia e Maurício Ramos suspensos.

Pendurados: Valdivia, Rivaldo, Tinga e Chico. Próxima partida: Grêmio (fora).

Palpite IPE: Deola; Cicinho, TH, Henrique e Rivaldo; Chico, M.Araújo e Assunção; Luan, Maykon Leite e Fernandão.

Ex-palmeirenses no Coritiba: Jeci.

Destaques/Coritiba: Leandro Donizete, recuperado, deve ser reforço. Os desfalques ficam por conta de Rafinha e Bill, suspensos. O técnico Marcelo Oliveira testou uma formação com 3 voltantes e deve ir a campo com Vanderlei; Jonas, Jeci, Emerson e Lucas Mendes; Willian, Léo Gago, Leandro Donizete e Davi; Marcus Aurélio e Anderson Aquino.

Último confronto: no turno, empate em 1×1.

Última derrota no local do jogo: faz tempo! Foi pelo Campeonato Brasileiro de 1998 – 1×2 – Gol de Alex para o Palmeiras e de Sandoval e Cléber para o Coxa.

Última vitória no local do jogo: foi pela Copa do Brasil deste ano – 2×0 – gols de Assunção e Emerson (contra).

Histórico: vantagem palestrina.

GERAL CAMPEONATO BRASILEIRO
J V E D GP GC J V E D GP GC
 45 19 14 13 73 58 31 13 10 9 40 28

O IPE se lembra: Bons tempos… em 1996 o Palmeiras atropelou o Coritiba – 6×0 – fora o baile.


Read Full Post »

Respirando aliviado depois dos resultados dos jogos de ontem, o Palmeiras entra campo para tentar se livrar de uma vez por todas do fantasma do rebaixamento. O adversário também está ameaçado, portanto trata-se de uma decisão.

Horário e local: domingo, 30/10, às 18:00, na Arena do Jacaré  (PPV)

Árbitro: será o flamenguista Macelo de Lima Henrique (RJ). A CBF adora provocar os torcedores. Ano passado foi ele quem apitou o polêmico joga contra o mesmo Atl-MG, pela Copa SA. Eis o histórico:

2011: 1×1 Atl-PR (f, BR);

2010: 1×1 Atlético-MG (f, Copa SA), 2×1 Atlético-MG (f, BR), 1×0 Atlético-PR (c, CBr)

2009: 4×0 Goiás (c), 2×2 Avaí (c), 1×0 Santo André (c, BR)

2008: 3×0 Vitória (c), 2×1 Inter (c)

2007: 0x0 América-RN (f), 2×1 Atlético-MG (f)

Situação na tabela: o Palmeiras é o décimo terceiro, com 41 pontos. O Atlético é o primeiro fora da zona da degola, com 33.

Nesse momento, em 2010: o Palmeiras se mantinha “heroicamente” na décima posição e ali ficaria até o fim do certame.

Desfalques: Marcos sem condições de jogo, Kleber afastado, Assunção lesionado e Ricardo Bueno impedido contratualmente.

Pendurados: Valdivia, Rivaldo, Tinga e Chico. Próxima partida: Coritiba (casa).

Palpite IPE: Deola; Cicinho, TH, Henrique e Rivaldo; Chico, M.Araújo, Valdivia e Luan; Maykon Leite e Fernandão.

Ex-palmeirenses no Atl-MG: Leandro, Leonardo Silva e Pierre.

Destaques/Atl-MG: Com os desfalques dos atacantes Guilherme e Mancini, o galo pagou a multa para ter Pierre em campo. O técnico Cuca deve ir a campo com Renan Ribeiro; Carlos Cesar, Réver, Leonardo Silva e Triguinho; Pierre, Fillipe Soutto, Bernard e Daniel Carvalho; Neto Berola e André.

Último confronto: no turno, vitória por 3×2.

Última derrota no local do jogo: o Palmeiras não perde do Atlético em Minas há quase 10 anos (medo!) A última derrota foi em 2001 – 2×1 (Marques, Alexandre; Flávio)

Última vitória no local do jogo: Foi ano passado, pelo brasileiro, e com arbitragem do mesmo Marcelo de Lima Henrique: 2×1.

Histórico: vantagem toda alviverde.

GERAL CAMPEONATO BRASILEIRO
J V E D GP GC J V E D GP GC
 66 36 10 18 97 67 44 25 5 14 60 47

O IPE se lembra: pelo jogo de volta da semi-final da Copa Mercosul de 2000, o Palmeiras foi ao Mineirão e confirmou a vaga para a finalíssima – 2×0 – gols de Tuta e Juninho. Abaixo, a ficha deste jogo.

28/11/2000 – ATLÉTICO-MG 0 X 2 PALMEIRAS-SP – COPA MERCOSUL
Estádio Governador Magalhães Pinto – Mineirão – Belo Horizonte / MG – Brasil – Horário: 21h40 – Público: 19.962 pagantes
Árbitro: Oscar Roberto Godói (SP) – Assistentes: Jorge Paulo Oliveira, Milton O.do Santos
Atlético (Belo Horizonte/MG): Velloso, Bruno, Cápria, Cláudico Caçapa, Mancini (André), Valdir, Clêisson, Caíco, Ramón, Guilherme, Marques – Técnico: Nedo
Palmeiras (São Paulo/SP): Sérgio, Arce, Paulo Turra, Gilmar (Tiago Matias), Tiago Silva (Neném), Galeano, Magrão, Rodrigo Taddei, Flávio, Basílio (Juninho), Tuta – Técnico: Marco Aurélio
Cartões amarelos: Bruno, Cápria, Clêisson (Atlético) – Arce, Tiago Silva, Rodrigo Taddei, Flávio (Palmeiras) – cartão vermelho: Caíco (Atlético)
Gols: Tuta (Palmeiras), 1 min, Juninho (Palmeiras), 41 min segundo tempo

Read Full Post »

Em queda livre e acumulando apenas 3 pontos nas últimas 5 partidas, o Palmeiras vai à campo para praticamente cumprir tabela em mais um ano perdido.

Horário e local: Sábado (22/10), às 18:00, no estádio do Canindé (PPV).

Árbitro: será Ricardo Marques Ribeiro (MG), que tem curto histórico em jogos verdes:

2011 – 0x0 Grêmio (c)

2009 – 1×0 Fluminense (c)

2008 – 0x2 Coritiba (f)

Situação na tabela: o Palmeiras é o décimo terceiro, com 41 pontos. O Figueirense é o oitavo, com 44. Portanto, temos um confronto direto que não vale nada.

Nesse momento, em 2010: Vindo de um empate – 1×1 – com o Ceará, o Palmeiras perdeu o Dérbi – 0x1 – e se manteve na sofrível 10a. posição.

Desfalques: Thiago Heleno suspenso; Assunção e João Vitor lesionados; Kleber afastado.

Pendurados: Valdivia, Rivaldo, Tinga e Chico.

Próxima partida: Atlético-MG (fora)

Palpite IPE: Deola; Cicinho, M.Ramos, Henrique e Gabriel Silva; Chico, M.Araújo, Luan e Valdivia; Fernandão e Maykon Leite.

Destaques/Figueirense: O técnico tetra-campeão Jorginho deve repetir a escalação da última partida da equipe, indo a campo com Wilson; Pablo, Roger Carvalho, Edson Silva e Juninho; Jônatas, Túlio, Maicon e Elias; Wellington Nem e Júlio César.

Último confronto no local do jogo: Foi em 2008 – 1×1 – gols de Alex Mineiro para o Palmeiras e Cleiton Xavier para o Figueirense.

Última vitória no local do jogo: Foi em 2007 – 2×1 – gols de Valdivia (2) para o Palmeiras e Peter para o Figueirense.

Última derrota no local do jogo: O Palmeiras jamais perdeu para o Figueirense em SP (medo!!)

Histórico: a vantagem é palestrina.

GERAL CAMPEONATO BRASILEIRO
J V E D GP GC J V E D GP GC
 15 7 6 2 23 16 14 6 6 2 21 16

O IPE NÃO se lembra: o primeiro confronto da história entre Palmeiras e Figueirense foi disputado em 1975 e válido pelo Campeonato Brasileiro daquele ano. A partida terminou empata em 2×2. Abaixo, a ficha técnica deste jogo.

18/10/1975 – PALMEIRAS-SP 2 x 2 FIGUEIRENSE-SC – CAMP.BRASILEIRO
Estádio Palestra Itália – Parque Antártica – São Paulo / SP – Brasil – Público: 4.670 pagantes – Renda: Cr$ 79.177,00
Árbitro: José Luís Barreto (RS)
Palmeiras (São Paulo/SP): Leão, João Carlos, Arouca, Alfredo, Jorge Tabajara, Dudu, Didi, Zuza (Mário), Fedato, Edu, Nei – Técnico: Dino Sani
Figueirense (Florianópolis/SC): Nilson, Pinga (Jorge Luís), Nélson, Almeida, Baio, Sérgio Lopes, Dito Cola, Marcos (Lico), Toninho, Moacir, Zé Carlos – Técnico: Lauro Búrigo
Cartões amarelos: Arouca (Palmeiras), Baio, Jorge Luís (Figueirense)
Gols: Fedato (Palmeiras), 28 min primeiro tempo, Toninho (Figueirense), 5 min, Edu (Palmeiras), 36 min, Toninho (Figueirense), 39 min segundo tempo

Read Full Post »

Ainda juntando os cacos diante da avalanche de polêmicas, afastamentos e pancadarias, o Palmeiras recebe o Fluminense em um confronto direto na luta pela Libertadores (rá, quem dera!).

Horário e local: domingo, 16/10, às 16:00, no Canindé (PPV)

Árbitro: será Francisco Carlos Nascimento. Seu histórico é recente:

2011 – 1×0 Botafogo (c); 1×1 Atlético-GO (f)

Situação na tabela: o Palmeiras está em 9º, com 41 pontos, 7 pontos abaixo da zona da Libertadores; o Fluminense tem 47.

Nesse momento, em 2010: um empate contra o Ceará – 1×1 – fez com que a equipe caísse para a décima posição e dela não saísse até o fim do certame.

Desfalques: Marcos Assunção suspenso e lesionado, Marcos é dúvida, Cicinho suspenso e João Vitor “lesionado”.

Pendurados: Thiago Heleno, Rivaldo e Tinga.

Palpite IPE: Deola; Paulo Henrique, Thiago Heleno, Henrique e Gabriel Silva; Chico, Márcio Araújo, Luan e Valdivia; Fernandão e Maykon Leite.

Ex-palmeirenses no Flu: Diego Cavallieri, Jefferson, Marquinho e Edinho.

Destaques/Fluminense: Vindo de uma boa vitória diante do Coritiba, com direito a hat-trick de Fred, o Fluminense vem à SP querendo entrar de vez na zona de classificação para a Libertadores e contará com as voltas de Leandro Euzébio e Souza. Edinho suspenso e Digão e Diguinho lesionados são os desfalques. A provável escalação do Fluminense deverá ser: Diego Cavallieri; Mariano, Elivélton, Leando Euzébio e Carlinhos; Valencia, Diogo, Deco e Souza; Fred e Rafael Sóbis.

Último confronto: no turno, continuamos a sina de levar gol de refugos.

Última derrota no local do jogo: ano passado, no jogo que praticamente selou o título dos cariocas – 1×2 – com direito a golaço de Dinei (com esse nome, só pode torcer para um time!) e xingamentos à Deola.

Última vitória no local do jogo: foi pela 15a. rodada do BR2009 – 1×0 – gol de Diego Souza, o judas.

Histórico: Alô, freguesia!

GERAL CAMPEONATO BRASILEIRO
J V E D GP GC J V E D GP GC
 91 51 15 27 166 134 36 23 9 12 67 53

O IPE se lembra: em jogaço pela 42a. rodada do BR2005, o Palmeiras venceu o Fluminense de virada e garantiu vaga na Libertadores 2006. 3×2 (Washington, Juninho Paulista e Correa; Tuta e Arouca).

* editado às 21:09 de 14/10.

Read Full Post »

Pois é...

Com o time desfalcado de quatro titulares somado à uma apresentação pífia, o Palmeiras foi massacrado pelo arrumado time do Botafogo nesta noite de quarta-feira.

O calvário esmeraldino começou cedo e era tragédia anunciada. Afinal, um time que tem Maicossuel e Gustavo, com Caio Jr no banco, fatalmente pisotearia o Palmeiras. Pois foi logo aos 2 minutos e 57 segundos do primeiro tempo que o corinthiano botafoguense Herrera subiu livre, (nem tão) leve, e solto para abrir o placar no Stadium Rio.

Vinte minutos depois as suspeitas se confirmariam. O primeiro refugo à mostrar serviço foi Gustavo. Após mais um cruzamento em direção à peneira verde, o zagueiraço apareceu livre para marcar. Após o gol, levantou-se e ficou imóvel, claramente sem intenção de comemorar. Mas porque não? Gustavo correu e comemorou como nunca.

Felipão, vendo o porco ir para o rolete, resolveu mexer ainda no primeiro tempo… E mexeu mal. Nada contra a entrada de Ricardo Bueno, mas tirar Tinga e deixar Rivaldo em campo é uma piada de mau gosto. Não que o Tinga seja grande coisa, mas o Rivaldo é certamente um dos piores jogadores que passou pelo clube nos últimos 5 anos (e olha que a briga é muito feia).

No segundo tempo, nada de novo. O Palmeiras lançava bolas para Fernandão – o melhor em campo na opinião de quem vos escreve – que tentava desviar para quem chegava de trás. Tática velha, ultrapassada, e que dedura times limitados tecnicamente.

Mas a noite ainda não estava acabada. Havia ainda mais um refugo com sede de vingança. E muita sede diga-se de passagem, já que Magossuel não marcava há muito tempo. Nada como enfrentar o Palmeiras…

No fim veio o prêmio de consolação, ou melhor, a lembrancinha com Assunção. Daquelas que a gente ganha como agradecimento por ter comparecido à uma festa.

A festa do Botafogo.

BOTAFOGO 3 X 1 PALMEIRAS
Data/hora: 31/8/2011 – 21h50min
Local: Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Francisco Carlos Nascimento (AL)
Assistentes: Alessandro Rocha de Matos (BA) e Erich Bandeira (PE)

Cartões amarelos:
BOT: Cortês, Elkeson
PAL: Rivaldo, Henrique

Gols:
Herrera, 3’/1ºT (1-0), Gustavo, 22’/2ºT (2-0), Maicosuel, 17’/2ºT (3-0), Marcos Assunção, 46’/2ºT (3-1)

BOTAFOGO: Jefferson; Lucas, Gustavo, Fábio Ferreira e Cortês; Marcelo Mattos (Lucas Zen, 30’/2ºT), Renato, Maicosuel (Felipe Menezes, 33’/2ºT) e Elkeson; Herrera (Caio, 36’/2ºT) e Loco Abreu. Técnico: Caio Junior.

PALMEIRAS: Deola; Cicinho (João Vitor, 27’/2ºT), Thiago Heleno (Leandro Amaro, intervalo), Henrique e Gabriel Silva; Chico, Márcio Araújo, Marcos Assunção, Rivaldo e Tinga (Ricardo Bueno, 34’/1ºT); Fernandão. Técnico: Luiz Felipe Scolari.

Read Full Post »

Older Posts »

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 44 outros seguidores