Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘BR2012’

Ele adora o Botafogo…

Frustração, desespero, drama e esperança. Tudo junto e em ordem totalmente adversa a qualquer linha racional. Normal, só mais um dia na luta inútil do Palmeiras contra o rebaixamento. Em uma partida em que esteve perdendo – morto, empatando mas melhor no jogo – ainda vivo, perdendo até os 46′ do 2ºT – morto, empatou – vivo apesar de fraco; O Palmeiras confunde e enlouquece as cabeças alviverdes que ousam enxergar alguma lógica ou linearidade nas atuações do selecionado de Gilson Kleina.

A dificuldade na salvação já está do tamanho de um Titanic (abs Ilsinho fd…), pra piorar o Sport foi lá e meteu 3×0 no fracasso da natureza chamado Vasco, nada ajuda. Gilson Kleina escalou o time certinho, parece querer extirpar jogadores medrosos e coloca pra jogar quem realmente está com vontade, mas pelamor, que gols perderam Luan – após excelente cruzamento de Wesley e Patrik Vieira, num lance absurdamente bizarro, o garoto que a esta hora poderia estar consagrado, está em xeque, cadê o pé direito Patrik?!

Barcos é um capítulo a parte no livro do rebaixamento 2012. O Pirata joga sozinho, arma, cruza, finaliza… hoje deixou 2 e alcançou sua meta de 27. Resta saber onde jogará em 2013.

Apesar do resultado adverso da partida, nada interessa senão a vitória, não se pode reclamar de falta de vontade, falta de volume de jogo, o que falta ao Palmeiras é qualidade e uma pitada de sorte, a  bola na trave de Maikon Leite, em outras épocas ou mesmo clubes, entraria com absoluta certeza.

O que resta ao Verdão é tentar, apesar da impossibilidade lógica, tem que ganhar os 4 jogos que faltam: Fluminense (c), Flamengo (f), Atlético-GO (c), Santos (f). O time deixou pra última hora, toda margem que existia está perdida, ou ganha tudo ou vai fazer companhia pro Atlético-GO no limbo da série B 2013.

Vamos às notas:

Bruno – boas defesas, não sai nas bolas cruzadas nem por decreto – 6
Artur – péssimo, não pode continuar mais nem um dia no clube – zero
Maurício Ramos – falhou nos dois gols – zero
Henrique – raçudo, foi pro ataque no final e jogou no sacrifício, tomara que não fique fora de combate – 7
Juninho – jogando de calça marrom, pelo menos acertou o cruzamento que culminou no 2º gol – 3
João Denoni – muito fraco nos passes, mas não se omitiu e roubou diversas bolas importantes – 7
Marcos Assunção – ajudando na defesa e errando bolas paradas – 5
Wesley – apareceu pouco, precisa participar mais – 5
Patrik Vieira – vai pra cima, tenta, não se esconde, MAS NÃO PODE PERDER UM GOL DAQUELES – ZERO
Luan – 2 gols inacreditáveis perdidos, voluntarioso e perna de pau – 3
Barcos – monstruoso, absurdo, pegou sua vítima predileta e massacrou – DEZ

Maikon Leite – se apresentou bem, mas foi pouco – 6
Obina – só algumas escoradas no meio da grande área – 3
Correa – nada de produtivo – 3

Gilson Kleina – provavelmente vai ser um grande treinador, mas não tem ainda a sorte que precisa num momento desses, apesar de sua boa vontade, provavelmente será o nome do rebaixamento – 6

Melhores Momentos:

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 2 X 2 BOTAFOGO

Estádio: Arena Fonte Luminosa, em Araraquara (SP)
Data/hora: 2/11/2012 – 17h (de Brasília)
Árbitro: Elmo Alves Resende Cunha
Auxiliares: Altemir Hausmann e Kleber Lucio Gil
Renda/Público: R$247705 / 13.228 pagantes
Cartões Amarelos: Gabriel e Andrezinho (BOT)
Cartões Vermelhos: não houve
Gols: Lodeiro, aos 20’/1ºT (0-1), Barcos; aos 28’/1ºT; Elkeson, aos 18’/2ºT (1-2); Barcos, aos 46’/2ºT (2-2)

PALMEIRAS: Bruno; Artur (Maikon Leite – 10’/2ºT), Maurício Ramos, Henrique e Juninho; João Denoni (Corrêa – 33’/2ºT), Marcos Assunção, Wesley e Patrick Vieira; Luan (Obina – 21’/2ºT) e Barcos. Técnico: Gilson Kleina.

BOTAFOGO: Jefferson; Lucas (Jadson – 11’/2ºT), Antônio Carlos, Dória e Márcio Azevedo; Gabriel, Renato, Fellype Gabriel (Elkeson – 17’/2ºT), Andrezinho e Lodeiro (Brinner – 26’/2ºT); Bruno Mendes. Técnico: Oswaldo de Oliveira.

 

Read Full Post »

Drama demais, bola de menos.

Costuma ser assim, quando envolve drama demais, acaba em tragédia. O Palmeiras conseguiu sair na frente, tomar a virada, fazer um gol de mão que foi validado, depois foi anulado graças a um delegado da CBF que viu o lance no replay na televisão. O jogo ficou parado 6 minutos, mais uns 5 em substituições, faltas e reclamações, ai o juiz deu só 6 minutos de acréscimo. Drama pouco é bobagem, rebaixamento é o que cada vez mais se enxerga no horizonte palestrino…

Não vai ser tomando viradas e cometendo erros bizarros que o Palmeiras vai conseguir se salvar do rebaixamento, se ainda houver algum tipo de salvação, vai ser com inteligência. Na partida do Beira-Rio o Verdão saiu na frente com Luan marcando de cabeça, ainda no primeiro tempo Patrik Vieira, Barcos e Artur desperdiçaram 3 gols incríveis, e a bola pune.

O Inter conseguiu a virada antes dos 20′ do 2º tempo e o time alviverde desesperou, Henrique perdeu a cabeça, Marcos Assunção não acertava um escanteio, e o Luan já queria ir pra porrada, tava na cara que não ia dar certo, até o fatídico lance do gol de mão ser anulado pela presença sórdida e mal intencionada de um tal delegado da CBF, coisa que nunca é vista em jogo algum, o Palmeiras aparentemente TEM que cair… ninguém menciona na imprensa ‘especializada’ que o argentino Barcos estava sendo finalizado pelo ‘indígena’ Índio com uma gravata de dar inveja nos campeões do UFC…

Vamos lá, faltam 5 jogos, precisa ganhar 4, na melhor das hipóteses podem ser 2 vitórias, 1 derrota e mais 2 vitórias, pra não exigir uma sequência tão forte de triunfos consecutivos… não resta mais nada, nem esperança, só torcida.

Notas:

Bruno – Fez boas defesas mas ficou pregado no chão em todos os cruzamentos – 5
Artur – perdeu um gol feito, errou no lance do primeiro gol colorado – ZERO
Maurício Ramos – bastante dedicação, tirou todas por cima – 6
Henrique – pilhou, começou a bater e fazer seus lançamentos pra ninguém – 3
Leandro – nem defendeu nem atacou – 3
João Denoni – seguro, roubou várias bolas e não tem medo de se apresentar pra receber bola no sufoco – 7
Wesley – perdido, estava nítida a falta de ritmo de jogo e noção de posicionamento – 3
Marcos Assunção – não acertou nada, cobrou escanteios curtos, lento na marcação, fraco nos passes – 3
Patrik Vieira – jovem de qualidade querendo se firmar não pode perder gol que nem aquele – 3
Luan – fez o gol, marcou, atacou, tudo dentro de suas infinitas limitações – 6
Barcos – tenta de todos os jeitos, perdeu um gol feito, mas não recebeu outra bola na partida – 6

Juninho – não acrescentou nada, ficou só batendo palmas – 3
Maikon Leite – nulo – 2
Obina – nulo – 2

Gilson Kleina – tem que mudar o esquema de jogo, a defesa está uma mãe, ontem dava pra ter segurado a vitória – 3

Melhores Momentos:

FICHA TÉCNICA
INTERNACIONAL 2 X 1 PALMEIRAS

Local: Beira-Rio, Porto Alegre (RS)
Data/hora: 27/10/2012 – 16h20 (de Brasília)
Árbitro: Francisco Carlos Nascimento (AL)
Assistentes: Rodrigo Pereira Joia (RJ) e Ediney Guerreiro Mascarenhas (RJ)
Público Total/Renda: 11.339 /R$ 119.560

Cartões amarelos: Maurício Ramos, Henrique  (PAL) Josimar, Muriel, Forlán, D’Alessandro (INT)
Cartão vermelho: nenhum
Gols: Luan – 21’/1ºT (0-1) Fred – 34’/1ºT (1-1) Rafael Moura 9’/2ºT (2-1)

INTERNACIONAL: Muriel; Nei (Elton – intervalo), Rodrigo Moledo, Índio e Kleber (Fabrício – 23’/2ºT); Josimar, Guiñazú, Fred (Cassiano – 37’/2ºT) e D’Alessandro; Forlán e Rafael Moura. Técnico: Fernandão

 PALMEIRAS: Bruno; Artur, Maurício Ramos, Henrique e Leandro (Juninho – 34’/2ºT); João Denoni, Wesley (Maikon Leite – 30’/2ºT), Marcos Assunção e Patrick Vieira; Luan (Obina – 42’/2ºT) e Barcos. Técnico: Gilson Kleina.

Read Full Post »

Por: Álvaro
Editado 21/10/2012 as 11:30.

 

25

No último pós-jogo ficou a dúvida no ar: canto do Cisne ou despertar do sono? o resultado de hoje, com direito a dois gols d’El Pirata –  além do bom futebol do time como um todo – acendem de novo aquela esperança, a linha é tênue e está tracionada ao máximo, uma derrota e o mundo vira de cabeça pra baixo, mais uma vitória e quero ver quem segura. Só mais um dia normal de Palmeiras.

Fazendo uma partida de extremos, na primeira parte nada parecia capaz de levar o Palmeiras ao gol, contando ainda com uma sorte de outro mundo o time se deu ao luxo de deixar Anselmo Ramón finalizar duas cara a cara com Bruno, a primeira faz tchan o arqueiro catou pelo ‘rabo’, na segunda, só a proteção de São Marcos impediu a bola de entrar, fazendo a gorducha bater na trave e sair, o mesmo Anselmo Ramón deveria ter sido expulso pelo excesso de finalizações com o cotovelo, mandou meia dúzia de Palmeirenses pro chão. Artur teve duas vezes a ‘bola do jogo’ em seus pés e o 0x0 se manteve soberano no placar, por consequência.

Luan vinha fazendo péssima partida, o que não é lá muito anormal em se tratando dele, mas Gilson Kleina mandou o mesmo time pra segunda etapa, quando mexeu, botou os brios da equipe lá em cima, Wesley voltou. Depois de 7 meses de recuperação o meia-volante-atacante-ponta alinhou na lateral e rendeu Betinho. Este por sua vez sabia que não precisava brilhar, o Verdão ia vencer sem sua intervenção, sendo assim ele fez questão de errar só tudo. A chuteira de Barcos já estava ficando desgastada demais e era hora de trocar por uma com menos um número na contagem regressiva, aos 21′ o Pirata escorou cruzamento de Marcos Assunção e chegou aos 24 tentos no ano. Como aqui é Palmeiras, em 10 minutos ele fez questão de fazer o 25º e não deixar margem para o informante do Kfouri coloca-lo no outro lado do muro da Academia em 2013. A nau pirata agora navega em busca de mais 2 saques para bater sua própria meta.

Não tem outra opção, o Palmeiras precisa continuar vencendo e se concentrando em seus resultados, contar com tropeços dos adversários agora é suicídio. Só por hoje podemos estar satisfeitos, amanhã é outro dia. Agora vai lá na sua lista, dá um check VERDE no jogo contra o Cruzeiro, missão cumprida.

Vamos às notas:

Bruno – duas ótimas defesas quando foi exigido – 9
Artur – duas chances de marcar… bem na defesa, mal no ataque – 6
Maurício Ramos – não é o melhor zagueiro do mundo, mas é puro coração nessa reta final – 8
Henrique – defendendo vai bem, tentando ser craque metendo lançamento… – 8
Leandro – nenhum vacilo, não apoiou bem hoje, mas não ficou devendo na defesa – 7
Márcio Araújo – desempenhando seu papel de quebra galho, foi bem, deixou alguns espaços perigosos – 6
Marcos Assunção – mais uma assistência, é um herói em campo – 9
Patrik Vieira – o moleque está ficando a vontade, dribla bem e incomoda o adversário – 7
Luan – errou tudo, atrapalhou os lances de ataque e não ajudou quase nada lá atrás, chega – 4
Betinho – sabia que não precisava marcar, não gastou sua aura mística – 6
Barcos – primeiro quis resolver tudo sozinho, quando teve assistência guardou 2, craque – 10

Wesley – bem vindo de volta, quase deixou um e depois sentiu a falta de ritmo, grande personalidade em voltar nesse momento – 8
Tiago Real – sentindo a pressão, não tem jogado nada, deve estar com saudade do Joinville – 5
Obina – teve calma pra fazer a assistência do 2º gol, foi muito bem – 8

Gilson Kleina – além da boa escalação e das boas mexidas táticas, mexeu com o emocional do Barcos substituindo-o para ser ovacionado – 9

Melhores momentos:

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 2 X 0 CRUZEIRO

Local: Fonte Luminosa, em Araraquara (SP)
Data-Hora: 20/10/2012 – 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (Fifa-RJ)
Auxiliares: Dibert Pedrosa Moises (RJ) e Wagner de Almeida Santos (RJ)
Renda e público: R$ 277.420,00 / 9.873 pagantes
Cartões amarelos: Mauricio Ramos (PAL); Everton, Thiago Carvalho, Willian Magrão e Anselmo Ramon (CRU)
Cartões vermelhos: -
Gols: Barcos 21’/2ºT (1-0) e 32’/2ºT (2-0)

PALMEIRAS: Bruno, Artur, Maurício Ramos, Henrique e Leandro; Márcio Araújo, Marcos Assunção e Patrick Vieira; Luan (Obina 17’/2ºT), Betinho (Wesley 11’/2ºT) e Barcos (Tiago Real 42’/2ºT) – Técnico: Gilson Kleina.

CRUZEIRO: Fábio, Ceará, Mateus, Thiago Carvalho e Everton; Leandro Guerreiro, Marcelo Oliveira, Willian Magrão (Tinga 14’/2ºT) e Souza (Borges 30’/2ºT); Anselmo Ramon e Martinuccio (Elber 30’/2ºT) – Técnico: Celso Roth.

Read Full Post »

místico…

Por: Álvaro

O Verdão foi a Pituaçu e arrancou uma vitória suada do combalido Bahia, o Palmeiras é uma mistura de raça, sorte e sadismo, sendo que tudo pode ser ao contrário, dependendo da rodada. E agora, foi o canto do Cisne ou o despertar do sono modorrento? a próxima partida é que vai dizer alguma coisa.

Fato é que não se pode afirmar que o Palmeiras jogou bem, nem mal. Ao passo que poucas oportunidades foram criadas e só uma ou outra além do gol levaram real perigo, a defesa mostrou solidez e lucidez, sem inventar o alviverde vai bem. Um gol poderia ter sido pouco hoje, e coube a Barcos o papel de herói-vilão, assistência pro tento marcado por Betinho e displicência em grande chance perdida na segunda etapa, é aquela coisa do sadismo…

Não vai ser fácil demover a esperançosa e crente torcida da idéia da salvação, no entanto olhando a tabela de classificação e a de próximos jogos, no mínimo aparenta ser necessário um esforço hérculeo. São as 7 tarefas do Palmeiras: Cruzeiro (c), Inter (f), Botafogo (c), Fluminense (c), Flamengo (f), Atlético-GO (c), Santos (f). Não tem que escolher jogo, é ganhar tudo. Precisa marcar mais seis pontos sem o Bahia marcar sequer um para EMPATAR. Não tá fácil.

Ficou nos alfarrábios do futebol essa coisa difícil de explicar: mais um jogo decisivo que o Palmeiras se vale da vantagem com gol de Betinho. Depois de marcar no empate que sacramentou o título da Copa do Brasil 2012, o místico atacante voltou a carimbar seu nome na partida de hoje, de cabeça, aos 19′ do 1ºT depois de bela assistência de Barcos, o interminável. E foi só, difícil achar outro lance certo do atacante dos momentos fortuitos na partida.

Na segunda etapa o Bahia tentou crescer no jogo, mas a limitação técnica do elenco é tão absurda que me arrisco a palpitar na queda do time baiano caso o Palmeiras consiga realmente se salvar. Claudio Pitbull é presunção demais, ninguém pode escalar Cláudio Pitbull e sair ileso. O juizão ainda tratou de temperar o acarajé com pimenta da braba, deixando de marcar um penalti para o Palmeiras, depois do cruzamento da direita o zagueiro do Bahia meteu a mão na bola e o critério inexistente ou ineficiente fez o árbitro deixar por isso mesmo. No fim das contas a única coisa negativa do prélio de hoje foi o cartão de João Denoni, o garoto está se mostrando um bom jogador, experiência e confiança vão fazê-lo crescer muito ainda.

Vamos às notas:

Bruno – boa defesa na falta, não sai em nenhuma bola cruzada e não sabe nem fazer cera – 6
Artur – relativamente seguro na defesa, inoperante no ataque – 6
Maurício Ramos – beque de fazenda, chutou pra onde o nariz esteve apontado e não perdeu uma – 7
Henrique – é um volante mais ou menos, mas é um baita zagueiro, garantiu lá atrás com tranquilidade – 7
Leandro – estando em forma é craque perto do Juninho, não comprometeu e apareceu bem na frente – 7
Marcos Assunção – jogou no sacrifício e não conseguiu produzir nada, mas impõe respeito – 6
João Denoni – personalidade forte, marcou bem e apareceu por todos os lados do campo – 7
Patrik Vieira – discreto, mostrou certa habilidade, vai crescer mais ganhando sequencia – 6
Luan – o que ele ajuda na defesa, atrapalha no ataque, não dá – 5
Betinho – fez o que precisava fazer – 7,5
Barcos – apesar do gol perdido, vale por uns 3 jogadores – 8

Márcio Araújo – entrou pra segurar o resultado, não comprometeu – 6
Tiago Real – não produziu nada e fez umas faltas bestas perto da grande área, sentiu a pressão – 5
Obina – entrou só pra ganhar tempo – S/N

Gilson Kleina – o time está longe de ser um primor, mas mandou bem na escalação do Betinho hoje ao invés do Araújo – 7

Melhores Momentos:

FICHA TÉCNICA
BAHIA 0 X 1 PALMEIRAS

Local: Pituaçu, Salvador (BA)
Data/ hora: 17/10/2012 – 19h30
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden
Assistentes: Altemir Hausmann e Fabiano da Silva Ramires
Renda/Público: R$ 382.725,00 / 18.459 pagantes

Cartões Amarelos: Jones Carioca, Danny Morais (BAH); João Denoni, Marcos Assunção, Bruno (PAL)
Cartões Vermelhos:

GOLS: Betinho, aos 19’/1ºT (0-1)

BAHIA: Marcelo Lomba, Neto, Danny Morais, Titi, Jussandro; Fahel, Diones (Rafael – 35’/2ºT), Kleberson (Cláudio Pitbull – 18’/2ºT), Zé Roberto (Lulinha – Intervalo); Gabriel, Jones Carioca. Técnico: Jorginho

PALMEIRAS: Bruno, Artur, Maurício Ramos, Henrique e Leandro; João Denoni, Marcos Assunção, Luan e Patrick Vieira (Márcio Araújo – 30’/2ºT); Betinho (Tiago Real – 25’/2ºT) e Barcos (Obina – 44’/2ºT). Técnico: Gilson Kleina

Read Full Post »

Pé de gancho…

Por: Álvaro

O doping psicológico, fruto da troca de treinador, passou e deu lugar à depressão profunda; o time que apareceu em campo com a camisa do Palmeiras nesta noite conseguiu perder uma partida de vida ou morte sem ter ao menos criado uma real chance de gol nos 90 minutos de peleja. Tirando a torcida de campo um pouco, a posição do clube no certame nacional é completamente justificável, é realmente um dos 4 piores times desse torneio. O rival de hoje jogou com a 3ª zaga reserva e o técnico deles tem 33 anos, parece piada.

O novo treinador já tinha apresentado outros sinais de estar perdido, apesar de ter vencido 3 partidas com boas exibições, mas hoje ele passou recibo e nota fiscal. As 3 substituições feitas por Gilson Kleina configuram crime de lesão contra o Palmeiras; foi dito aqui neste espaço logo após a vitória contra o Sport que o time só precisava de 6 vitórias em 11 partidas, eis que esse número foi potencializado e agora são 6 em 9 pra talvez salvar. Pra quem ainda tem pela frente, entre outros, Inter, Cruzeiro, Fluminense e Santos, parece que não vai dar, não é?

O que resta ao Palmeiras é solucionar a complicada equação 2013: (Libertadores + Série B) x Elenco. O resultado é uma incógnita, mas o fato é que 2012 muito provavelmente terminou de maneira melancólica, em um lance que demonstrou toda a fragilidade do time, com Corrêa, Bruno e Maurício Ramos errando bizarramente ao mesmo tempo.

Depois de um primeiro tempo infértil era de se esperar que Gilson Kleina mexesse no time ainda no intervalo, mas a equipe voltou para o campo com o 11 inicial, e o camisa 11 que não consegue dar prosseguimento a uma jogada completa, protagonizou o único lance minimamente decente do Palmeiras em toda a partida, logo no início do 2º tempo Luan entortou o zagueiro e nas sequência o próprio pé, na hora da finalização meteu um gancho na bola e conseguiu errar o gol. Tudo que aconteceu daí pra frente não serve nem pra mostrar em um eventual filme “Como não praticar o ludopédio”. Nem mesmo com a ajudinha do juizão, invalidando gol legal de Deivid, o Palmeiras conseguiu aproveitar.

O gol de penalti dos curitibanos aos 43′ do segundo tempo só serviu para florear com tons de deboche a tragédia Palmeirense, mesmo o empate nessa partida era péssimo resultado. Agora o Palmeiras está a 9 pontos –  3 vitórias sem que os adversários pontuem – de EMPATAR com o primeiro clube fora da zona de rebaixamento, não tem nada que motive realmente a acreditar, é torcer por um milagre.

Que o Sr. Gilson Kleina tenha sua cabeça iluminada e mude de postura e de escalação pro próximo confronto, uma pedreira nordestina em Recife, o Náutico apesar de cambaleante tem sido soberano nos seus ‘aflitantes’ domínios.

FICHA TÉCNICA:
PALMEIRAS X CORITIBA

Estádio: Fonte Luminosa, Araraquara (SP)
Data/hora: 11/10/2012 – 21h
Árbitro: Jailson Macedo Freitas (BA)
Auxiliares:  Rodrigo Henrique Correa (RJ) e Fabiano da Silva Ramires (ES)
Cartões Amarelos: Henrique (14′ 2ºT); Willian (17′ 1ºT); Obina (28′ 1ºT); Luccas Claro (4′ 2ºT); Everton Ribeiro (16′ 2ºT); Lincoln (15′ 2ºT); Daniel Carvalho (38′ 2ºT);  Mauricio Ramos (44′ 2ºT)
Cartões Vermelhos: não houve
Gols: Deivid, 44′ 2ºT (0-1)

PALMEIRAS: Bruno, Correa, Maurício Ramos, Thiago Heleno, Leandro, Henrique (Daniel Carvalho/22′ 2ºT), João Denoni, Tiago Real (Vinícius/32′ 2ºT), Luan (Maikon Leite/12′ 2ºT), Maikon Leite e Obina. Técnico: Gilson Kleina

CORITIBA: Vanderlei; Victor Ferraz, Cleiton, Luccas Claro e Dênis Neves; Gil, Willian, Everton Ribeiro (Júnior Urso/46′ 2ºT), Rafinha e Lincoln (Thiago Primão/ 37′ 2ºT); Deivid (Marcel/44′ 2ºT). Técnico: Marquinhos Santos

Read Full Post »

Time unido, resultado excelente.

As revoluções acontecem de maneira instantânea, todos sabem o que precisa ser feito, querem que aconteça e não mais que de repente resolvem fazer acontecer. Quem acreditava piamente no Palmeiras 3 rodadas atrás? quem estava convicto que a saída de Felipão, o multicampeão, e a chegada de Gilson Kleina – quem? – transformaria o Palmeiras, faria o time ter consciência tática, organização, volume de jogo… ?

O Verdão está longe der ser uma máquina de jogar futebol, não é o caso de tirar os pés do chão e sonhar com patamares superiores, a questão é que os números não mentem, e esse time que precisava vencer 8 em 13 agora precisa de 6 em 11, fez 6 gols em 2 jogos e sofreu só 2 1 (Valeu Roger!). Podemos confiar de novo, o verdadeiro Palmeiras vai pra cima deles.

O jogo começou a toda, em 14′ El Pirata já tinha guardado dois gols, com assistência fantástica – tanto pela roubada de bola quanto pelo cruzamento preciso – de Maikon Leite no segundo. Alguém ai lembra que quando da chegada do matador argentino seu parceiro de ataque era… Maikon Leite? Gilson Kleina conseguiu em dois jogos resgatar algumas coisas interessantes desse elenco. Do 2º gol em diante o Verdão seguiu criando chances, principalmente em boas cobranças de falta de Marcos Assunção e manteve o domínio da peleja.

Pra segunda etapa a Ponte voltou motivada a estragar a festa dos mais de 30 mil Palmeirenses no “Paca”, só que o Palmeiras não estava disposto a entregar os pontos e aos 15′ – sempre ele – Marcos Assunção levou a bola dominada, bateu com mais jeito que força e ela morreu no cantinho do gol ponte-pretano, 3×0  fatura liquidada, o que viesse dai em diante seria lucro, o volume de jogo alviverde era muito bom e ainda aconteceram 2 caprichos do destino com bolas na trave, o hat-trick de Barcos e um golzinho do quase esquecido Valdívia pararam no poste. No final a defesa Verde mostrou que ainda sabe como não fazer e Rildo deixou Roger na cara de Bruno, tempos atrás o jogo estaria 0x0 e o atacante rival estufaria as redes, ontem não. Roger mandou a bola por cima do travessão e a peleja terminou com os 3×0 no placar.

Que venha o inimigo na próxima rodada, uma vitória lá no Morumbi seria de lavar a alma e encerrar de vez com a insegurança, pra cima deles Verdão!

Vamos às notas:

Bruno – 3 defesas difíceis, muito bem – 8
Artur – fez a ‘assistência’ do primeiro gol e depois se garantiu na defesa – 7
Maurício Ramos – inseguro em alguns momentos, tomou um rapa do Roger – 7
Thiago Heleno – vacilou pouco, é seguro demais – 8
Márcio Araújo – disposto, ainda erra muitos passes, não comprometeu – 7
Henrique – precisando só marcar  e entregar a bola pra alguém mais criativo vai bem – 8
Marcos Assunção – é um torcedor em campo, luta, tenta, faz gol – 9
Valdívia – bons passes, um gol incrível perdido, regular – 7
Maikon Leite – podendo só atacar vai bem, criou ótimas chances, bela assistência pro 2º gol – 8,5
Barcos – alguém precisa estar ali para marcar e ele não desperdiça gol fácil, agora são 23 – 9,5

Mazinho – pouco pegou na bola, precisa voltar a boa forma para ser o reserva do ML – 6
Daniel Carvalho – muito abaixo dos demais, não consegue entrar em forma nunca – 5
João Denone – muita personalidade, joga sério, tem futuro – 7

Gilson Kleina – não dá pra afirmar que 100% da mudança é responsabilidade dele, nem dá pra tirar mérito pela postura tática diferente, volume de jogo e principalmente coragem do time – 9

Melhores Momentos:

FICHA TÉCNICA

PALMEIRAS 3 X 0 PONTE PRETA

Local: Estádio do Pacaembu
Data/Horário: 29/9/12, às 21h
Árbitro: Guilherme Ceretta de Lima (Fifa/SP)
Assistentes: Anderson José de Moraes Coelho (CBF/SP) e Bruno Salgado Rizo (CBF/SP)

RENDA/PÚBLICO: R$ 631.140/ 29.739 pagantes
CARTÕES AMARELOS: Maikon Leite, Thiago Heleno, Maurício Ramos e Artur (PAL); Roger (PON)
CARTÕES VERMELHOS: -
GOLS: Barcos, 11’/1ºT (1-0); Barcos, 14’/1ºT (2-0) e Marcos Assunção, 14’/2ºT (3-0)

PALMEIRAS: Bruno; Artur, Maurício Ramos, Thiago Heleno e Juninho; Henrique, Marcos Assunção (João Denoni – 37’/2ºT), Márcio Araújo e Valdivia (Daniel Carvalho – 30’/2ºT); Maikon Leite (Mazinho – 28’/2ºT) e Barcos. Técnico: Gilson Kleina.

PONTE PRETA: Edson Bastos; Tiago Alves (Rildo – intervalo), Ferron e Diego Sacoman; Cicinho, Baraka, Renê Júnior, Marcinho (Ricardinho – 25’/2ºT) e Uendel; Nikão (Luan – 25’/2ºT) e Roger. Técnico: Guto Ferreira

Read Full Post »

Fez a festa…

Findo o primeiro turno o saldo é desesperador, o Palmeiras dorme hoje a última noite dos DIGNOS; aqueles mais conhecidos por não estarem na zona de rebaixamento; Outra vez o time jogou relativamente bem e perdeu, oras, voltemos a jogar mal e vencer ou, quem nos dera, ser um peixe empatar.

No primeiro tempo só deu Palmeiras e aquele medo de que se não fizesse logo o gol acabaria perdendo foi tomando de conta; quando a rede praiana finalmente estufou em belo chute de fora da área de Correa – que hoje poderia ter sido o herói da vitória – já se iam 40′ de prélio. Aquele alívio que corre nas veias depois do gol a favor logo nos foi tirado. Valdívia fez falta boba por trás e Neymar foi para a cobrança, daquela distância  não era nem pra preocupar, quanto menos pra ter sido gol. Dava pro Bruno ter chegado.

Na segunda etapa os auriverdes voltaram menos inspirados e o Santos foi ‘gostando do jogo’ e não demorou muito para Neymar bater fraco, mascado e colocado. Dava pro Bruno ter chegado. A partir daí foi que nem bater com o dedo mindinho no pé na quina da estante de cerejeira: acabou a graça. O Douradão Verdão chegava mas não marcava, Barcos sentiu o peso da camisa argentina que ainda nem teve a gola deflorada por sua cabeleira e abusou do direito de perder gols. Definitivamente a linha que separa o herói do vilão é mais estreita que a que fica embaixo das traves.

Não tem nem o que dizer, é só ir lá e fazer os gols e não tomar, não é admissível chegar na 19ª rodada com 4 vitórias.

Notas:

Bruno – piada – ZERO
João Vitor – fez o que todo mundo tem que fazer contra Neymar: bateu. Mas também jogou bem – 6
Maurício Ramos – não comprometeu – 5
Leandro Amaro – idem Maurício Ramos – 5
Juninho – parece que o time só pode jogar por ali, e desse mato não sei nem mosquito – 2
Henrique – defendendo vai bem, atacando, meldels – 5
Correa – bons passes, caiu pelos dois lados do campo, fez o gol, se salvou hoje – 7
Valdívia – nunca deu migué nem passe de 5 metros certo, quis aparecer mais que jogar – ZERO
Mazinho – ali não é a dele, ou volta a jogar mais lá na frente ou vai virar mico – 2
Barcos – hoje não fez, apesar dos bons pivôs, belos dribles, atacante que não faz, zera – ZERO
Betinho – muito nervosinho, pouca bola, deu um bom chute e tentou umas tabelas – 2

Obina – não produziu nada – 2
João Denoni – entrou sem tremer, merece mais oportunidades – 5
Vinícius – Felipão é um cara cômico às vezes – S/N

Felipão – não dá para ficar esperando os lesionados voltarem, o trem da série B chega logo depois que o da série A passa – 2

Melhores Momentos:

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 1 X 2 SANTOS

Local: Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data/hora: 25/8/2012, às 18h30
Árbitro: Guilherme Cereta de Lima (SP)
Auxiliares: Marcio Luiz Augusto e Danilo Ricardo Simon Manis (SP)
Renda e público: R$ 772.640/ 22.020 pagantes
Cartões amarelos: João Vitor, Valdivia e Maurício Ramos (PAL); Adriano (SAN)
Cartões vermelhos: -

Gols: Correa, 40′ 1º/T (1-0); Neymar, 43′ 1º/T (1-1); Neymar, 17′ 2º/T (1-2)

PALMEIRAS: Bruno; João Vitor (João Denoni, 36′ 2ºT), Leandro Amaro, Maurício Ramos e Juninho; Henrique, Correa, Valdivia e Mazinho (Obina, 24′ 2ºT); Barcos e Betinho (Vinícius 45’2ºT). Técnico: Luiz Felipe Scolari.

SANTOS: Rafael; Bruno Peres, Bruno Rodrigo, Durval e Juan; Adriano (Gerson Magrão, 33′ 2º/T), Arouca, Patito Rodríguez (Felipe Anderson, 34′ 2ºT) e P.H.Ganso; Neymar e André (Bill 39’2ºT). Técnico: Muricy Ramalho.

Read Full Post »

Older Posts »

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 44 outros seguidores