Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Goiás’

Os artilheiros da noite

Os artilheiros da noite

Duelo de alviverdes no Pacaembu com vitória do legítimo Verdão. Não víamos a hora de fazer um pós-vitória por aqui! depois de 3 derrotas em sequência e a queda mais tarde do que o correto de Gilson Kleina, finalmente o Palmeiras voltou a sentir o doce sabor de ganhar. Comandado pelo interino (atenção diretoria, é isso que Alberto Valentim é! nada de apostas!) mas com postura de time querendo provar algo a seu novo comandante. Foi assim que o Palmeiras conseguiu construir o resultado no primeiro tempo. É assim que deve ser sempre, tem que jogar todas com dedicação e vontade. O destaque negativo absoluto da partida, e do ano, é a falta de sensibilidade da diretoria em relação aos ingressos, no ano da glória do Centenário da Sociedade Esportiva Palmeiras, estádios vazios e ingressos caros… vamos avante(i).

Juninho não iniciou entre os titulares por supostamente ter sentido um desconforto na coxa, William Matheus foi em seu lugar e acabou sendo um dos improváveis protagonistas da peleja. Com duas assistências, uma em cobrança de falta e outra em arremesso lateral (!!), o lateral esquerdo foi essencial para a vitória. Apesar do primeiro gol ter sido validado de maneira irregular, não estamos em posição de dispensar o benefício.

Valdívia foi o verdadeiro camisa 10, uma característica que lhe falta é a finalização, excluido esse detalhe, o chileno arrebentou. Chamou a responsabilidade, fintou, deu excelentes passes e comandou como se deve o espetáculo, tomou a tarjeta amarilla de lei, mas dessa vez pode ter sido para voltar da Copa do Mundo (se é que volta) zerado. Com ele é Sociedade Valdívia-Palmeiras. Não podemos deixar de observar com olhar crítico a inferioridade do Goiás hoje, seja por vontade ou qualquer outro motivo, o esmeraldino goiano estava pregado, especialmente na primeira etapa. Quem achar que o Palmeiras que perdeu do Sampaio é passado pode quebrar a cara em poucos dias, as carências do elenco permanecem, as falhas da defesa não vão evaporar como que num passe de mágica…

Na segunda etapa vimos um pouco do Palmeiras dos últimos 3 jogos, alguns sustos na defesa, dificuldade contra marcação forte e imprecisão nas finalizações. Se estivesse precisando do gol nos últimos 45 minutos poderia ter nos frustrado mais uma vez.

Tanto quanto a chegada do treinador, a vinda de reforços é que vai determinar se o Palmeiras vai tentar ir pra parte de cima da tabela ou patinar contra aquela coisa horrível que começa com ‘r’. A bola continua com a diretoria, a vitória hoje foi importante para não desgarrar demais do grupo da frente, mas ainda podemos terminar a rodada na 11ª colocação. É pouco, sabemos bem da importância de não deixar para conquistar pontos no fim do torneio.

Notas:

Fábio – seguro, trouxe tranquilidade para esse período sem Prass – 8

Wendel – se não fosse a bola… – 5

Lúcio – marcou seu primeiro gol pelo clube, vestiu a braçadeira, não assustou – 8

Marcelo Oliveira – rateia um pouco, mal na saída de bola – 6

William Matheus – duas assistências, grande primeiro tempo – 8

Renato – sem muito alarde vai se firmando, bem na proteção da zaga – 7

Wesley – errou muitos passes e armou uns contra-ataques perigosos, deve estar com saudade de GK – 5

Valdívia – o dono do jogo, é outro o Palmeiras de Valdívia – 9

Leandro – menos sonolento, ainda assim abaixo da expectativa em torno dele – 6

Diogo – pareceu sem ritmo, o que é compreensível – 7

Henrique – 3 jogos, 3 gols, já igualou Arthur e passou Kahê – 8

Juninho – mal pegou na bola – S/N

Josimar – pra quem achava que Gilson Kleina não deixaria sequelas – 6

Chico – importante a entrada do garoto, se portou bem e procurou o jogo – 7

Melhores Momentos:

 

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 2 X 0 GOIÁS

Data e horário: 10/5/2014, às 18h30
Local: Pacaembu, em São Paulo (SP)
Árbitro: Felipe Gomes da Sila (ASP-FIFA/RJ)
Assistentes: Fabrício da Silva (FIFA/GO) e Cristhian Sorence (GO)
Público e Renda: 6.454 pagantes / R$ 270.527,50
Cartões Amarelos: Fábio, Lúcio, Wesley e Valdívia (PAL); Amaral, Alex Alves, Edson e Jackson (GOI)

GOLS: Lúcio, aos 14’/1ºT (1-0); Henrique, aos 31’/1°T (2-0)

PALMEIRAS: Fábio; Wendel, Lúcio, Marcelo Oliveira e William Matheus; Renato, Wesley (Josimar, 41’/2ºT) e Valdivia; Diogo, Leandro (Chico, 32’/2ºT) e Henrique (Juninho, 42’/2ºT). Técnico: Alberto Valentim.

GOIÁS: Renan; Vitor (Esquerdinha, intervalo), Jackson, Alex Alves e Lima; Amaral, David, Thiago Mendes e Ramon ; Araújo (Léo Bonatini, intervalo) e Erik (Danilo, 18’/2ºT). Técnico: Ricardo Drubsky.

Read Full Post »

Palmeiras 1 x 2 Goiás

Por Álvaro.

Com um enredo que já se torna velho conhecido da torcida do Palmeiras, mais uma chance de título perdida de forma dramática e inacreditável.

O Palmeiras começou pressionando e chegou a abrir 1×0 com Luan, mas num passe errado de Kléber no meio-campo o Goiás conseguiu uma falta mal marcada por Héber Roberto Lopes e chegou ao gol depois de um bate-rebate na área, com direito a gol contra de Tinga e tudo. 1×1 e fim de primeiro tempo.

Querendo só segurar e irreconhecível no segundo tempo, o Palmeiras acabou por tomar a virada, 2×1 – num cruzamento de Marcão, ajeitado por Rafel Moura e concluído de cabeça por Ernando. Fim de jogo, fim do sonho do título e mais que tudo, fim do ano (mais um perdido) para o Palmeiras.

Vou me permitir uma declaração pessoal, que poderia ser dita por qualquer um dos 38.000 presentes no Pacaembu ou pelos outros milhões de torcedores que não estiveram presentes no vexame de hoje: a torcida do Palmeiras não merece essa mediocridade, ano após ano, não muda absolutamente nada.

Read Full Post »

Trazendo de Goiânia a vantagem de 1×0 construída no jogo de ida com o foguete de Marcos Assunção, o Palmeiras vai à campo tentando alcançar sua primeira final sul-americana em 10 anos. Eis as informações da decisão:

Horário e local: Quarta-feira, 24/11, às 21:50, no Estádio do Pacaembu.

Árbitro: o apito ficará por conta de Heber Roberto Lopes. Seu histórico recente mostra equilíbrio, com 6V / 3E / 5D:

2010 – 2×0 Atl-MG (casa – SA); 3×0 Vitória (casa – SA); 0x1 Corinthians; 1×0 Prudente (fora); 2×3 Cruzeiro (casa);

2009 – 2×1 Vitória (casa); 0x0 São Paulo (fora); 2×2 Corinthians (casa); 0x2 Grêmio (fora).

2008 – 5×2 Cruzeiro (casa); 1×1 Figueirense (casa); 1×0 Cruzeiro (fora); 0x1 Grêmio (casa); 0x1 Botafogo (casa).

Desfalques: Valdivia e Marcos lesionados.

Palpite IPE: a escalação não terá surpresas, sendo a mesma que venceu o jogo de ida com Deola; M. Araújo, Danilo, M. Ramos e Gabriel Silva; Edinho, M. Assunção, Tinga e Lincoln; Luan e Kléber.

Destaques/Goiás: Já rebaixado no campeonato brasileiro, o Goiás vem com força máxima para o confronto e aposta todas as fichas neste jogo par salvar o ano.

Último confronto no local do jogo: é a primeira vez na história que Palmeiras e Goiás se enfrentam no Pacaembu.

Última vitória em SP: foi pelo returno do BR-2010 – 3×2 – com gols de Tinga, M. Araújo e Dinei.

Última derrota em SP: foi um 3×1, pela rodada 32 do Brasileiro-2006.

Histórico: o Palmeiras tem ampla vantagem nos confrontos.

GERAL EM MATA-MATA
J V E D GP GC J V E D GP GC
43 24 9 10 64 47 3 1 2 0 3 2

O IPE se lembra: Copa do Brasil 2004, após 2 empates em 1×1, a vaga foi decidida nos penaltis e o Palmeiras avançou. Deixem suas memórias desse e de outros confrontos contra os goianos nos comentários!

Read Full Post »

4º gol de Marcos Assunção na Sulamericana

Em um jogo de muitas faltas e pouca qualidade técnica o Palmeiras conseguiu um resultado excelente para suas pretensões Sulamericanas, foi ao Serra Dourada e buscou a vitória pelo placar mínimo – mais uma vez através dos pés de Marcos Canhão Assunção.

No início o Palmeiras parecia mais organizado e atacava enquanto o Goiás ainda tentava entender o que estava acontecendo ali,  mas depois dos dez minutos iniciais a partida ficou mais equilibrada e os jogadores menos em pé. O árbitro da partida – Evandro Rogério Roman, poderia ter expulsado o ex-gato Carlos Alberto ainda no primeiro tempo, mas preferiu manter o jogo truncado e sem grandes chances de gol para nenhum dos lados. O Palmeiras ainda teve algumas chances na primeira etapa – sempre em cobranças de falta de Marcos Assunção, mas o jogo foi para o intervalo com o placar  zerado.

Logo aos três minutos do segundo tempo, em jogada individual livre de marcação – Marcos Assunção acertou um pombo-sem-asa de direita, do meio da rua, que foi morrer na rede do goleiro Harlei, um golaço-aço-aço, euforia no Serra Dourada completamente verde. Depois daí o Palmeiras apresentou um comportamento já velho conhecido da torcida: recuou. O Goiás tentava mas pouco produzia com bolas alçadas na área. Uma chance para o Verdão legítimo em contra-ataque com Kléber e mais nada.

Para fechar a partida o Goiás fez um gol, muito bem anulado pelo assistente Márcio Santiago, que gerou muita revolta por parte do time do cerrado. Fim de jogo, resultado pra Palmeirense nenhum botar defeito, apesar do futebol todo defeituoso.

Copeiro e peleador, cada vez mais adequado ao padrão Felipão de conquistas, o Palmeiras vai avançando na Sulamericana, com resultados bons fora de casa e sempre se garantindo em seus domínios; e o ano que parecia perdido vai resultando em uma iminente final internacional, quem apostaria nisso depois do Paulistão 2010? Agora é matar o Goiás no Pacaembu e que venha o adversário da Final. O primeiro jogo entre LDU x Independiente é amanhã – 18/11 – no Equador, às 22:30 (Brasília). Quem vocês preferem enfrentar em caso de chegar até a grande decisão? Deixem nos comentários as suas avaliações do jogo e opiniões!

FICHA TÉCNICA:
Goiás 0 x 1 Palmeiras
Estádio: Serra Dourada em Goiânia – GO
Árbitro: Evandro Rogério Roman
Auxiliares: Rogério Braatz e Márcio Santiago
Público: 14.129 pagantes. 
Renda: R$ 274.480,00
Cartões Amarelos: Carlos Alberto e Douglas (Goiás); Gabriel SIlva e Edinho (Palmeiras)
Gols: Marcos Assunção, aos 3min do segundo tempo.
Goiás: Harlei, Rafael Toloi, Ernando (Everton Santos) e Marcão; Douglas, Carlos Alberto, Amaral, Marcelo Costa e Wellington Saci; Felipe (Otacílio Neto) e Rafael Moura. Téc. Artur Neto
Palmeiras: Deola; Márcio Araújo, Danilo, Maurício Ramos e Gabriel Silva; Edinho, Marcos Assunção, Tinga (Leandro Amaro) e Lincoln (Pierre); Luan e Kleber. Téc. Luiz Felipe Scolari

 

Read Full Post »

Abrindo sua primeira semifinal sulamericana desde 2001, o Palmeiras tem pela frente um Goiás que pela primeira vez chega tão longe em competições internacionais. Confira a seguir os detalhes da partida:

Horário e local: Quarta, 17/11, às 21:50, no Estádio Serra Dourada

Árbitro: será Evandro Rogério Roman (PR), cujo histórico em jogos do Palmeiras é turbulento, especialmente pelos jogos contra Cruzeiro e o próprio Goiás ano passado:

2010 – 2×0 Inter (c); 0x3 Atlético-GO (c);
2009 – 3×0 Avaí (f); 1×2 Goiás (f); 2×1 Cruzeiro (f)
2008 – 1×1 Atlético-MG (f); 2×0 Vasco (f)

Desfalques: Valdivia e Rivaldo, lesionados.

Palpite IPE: o Palmeiras entra em campo com Deola; Márcio Araújo, Danilo, Maurício Ramos, Gabriel Silva; Edinho, Marcos Assunção, Tinga, Lincoln; Luan, Kléber.

Destaques/Goiás: praticamente rebaixado no Brasileiro, o Goiás, ao contrário do Atlético-MG, encara a Sul-Americana como prioridade – deve até poupar jogadores contra o Santos no fim de semana. O time não tem desfalques para a partida de amanhã.

Último confronto no local do jogo: no primeiro turno do Brasileiro-2010, empate por 1 a 1 (Ewerthon; Amaral)

Última vitória no local do jogo: foi um 3 a 1 pelo Brasileiro-2006, quando o Palmeiras ainda estava na zona de rebaixamento (Nen, Paulo Baier, Edmundo; Souza).

Última derrota no local do jogo: na 600ª partida de Harlei pelo Goiás, no Brasileiro-2009, o Palmeiras saiu na frente, mas levou a virada a partir de um pênalti muito contestado (Diego Souza; Léo Lima, Bruno Meneghel). O árbitro era exatamente Evandro Roman.

Histórico: o retrospecto já foi mais favorável ao Palmeiras, mas ainda é amplo.

GERAL   PARTIDAS EM MATA-MATA
J V E D GP GC   J V E D GP GC
42 23 9 10 68 47   2 0 2 0 2 2

O IPE se lembra: na única vez em que o Palmeiras disputou um jogo de mata-mata em Goiânia, trouxe um empate por 1 a 1 pela Copa do Brasil 2004. Naquela ocasião, os gols foram marcados por Rodrigo Tabata e Vágner Love.

Read Full Post »

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 42 outros seguidores