Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Grêmio’

De doer…

Continuando o calvário que a cada rodada nos dá a certeza de que a série B2013 é inevitável, o Palmeiras, mesmo com um jogador a mais em campo desde os 16 do primeiro tempo, não saiu do zero contra o Grêmio.

A partida foi um retrato típico de como o lado psicológico pode afetar o desempenho de uma equipe. O Palmeiras teve total domínio das ações, com posse de 2/3 do tempo de bola rolando, mas não conseguiu transformar a visível superioridade em vitória.

Pior: não conseguiu traduzir esse domínio em chances claras de gol. O maior tempo de bola no pé se resumiu a chutes de longa distância, chuveirinhos para a área e um lance isolado de Barcos, que para encerrar a noite com um toque de crueldade, parou na travessão.

Mais uma vez o que vimos foi o Palmeiras superior ao adversário, mas sem poder para matar a partida. Este problema passa por uma série de fatores, desde o já citado lado psicológico, até a falta de um meia que jogue (regularmente) de cabeça erguida, organizando o jogo e criando jogadas de efetivo perigo.

A situação só piora quando observamos o desempenho dos adversários diretos (no momento: Sport, Coritiba e Bahia). Hoje, na melhor das hipóteses, precisamos de 2 rodadas “perfeitas” para sairmos da ZR. Na prática, sabemos que isso dificilmente acontecerá, justamente porque tudo tem conspirado contra, independente dos 10 pontos tungados pela arbitragem.

Avaliações

- Bruno: teve pouco trabalho e não comprometeu – 5

- Artur: foram dele os chutes de longa distância que levaram algum perigo a meta gremista no primeiro tempo – 5,5

- M.Ramos e T.Heleno: com os dois em campo o sistema defensivo visivelmente ganha em solidez – 7

- Juninho: é um caso de estudo. Geralmente os jogadores sentem o peso da camisa ao chegarem no clube. Este parece estar sentindo o peso quase 1 anos após ter chegado – 4

- Henrique: é excelente na função de proteção da zaga e na saída de jogo. O problema é quando precisa chegar ao ataque e criar, pois não é a dele – 6

- Araújo: só de não ter aprontado das suas já está valendo – 5

- J.Vitor: idem ao Araújo – 5

- Thiago Real: chegou numa fogueira danada e mostrou personalidade para estar em campo. Com a bola no pé não acrescentou muito. Aguardemos os próximos capítulos – 6

- Luan: a mesma vontade e vergonha na cara de sempre, que em muitos momentos compensam a fatal de técnica – 5,5

- Barcos: dá dó vê-lo isolado nesta equipe, lutando da forma que pode para criar alguma coisa em um lance individual – 7,5

- Corrêa: pelo menos esse sabe cruzar, diferente de todos os laterais que passaram pelo Palmeiras nos últimos 10 anos – 5,5

- Maikon Leite: entrou, deu um chute no gol e errou todo o resto – 4

- Mazinho: em um jogo onde o principal artifício foram as bolas alçadas na área, me parece que a melhor alternativa teria sido colocar o Obina – 5

- Felipão: em termos de esquema de jogo não há muito mais a se fazer. A equipe não vem jogando mal, mas falta o poder de transformar a superioridade em gols, o que não pode ser totalmente creditado a ele – 6

Melhores Momentos

Ficha técnica

PALMEIRAS 0 X 0 GRÊMIO

PALMEIRAS: Bruno; Artur (Corrêa), Thiago Heleno, Maurício Ramos e Juninho; Henrique, João Vítor, Márcio Araújo (Maikon Leite) e Tiago Real; Luan (Mazinho) e Hernán Barcos
Treinador: Luis Felipe Scolari

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Naldo, Werley, Pará e Ânderson Pico; Souza, Fernando, Zé Roberto (André Lima) e Marco Antônio (Marquinhos); Marcelo Moreno (Léo Gago) e Kléber
Treinador: Vanderlei Luxemburgo

Cartões amarelos
PALMEIRAS: Luan, Tiago Real, Maikon Leite e Corrêa
GRÊMIO: Kléber, Marcelo Moreno, Naldo, André Lima e Ânderson Pico

Cartões vermelhos
GRÊMIO: Kléber

Árbitro
Sandro Meira Ricci (DF)

Local
Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)

Read Full Post »

A água bateu, o desespero tomou conta e as perspectivas são as mais sombrias possíveis. Resumindo, o Palmeiras voltou a ser o Palmeiras dos últimos 10 anos. Daqui para frente são 18 decisões com um único objetivo: terminar o BR em décimo sexto.

Horário e local: sábado, 01/09, as 18:30, no Pacaembu (PPV).

Árbitro: será Sandro Meira Ricci (PE), cujo histórico registra 9 jogos, sendo 3V/2E/4D:

2012 – 1×2 Atl-GO (BR,f) / 1×1 Coritiba (CB,f)

2011 – 3×2 Atl-MG (BR,c)

2010 – 1×1 Goiás (BR,f) / 0×1 Atl-GO (CB,f)

2009 – 3×1 Atl-MG (BR,c) / 0×2 Flamengo (BR,c) / 2×3 Vitória (BR,f)

2008 – 2×1 Atl-PR (BR,f)

Desfalques/Reforços: Wesley, Assunção, Fernandinho, D.Carvalho, Patrik e Román continuam entregues ao DM. Luan e Artur, que já treinam fisicamente, devem retornar. Valdivia tomou o terceiro amarelo e desfalca a equipe mais uma vez. Maurício Ramos volta de suspensão. O meia Thiago Real será apresentado ainda hoje e pode ser que apareça entre os relacionados.

Pendurados: Araújo, D.Carvalho, Obina e Barcos. Próxima partida: Sport (casa).

Previsão IPE: Bruno; Artur, M.Ramos, T.Heleno e Juninho; Henrique, Corrêa, Luan e Mazinho; Obina e Barcos.

Bola verde IPE: Artur, com média 5,5.

Destaques/Grêmio: Júlio César, Vílson e Fábio Aurélio ficam de fora, lesionados. Elano se recupera de lesão e a tendência é que também fique de fora. Leandro recebeu o terceiro amarelo e está suspenso. Luxemburgo deve repetir a escalação que derrotou o Vasco na última rodada, indo a campo com Marcelo Grohe; Anderson Pico, Naldo, Werley e Pará; Souza, Fernando, Marquinhos e Zé Roberto; Kleber e Marcelo Moreno.

Ex-palmeirenses no Grêmio: o atacante Kleber.

Palpite IPE: 1×0, gol de Betinho.

Último confronto no local do jogo: faz bastante tempo que não enfrentamos o Grêmio no Pacaembu. A última delas foi em jogo válido pela CB1993 – 1×1 – gols de Edmundo (PAL) e Gílson (GRE).

Última vitória no local do jogo: no Pacaembu, foi pelo BR1987 – 2×1 – gols de Lino e Henrique (contra) para o Palmeiras, e Cuca para o Grêmio.

Última derrota no local do jogo: o Palmeiras jamais perdeu para o Grêmio no Pacaembu (medo!!). Em 10 partidas disputadas no estádio municipal, 8 vitórias e 2 empates.

Histórico: no retrospecto geral, uma lavada. No brasileiro, equilíbrio.

GERAL CAMPEONATO BRASILEIRO
J V E D GP GC J V E D GP GC
80 30 33 17 116 86 44 18 10 16 57 39

O IPE se lembra: pelo BR1995 o Palmeiras recebeu o Grêmio no Palestra (que saudade!!) e venceu com facilidade – 3×0 – gols de Rivaldo (2) e Edílson.

Read Full Post »

Magia verde

A espera acabou. Após 14 anos, o Palmeiras está novamente na decisão da Copa do Brasil. E o enredo desta noite não poderia ter sido diferente. Faltas duras, agressões, expulsões e erros da arbitragem. No melhor estilo anos noventa, Palmeiras e Grêmio travaram uma verdadeira batalha na encharcada Arena Barueri. No final, ficou provado que nem mesmo um Imortal é páreo para a fúria de um Titã.

Ambas as equipes entraram tensas em campo. Com Valdivia no banco e Assunção vetado no vestiário, o Palmeiras teve grande chance logo aos dois minutos de jogo. Em jogada de Juninho e Mazinho pela esquerda, D.Carvalho ficou a milímetros de completar cruzamento rasteiro.

Entretanto, o começo animador não deu o tom do que seria o primeiro tempo. Abusando do direito de jogar com o regulamento, o Palmeiras mais se preocupava em não deixar o Grêmio jogar do que em se impor em campo. A tática não deu certo, e a insistência em chutar a bola para o lado que estava virado quase fez com que o Palmeiras saísse de campo no primeiro tempo em desvantagem no placar. Bruno foi exigido algumas vezes, e Artur tirou em cima da hora o lance que poderia ter dado a Kleber o gosto de marcar contra o ex-clube.

Na segunda etapa, o Grêmio voltou mais ofensivo, com Rondinelly no lugar de Souza, mas a mudança pouco alterou o panorama da partida. Aos quinze minutos, Luxemburgo decidiu ir para o tudo ou nada e tirou Marco Antonio para a entrada de André Lima. Felipão então respondeu com a entrada de Valdivia no lugar de D.Carvalho.

As mexidas deram certo primeiro para o Grêmio. Em lance de bola parada, o lançamento para dentro da área passou por todo mundo e pingou na frente de Bruno. O arqueiro não conseguiu segurar a bola molhada e Fernando completou no rebote – 1×0 – e um verdadeiro filme de terror passando na cabeça do torcedor palestrino.

Foi então que entrou em cena o astro da noite. Saído do banco de reservas e carregando nas costas toda a expectativa sobre seu desempenho após o sequestro relâmpago que sofreu, Valdivia botou a bola debaixo do braço e resolveu a partida. Em jogada que o próprio inciou no meio de campo, Juninho recebeu passe, avançou e tocou rasteiro para trás. O chileno chegou completando para as redes e saiu alucinado em direção à Felipão. 1×1 – gol e vaga na final.

O que se viu depois disso foi um Grêmio sem controle emocional. Primeiro, como não poderia deixar de ser, Kleber agrediu Artur de forma covarde, por trás, e o confuso e gesticulador árbitro mineiro apenas aplicou cartão amarelo. Na sequência, Rondinelly parou com carrinho por trás grande jogada de Barcos e foi expulso. Na queda, Edílson atropelou intencionalmente o argentino, e o tempo fechou.

Henrique foi para cima do lateral gremista para tirar satisfação e tomou um soco na cara. O árbitro, que acompanhava de perto a confusão, não teve dúvida e expulsou o gremista.

Empurra empurra, bate-boca, e então entrou em cena o bandeira, Sr. Márcio Eustáquio. Inconformado, o auxiliar chamou o árbitro nada menos do que 3 vezes à beira do gramado e praticamente exigiu a expulsão de Henrique. Sabe-se lá o que eles conversaram, ou o recado que receberam no rádio, e Henrique acabou expulso. O pior desfalque que a arbitragem poderia ter imposto ao Palmeiras. Coisa que já estamos “acostumados” a ver…

Jogo encerrado e vaga na final. O Palmeiras agora tem pela frente duas rodadas para tentar se reerguer no Brasileiro, com direito a semana livre para treinos e descanso, já que a primeira partida da final será somente dia 04 de julho. É hora de comemorar, mas com moderação. Domingo tem Dérbi.

- Bruno: seguro em todas as vezes que foi exigido. Com bola e campo encharcados, e a bola do jeito que veio, não pode ser totalmente culpado pelo gol – 6,5

- Artur: partida segura e sem sustos. Livrou o time de tomar um gol no primeiro tempo. Mostrou não tremer em jogo importante – 8

- M.Ramos: falhou bisonhamente e foi salvo por Artur, no mais fez uma partida discreta – 7,5

- T.Heleno: incrível como a zaga ficou mais sólida depois que voltou – 8,5

- Juninho: foi bem nos cruzamentos, não comprometeu na zaga, e deu passe para o gol de Valdivia – 8,5

- Henrique: mais uma partidaça. Sua expulsão foi uma vergonha sem tamanho – 8,5

- Araújo: não pode jogar decisões. Inseguro, errou muitas saídas de bola e passes fáceis. Sem Henrique, teremos mais 90 minutos de sofrimento na final – 4

- J.Vitor: idem ao M.Araújo, mas se for para escolher entre os dois, é o titular – 5

- D.Carvalho: quase abriu o placar aos 2 minutos e depois apagou – 6

- Mazinho: muito bem no jogo, não se intimidou com o clima hostil da partida e nem com a condição ruim do gramamdo. Jogador de ataque mais agudo da equipe – 9

- Barcos: segurou a bola no ataque, lutou, foi pra cima, incomodou. Excelente partida – 8,5

- Valdivia: entrou e decidiu – 10

- L.Amaro: entrou e não se ouviu falar seu nome. Fica sem nota.

- Patrik: só entrou para gastar tempo. Também fica sem nota.

- Felipão: com ele e Luxemburgo à beira do gramado a partida não poderia ter sido diferente. Parece ter superado toda a pressão, polêmicas e fofocas do dia-a-dia do clube e tomou as rédeas da equipe. O grupo assimilou sua proposta e tem se doado ao máximo. Mostra que ainda tem lenha para queimar e cartadas na manga – 8

- Arbitragem: confuso, cheio de gestos e caretas, o árbitro irritou demais os jogadores de ambas as equipes. Não tem autoridade nenhuma, a ponto de se deixar levar pela insistência de um auxiliar e expulsar um jogador 5 minutos depois de um lance que o próprio árbitro acompanhou à uma distância não maior do que 5 metros. Impressionante. E olha que o sujeito tem escudo FIFA…

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 1X1 GRÊMIO

Local: Arena Barueri, Barueri (SP)
Data/hora: 21/6/2012 – 21h (de Brasília)
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (Fifa-MG)
Auxiliares: Márcio Eustáquio S. Santiago (Fifa-MG) e Guilherme Dias Camilo (MG)

GOLS: Fernando, 21′/2°T (0-1) e Valdivia, 27′/2°T (1-1)
Público e renda: 26.225 / Não disponível
Cartões amarelos: Gilberto Silva e Pará (Grêmio); Daniel Carvalho e Barcos (Palmeiras)
Cartões vermelhos: Edilson e Rondinelly (Grêmio); Henrique (Palmeiras)

PALMEIRAS: Bruno; Artur, Maurício Ramos, Thiago Heleno (Leandro Amaro, 40′/2°T) e Juninho; Henrique, Márcio Araújo, João Vitor (Patrik, 47′/2°T), Daniel Carvalho (Valdivia, 15′/2°T) e Mazinho; Barcos. Técnico: Luiz Felipe Scolari.

GRÊMIO: Victor, Edilson, Werley, Gilberto Silva e Pará; Fernando, Souza (Rondinelly, intervalo), Léo Gago e Marco Antônio (André Lima, 15′/2°T); Kleber e Marcelo Moreno (Miralles, 23′/2°T). Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

Read Full Post »

Com a vantagem de 2×0 construída no jogo de ida em Porto Alegre, o Palmeiras recebe o Grêmio pela partida de volta de semi-final da Copa do Brasil 2012 podendo até perder por 1 gol de diferença, que estará na final. A vantagem é muito boa, mas nada está ganho. Cabe ao Palmeiras entrar em campo focado para ratificar a classificação, em jogo que provavelmente será ainda mais duro do que a primeira partida.

Horário e local: Quinta-feira, 21/06, as 21:00, na Arena Barueri (Sportv/ESPNbr)

Árbitro: será Ricardo Marques Ribeiro (MG), cujo histórico registra 5 jogos, com 2V/1E/2D:

2012 – 2×0 Atl-PR (CB, c)

2011 – 1×2 Figueirense (BR, c) / 0×0 Grêmio (BR, c)

2009 – 1×0 Fluminense (BR, c)

2008 – 0×2 Coritiba (BR, f)

Desfalques/Reforços: Valdivia está recuperado das dores no joelho e deve ir para o jogo. Assunção e Artur estão em tratamento de lesões mas não preocupam e também devem ficar à disposição. Luan rompeu o músculo posterior da coxa e ficará de fora por pelo menos 6 semanas.

Pendurados: Cicinho, João Vitor e Assunção. Próxima partida: se avançarmos, será o vencedor de Coritiba x SPFC.

Previsão IPE: Bruno; Cicinho, M.Ramos, T.Heleno e Juninho; Henrique, Assunção, J.Vitor, Valdivia e Mazinho; Barcos.

Destaques/Grêmio: O zagueiro Werley e o volante Souza são dúvida, mas apenas o primeiro deve ficar de fora. Luxemburgo deixou no ar a possibilidade de jogar no 4-3-3 e até testou a formação contra o Náutico, no último domingo. Se optar pelos 3 atacantes, Souza deverá dar lugar a Miralles. A provável escalação deverá ter Vitor; Edílson, Vílson, Gilberto Silva e Pará; Fernando, Léo Gago, Souza (Miralles) e Marco Antonio; Kleber e Marcelo Moreno.

Ex-palmeirenses no Grêmio: o atacante Kleber.

Palpite IPE: 2×1 – o Palmeiras abre o placar com Valdivia, o Grêmio empata com Marcelo Moreno e Mazinho dá números finais à peleja.

Último confronto em SP: foi pelo BR2011 – 0×0 – no Canindé.

Última vitória em SPfoi pelo BR2010, na despedida do Estádio Palestra Itália – 4×2 – gols de Ewerthon (2), Cleiton Xavier e M.Ramos para o Palmeiras, e Jonas e Hugo para o Grêmio.

Última derrota em SP: foi pelo BR2008 – 0×1 – gol de Tcheco, na partida em que Marcos enlouqueceu e foi jogar de atacante. Vale lembrar que o Grêmio só venceu o Palmeiras em SP duas vezes em toda história.

Histórico: a vantagem é palestrina.

GERAL COPA DO BRASIL
J V E D GP GC J V E D GP GC
79 33 29 17 115 85 7 2 4 1 11 8

O IPE se lembra: em 1996, também pela fase semi-final da Copa do Brasil, o Palmeiras recebeu o Grêmio na partida de ida e construiu a vantagem para a partida de volta – 3×1 – gols de Muller, Djalminha e Rivaldo (PAL), e Paulo Nunes (GRE).

Read Full Post »

Messi Black calando o Olímpico

Com uma apresentação praticamente irretocável na parte defensiva e jogando com o regulamento debaixo do braço, o Palmeiras volta da capital gaúcha trazendo não só a vitória e os dois gols marcados fora de casa. Traz também a moral resgatada, de um clube que jamais deixará de ser um gigante do futebol, por mais que forças alheias façam de tudo para manchar essa história.

A impressão que fica da partida de hoje é justamente a de que o Palmeiras tem focado muita energia e atenção nos assuntos errados. Torcida, dirigentes, jogadores e técnicos parecem se preocupar demais com todo o resto que envolve o futebol ao invés de olharem para si mesmos.

O Palmeiras nunca precisou de ajuda de arbitragem ou bastidor pois sempre ganhou na bola. O que falta ao Palmeiras é resgatar essa confiança. A confiança e segurança de que, dentro de campo, basta ao Palmeiras ser Palmeiras, pois o resto, nossa tradição, raízes e história se encarregam de contar.

A partida começou tensa para as duas equipes. O Palmeiras foi a campo em um surpreendente 3-5-2, com Artur preso à marcação, Henrique jogando de líbero e Márcio Araújo no banco (até que enfim). Já o Grêmio, apostava em Kleber e um Olímpico lotado.

Mais preocupados em não tomar gol, Palmeiras e Grêmio fizeram um um primeiro tempo de poucas chances de gol, muita marcação e pouca emoção. O Grêmio foi levemente superior, teve mais a bola no pé, mas não assustou a zaga verde.

A bola pouco chegava ao ataque palmeirense, e quando chegava, era recuperada pelo Grêmio com facilidade. Barcos pouco apareceu na primeira etapa, muito pelos insistentes (e irritantes) erros de Marcos Assunção na saída de bola, bem como pela atuação sofrível de Daniel Carvalho.

Na segunda etapa, o panorama se manteve o mesmo do primeiro tempo até os 15 minutos. As entradas de Marcelo Moreno, André Lima e Rondinely deram mais volume ofensivo ao Grêmio, mas também fizeram surgir mais espaços para o Palmeiras. A partida ganhou em emoção, com chances um pouco mais agudas para ambos os times.

Aos 40 minutos, Felipão resolveu mexer na equipe, tirando um inoperante Daniel Carvalho para a entrada de um iluminado Mazinho, que com apenas 1 minuto em campo recebeu passe açucarado de Cicinho (!) para silenciar os 45mil gremistas presentes no Olímpico.

Não satisfeito, o Palmeiras mau permitiu que o Grêmio se reorganizasse e fez o segundo, com Barcos, após bom cruzamento de Juninho.

Vitória importantíssima, alívio e esperança. Uma noite para o torcedor palestrino não esquecer tão cedo.

- Bruno: foi muito bem quando exigido – 8

- Artur: perfeito na marcação, jogou mais como zagueiro do que lateral – 7,5

- M.Ramos: discreto e com poucas faltas, foi bem – 7,5

- Henrique: atravessa grande fase, e arrisco dizer que neste momento volta a merecer atenção de Mano Menezes. Melhor em campo – 9

- T.Heleno: anulou Kleber no primeiro tempo e trocou de lado com M.Ramos depois que tomou o amarelo. Boa partida – 8

- J.Vitor: Mais preso a marcação, fez uma partida tranquila – 7

- Assunção: errou praticamente todos os passes no primeiro tempo, devolvendo a posse de bola ao Grêmio constantemente.  Melhorou de leve na segunda etapa mas não o suficiente para escapar de ter sido o pior em campo – 4,5

- D.Carvalho: praticamente atrasou todas as jogadas em que participou, errou passes e nada produziu ofensivamente – 5

- Luan: um monstro na disposição e aplicação tática. Pena que lhe falta técnica – 7

- Barcos: no primeiro tempo não conseguiu segura a bola no ataque. Teve três boas chances e deixou o dele – 8

- Cicinho: um passe redentor para o gol de Mazinho após um longo período de atuações pífias – 7,5

- Mazinho: entrou para fazer o gol mais importante de sua carreira até agora – 8

- Felipão: pode-se acusá-lo de muitas coisas, menos de omisso. Nesse ponto, queimou a língua do editor que vos escreve. A vitória de hoje teve a cara dele. Desde a escalação surpreendente, até as mexidas com a estrela de um técnico de alma vencedora – 8,5

FICHA TÉCNICA
GRÊMIO 0 x 2 PALMEIRAS

Local: Olímpico, Porto Alegre (RS)
Data/Hora - 13/06/2012 – 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Héber Roberto Lopes (Fifa-PR)
Auxiliares: Carlos Berkenbrock (Fifa-SC) e Fabrício Vilarinho da Silva (Fifa-GO)

Cartões amarelos: Thiago Heleno, Marcos Assunção e João Vitor (PAL)
Cartões vermelhos: nenhum
Renda e público: R$ 1.080.106,00 / 43.508 pagantes

GOLS: Mazinho, 42′/2ºT (0-2); Barcos, 45′/2ºT (0-2);

GRÊMIO: Victor; Gabriel, Gilberto Silva, Werley e Pará; Fernando, Souza, Léo Gago e Marco Antônio (Rondinelly, 30′/2ºT); Miralles (Marcelo Moreno, 15′/2ºT) e Kleber (André Lima, 15′/2ºT). Técnico: Vanderlei Luxemburgo

PALMEIRAS: Bruno, Maurício Ramos, Henrique e Thiago Heleno; Artur (Cicinho, 19′/2ºT), João Vitor, Marcos Assunção, Daniel Carvalho (Mazinho, 40’2ºT) e Juninho; Luan e Barcis. Técnico: Luiz Felipe Scolari

Read Full Post »

Chegou a hora de mais uma decisão, e o cenário para o Palmeiras não é surpresa para a própria torcida. Time mal das pernas, boatos cada vez mais frequentes sobre a insatisfação do elenco com o técnico, e agora todo o imbroglio envolvendo Valdivia. Para o Palmeiras, o jogo vale muito mais do que a “simples” classificação à final. Vale também o destino do clube em 2012/2013, e a esperança que resta à torcida é de que o Palmeiras ressurja das cinzas, fazendo valer toda sua tradição de superação e conquistas.

Horário e local: Quarta-feira, 13/06, as 21:50, no Estádio Olímpico (Band/Sportv/ESPNbr)

Árbitro: será Heber Roberto Lopes (PR), cujo histórico registra, desde 2001, 35 jogos com 14V/8E/13D. O histórico detalhado dos últimos 3 anos é:

2011 – 3×1 Vasco (SA, c) / 0×1 Fluminense (BR, f) / 0×2 Ceará (BR, f)

2010 – 1×2 Goiás (SA, c) / 0×1 Corinthians (BR, f) / 1×0 Grêmio Prudente (BR, f) / 2×3 Cruzeiro (BR, c) / 3×0 Vitória (SA, c)

2009 – 0×2 Grêmio (BR, f) / 2×2 Corinthians (BR, n) / 0×0 São Paulo (BR, f) / 2×1 Vitória (BR, c)

Desfalques/Reforços: Valdivia negocia sua saída do clube, e de qualquer maneira não poderia atuar pois está suspenso. Román retornou da seleção paraguaia, mas ficou de fora dos relacionados, assim como Felipe e Vinicius.

Pendurados: Cicinho. Próxima partida: na Copa do Brasil, será o jogo de volta, contra o próprio Grêmio.

Previsão IPE: Bruno; Artur, T.Heleno, Henrique e Juninho;  Araújo, Assunção, J.Vitor e D.Carvalho; Luan e Barcos.

Destaques/Grêmio: os gaúchos contarão com as voltas de Kleber, Marcelo Moreno e Edílson. Desses, apenas o último deve ser titular, já que Kleber ainda recupera a forma ideal e Marcelo Moreno sofreu uma pancada no ombro jogando pela seleção boliviana. A provável escalação deverá ter Vitor; Edílson, Werley, G.Silva e Pará; Fernando, Souza, Léo Gago e Marco Antonio; Miralles e André Lima (Marcelo Moreno).

Vale lembrar que o Grêmio também tem seus pendurados: o lateral Edílson, o volante Léo Gago e o atacante André Lima

Ex-palmeirenses no Grêmio: o atacante Kleber.

Palpite IPE: 0×0, no melhor estilo Felipão.

Última vitória no local do jogofoi pelo Brasileirão 2011 - 2×1 – gols de Assunção e Ewerthon para o Palmeiras, e Jonas para o Grêmio.

Última derrota no local do jogo: foi há pouco mais de 15 dias, pelo BR2012 – 0×1 – gol de André Lima.

Histórico: o primeiro confronto da história entre os dois clubes pela Copa do Brasil ocorreu em 1993 e terminou empatado em 1×1, gols de Edmundo (PAL) e Gilson (GRE).

GERAL COPA DO BRASIL
J V E D GP GC J V E D GP GC
78 32 29 17 113 85 6 1 4 1 9 8

O IPE se lembra: em 1996, também pela fase semi-final da Copa do Brasil, o Palmeiras foi a Porto Alegre já com a vantagem construída no jogo de ida (3×1) e, apesar de sair de campo derrotado – 1×2 – garantiu a vaga na grande final. Os gols dessa partida foram marcados por Luizão (PAL), e Jardel e Zé Alcino (GRE).

Read Full Post »

Almas gêmeas

Anos 90: a saudade que bate cá, também bate lá. Foto: gremio1983.blogspot.com

Já faz alguns anos que os palmeirenses, ao se referirem ao jejum de títulos que a cada ano só faz aumentar, citam um tal processo de botafoguização (cuja variante é o Atlético-MG), querendo dizer que, como os alvinegros carioca e mineiro, vemos o time ser considerado cada vez mais azarão à medida em que as taças se tornam escassas – sem levar em conta que os coirmãos levaram respectivamente dois e três estaduais neste século, contra um nosso.

A comparação é errada: há um time que se aproxima mais do Palmeiras que o Galo e o Glorioso, e trata-se justamente de quem vamos enfrentar em dois duelos viscerais a partir desta quarta. Sim, senhores, é o Grêmio a alma gêmea do Verdão.

Senão, vejamos: times que tiveram uma gloriosa década de 90 – que muitas vezes fê-los ter seu destino entrelaçado – mas que neste início de século XXI foram totalmente ofuscados por seus arquirrivais. O Inter, que não tinha conquistas continentais até então, igualou as duas Libertadores e o Mundial que os tricolores ostentam e ainda pode jogar na cara uma Sul-Americana de brinde, fora terem levantado oito Gauchões contra quatro. Nós, melhor nem falar. Nesse sentido, o Botafogo ainda pode lamentar alguns títulos de Fla, Flu e Vasco, enquanto o Galo chorar a tríplice coroa cruzeirense de 2003, mas seus rivais não tiveram longos períodos de sucesso, e eles próprios já vinham de anos 90 de poucos triunfos.

De mais a mais, ao contrário dos alvinegros, apesar de (como eles) terem sido rebaixados, Palmeiras e Grêmio colecionaram algumas boas campanhas de Brasileiro que os levaram a algumas Libertadores - possibilidade que cariocas e mineiros não tiveram. Nós chegamos a semifinalistas e quadrifinalistas; eles avançaram até um vice.

Na Copa do Brasil, aí sim uma diferença relevante: enquanto nós estreamos em semifinais neste século, eles já têm uma taça (ainda bem: foi contra o Corinthians) e outra semifinal. Mesmo assim, se nós temos o ASA, eles têm o XV de Novembro de Campo Bom; se nós temos o Atlético-GO, eles têm… o Atlético-GO!

Tudo isso para chegar ao ponto: a pressão que uma equipe sofre nesta semifinal, a outra sente igual. Talvez seja um pouco pior para nós, já que este ano todos os rivais ainda estão na briga, enquanto o Inter já deu adeus à Libertadores. Claro que nem por isso a torcida gremista se dá por satisfeita, e cobrará a classificação, como nós também a exigimos.

Assim, quando a bola rolar no Olímpico, ela terá o peso de anos de insucessos de parte a parte. A busca da redenção é a mesma para os dois, e é por isto que o Palmeiras ao menos por enquanto deve esquecer o que ocorreu até aqui no Brasileiro (que é sim quase desesperador, mas não mudará até quinta) e esquecer que um tem vencido e outro perdido; isto pouco importa agora. Afinal, seu adversário é seu espelho, e a sombra da eliminação os assusta tanto quanto a nós. Neste duelo, amigos, vencerá o mais altivo. Que o Palmeiras rapidamente lamba suas feridas e saiba se lembrar de seus tempos de conquistas.

Read Full Post »

Ainda comemorando a classificação na Copa do Brasil, o Palmeiras volta as atenções novamente para o Campeonato Brasileiro e terá pela frente justamente nosso adversário da semi-final, o Grêmio.

Horário e local: Domingo, 27/05, as 18:30, no Estádio Olímpico (Sportv/PPV)

Árbitro: será Marcelo De Lima Henrique (RJ), cujo histórico registra 12 jogos, com 7V, 4E e 1D:

2011 – 2×2 Atl-PR (BR, f) / 1×2 Atl-MG (BR, f)

2010 – 1×0 Atl-PR (CB, c) / 2×1 Atl-MG (BR, f) / 1×1 Atl-MG (SA, f)

2009 – 2×2 Avaí (BR, c) / 4×0 Goiás (BR, c)

2008 – 2×1 Inter (BR, c) / 3×0 Vitória (BR, c)

2007 – 2×1 Atl-MG (BR, f) / 0×0 América-RN (BR, f)

Desfalques/Reforços: Daniel Carvalho, lesionado, e Román, na seleção, estão fora. Barcos volta à equipe.

Pendurados: não há. Próxima partida: Sport, na Ilha do Retiro.

Previsão IPE: Bruno; Cicinho, L.Amaro, Henrique e Juninho; Araújo, Assunção, J.Vitor e Valdivia; Luan e Barcos.

Destaques/Grêmio: Luxemburgo anunciou antecipadamente que irá a campo com o time titular. O lateral Edílson, que saiu lesionado do último jogo, e atacante Kleber, ainda em fase de recuperação, ficam de fora. A única dúvida fica por conta do volante Souza, que poderá ser poupado. A provável escalação gremista para a partida deverá ter Vitor; Gabriel, Gilberto Silva, Naldo e Pará; Fernando, Vilson (Souza), Marco Antonio e Rondinelly; Marcelo Moreno e Miralles.

Ex-palmeirenses no Grêmio: o atacante Kleber.

Palpite IPE: 1×1, gols de Barcos para o Palmeiras e Marcelo Moreno para o Grêmio.

Último confronto no local do jogo: foi pelo Brasileirão 2012 – 2×2 – gols de Cicinho e Assunção para o Palmeiras, e Fernando e Brandão para o Grêmio.

Última vitória no local do jogo: foi pelo Brasileirão 2011 – 2×1 – gols de Assunção e Ewerthon para o Palmeiras, e Jonas para o Grêmio.

Última derrota no local do jogo: foi pelo Brasileirão 2009 – 0×2 – gols de Rafael Marques e Máxi Lopes.

Histórico: o primeiro confronto da história data de 1946 e foi válido pelo Troféu Cidade de Porto Alegre. Vitória palestrina por 2×1, gols de Villadoniga e Mantovani.

GERAL BRASILEIRO
J V E D GP GC J V E D GP GC
77 32 29 16 113 84 43 18 16 9 57 38

O IPE NÃO se lembra: pelo Brasileirão de 1971, o Palmeiras venceu o Grêmio por 3×1, com direito à um gol do meio de campo de Luís Pereira. Fedato e Hector Silva marcaram os outros gols, com Flecha descontando para o tricolor gaúcho.

Read Full Post »

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 42 outros seguidores