Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Mirassol’

1,2,3,4,5...

1,2,3,4,5…

Confesso que  essa foi uma derrota de emudecer e fazer aflorar todas as opiniões ao mesmo tempo, não é fácil ter que definir quem é (são) o (s) culpado (s) por esse momento do Palmeiras, é uma pizza “a moda da casa”, tem nos seus ingredientes um pouco de técnico medroso, bastante de elenco perna-de-pau refugado, uma porção generosa de complexo de vira-latas da diretoria e o tempo de preparo já margeia ai fácil uns 5 anos ininterruptos. Não tem como dar certo.

Algumas coisas que endossam a falta de certeza a respeito do que realmente faz o Palmeiras ser o pior clube ‘grande’ do Brasil:

- Esta foi a 20ª derrota da história alviverde levando seis gols.
- De 2001 para cá é a QUINTA dessa maneira.
- Em compensação só marcou tal quantidade de gols em 3 oportunidades.
- O Palmeiras nunca havia levado seis gols no primeiro tempo, NUNCA.

Tá bom ou quer mais? não será fácil para o presidente do Palmeiras explicar a derrota de hoje, mesmo porque provavelmente ele não está sabendo muito bem, afinal está muito ocupado viajando, mas ai o presidente terceirizado (“CEO”) poderia assumir a bucha e realmente explicar algo, só que ele não foi ao jogo…

A propalada profissionalização do Palmeiras 2013 está no mínimo incoerente, senão vejamos: deram o Barcos para não ter problemas com dívidas de salários e montar um elenco maior e melhor. O salário de todos os jogadores está atrasado. Dos refugos que vieram na negociação do Barcos somente Léo Gago e Leandro jogaram hoje. O treinador declarou dias atrás que o elenco de hoje é inferior ao que foi rebaixado no ano passado. Alguém explica?

Mesmo que expliquem, não é algo inteligível. O Palmeiras de hoje não é compreensível, aceitável ou digno de despertar esperanças. Vão esperar para gastar quando? ou só o Palmeiras deve entre todos os clubes? só o Palmeiras não consegue verba para contratar? vão esperar não ter mais jeito de subir e jogar nosso centenário na série B?

Não venham pedir paciência, não venham chorar falta de dinheiro, não venham culpar a gestão anterior, nada senão AÇÃO pode ser admitido no momento. Muito se fala em oposição predatória, alguém consegue tecer algum elogio hoje? alguém tem algum argumento que justifique? então enfie naquele lugar, o Palmeiras precisa de quem o defenda, não de politicagem, BATA NA MESA PAULO NOBRE! caso você realmente seja o Presidente.

E que ninguém jamais esqueça a derrota de hoje, nem a contra o Coritiba, nem a contra o Figueirense… não é esquecendo os vexames que cresceremos, acorda Palmeiras!

Pra que possamos ver e rever, pois só lendo mal dá para acreditar.

FICHA TÉCNICA:

MIRASSOL 6 x 2 PALMEIRAS

Local: Estádio José Maria de Campos Maia, em Mirassol (SP)
Data/Horário: 27/3/2013 – 19h30
Árbitro: Vinícius Gonçalves Dias Araújo
Assistentes: Alexandre Basílio Vasconcellos e Leonardo Schiavo Pedalini

Renda/Público: R$ 112.836,00/ 4.159
Cartões Amarelos: Gustavo, Pio e Leomir (MIR); André Luiz e Marcos Vinícius (PAL)
Cartão Vermelho: -
GOLS: Marcos Vinícius, contra, 36” (1-0); Caion, 9′/1ºT (2-0), Caion, 11′/1ºT (3 -0); Caio, 22′/1ºT (3-1); Ronny, 30′/1ºT (3-2); Leomir, 39′/1ºT (4-2); Medina, 43′/1ºT (5-2) e Camilo, 46′/1ºT (6-2)

MIRASSOL: Gustavo, Pio (Mineiro, 24′/2ºT), Augusto, Gian e Diogo; Alex Silva, André Luís (Medina, 25’1ºT), Leomir e Camilo; Caion e Thiago Luís (Felipe Lima, 36′/2ºT). Técnico: Ivan Baitello

PALMEIRAS: Fernando Prass; Weldinho (Ayrton, 18′/2ºT), André Luiz, Marcos Vinícus e Juninho; Márcio Araújo, Charles (Ronny, 18′/1ºT), Léo Gago (João Denoni, Intervalo) e Wesley; Leandro e Caio. Técnico: Gilson Kleina

Read Full Post »

MIRxSEP

Vindo de mais um empate em clássico, o Palmeiras volta a campo cheio de desfalques e tentando mais uma vez se aproximar do G4. Já o Mirassol vem em queda livre, acumulando 5 jogos sem vitória.

Horário e local: quarta-feira (27/03), as 19:30, no estádio José Maria de Campos Maia (Sportv).

Árbitro: será Vinicius Gonçalves Dias Araújo, cujo histórico registra apenas 1 partida:

2012 – 6×2 Botafogo-SP (P, f)

Situação na tabela: o Palmeiras é o sétimo colocado com 25 pontos, e o Mirassol é o décimo sexto, com 12.

Desfalques/Reforços: Henrique, Valdivia, Kleber, Maikon Leite e L.Amaro continuam de fora, lesionados. Souza e Fernandinho já treinam com bola, mas ainda ficam de fora recuperando a forma física. Não há suspensos. Vilson e Juninho estão recuperados de lesão, mas somente o segundo vai para o jogo. Ronny, que passou por um período de ajustes físicos, está de volta entre os relacionados.

Pendurados: Ayrton, Weldinho, M.Araújo e Valdivia. Próxima partida: Linense (casa).

Previsão IPE: Prass; Weldinho, M.Ramos, André Luiz e Juninho; Araújo, Charles, Léo Gago e Wesley; Leandro e Caio.

Destaques/Mirassol: o goleiro Emerson, suspenso, e o volante Glauber, lesionado, ficam de fora. A provável escalação do Mirassol deverá ter Gustavo; Pio, Leonardo, Gian e Diogo; Mineiro, Alex Silva, Camilo e Leomir; André Luís e Tiago Luís.

Olho nele: o meia Camilo é o artilheiro da equipe, com 5 gols marcados.

Ex-palmeirenses no Mirassol: nenhum.

Palpite IPE: 2×0, gols de Leandro e Wesley.

Último confronto: foi também a única vez que perdemos para eles – 0×1 – no Pacaembu.

Última vitória no local do jogo: foi pela primeira fase do Paulistão 2012 – 1×0 – gol de Patrik.

Última derrota no local do jogo: o Palmeiras está invicto em Mirassol.

Histórico: a primeira partida da história entre as equipes aconteceu em 2008 e terminou empatada em 2×2.

GERAL CAMPEONATO PAULISTA
J V E D GP GC J V E D GP GC
6 3 2 1 9 7 6 3 2 1 9 7

O IPE se lembra: pelo Paulistão 2009 o Palmeiras foi ao interior e conseguiu a vitória em jogo bastante movimentado – 3×2 – gols de Diego Souza, Keirrison e Jefferson para o Palmeiras, e Anderson Paim e Wesley para o Mirassol.

Read Full Post »

A fase final do Campeonato Paulista, no formato atual, foi adotada ano passado, mas a existência de quartas-de-final em si não é novidade. Além de 2011, houveram outras duas edições em que esta fase existiu, ambas também em confronto único, e o Palmeiras esteve presente nelas.

Em 2003, o Palmeiras se classificou na bacia das almas: eram 3 grupos de sete times; classificavam-se os dois primeiros de cada grupo e os dois melhores terceiros colocados. O Verdão passou justamente como o segundo melhor segundo colocado ao empatar em Americana na última rodada. Tivesse sofrido um gol a mais nessa partida, a vaga ficaria com o próprio Rio Branco.

Desta forma, nos coube enfrentar a sensação do torneio até ali: o São Caetano, 6 vitórias em 6 jogos, incluindo um atropelamento por 3 a 0 ao futuro campeão Corinthians em pleno Pacaembu. Para piorar, o regulamento previa a vantagem do empate ao time melhor colocado; entretanto, em noite inspirada de Thiago Gentil, um Palmeiras rebaixado, sob desconfiança geral e com diversas caras novas que não durariam sequer até o início da Série B, resolveu lembrar de sua grandeza: 2 a 0 no Anacleto Campanella. Na semifinal, o time esteve na frente quase todo o tempo na primeira partida, mas cedeu o empate ao Corinthians; no segundo jogo, com a equipe sem nenhum zagueiro em condição de jogo, o rival rapidamente abriu 3 a 0 e venceu por 4 a 2.

Em 2004, a primeira fase mudou: eram dois grupos, um com 11 e outro com 10 times – não é de hoje que o Paulista apresenta bizarrices. No grupo maior, o Palmeiras encerrou a primeira fase em terceiro lugar, lhe cabendo o segundo colocado do outro grupo em jogo único fora de casa. Desta forma, o Verdão desceu a serra para encontrar a Portuguesa Santista. A regra era diferente: empate no tempo normal levaria à prorrogação, e dali aos pênaltis. A Briosa chegou ao intervalo na frente, mas Vágner Love e Pedrinho puseram o recém-promovido Palmeiras nas semifinais contra o Paulista, que nos eliminaria nas penalidades.

Ano passado, o Palmeiras fez as quartas “em casa”, após terminar a primeira fase na segunda colocação. Assim como este ano, os primeiros quatro colocados tinham como única vantagem o direito de decidir em casa. No caso de empate no tempo normal, a decisão iria para os penaltis. Nos emparelhamentos, o adversário foi o Mirassol, e a vitória por 2×1 no Pacaembu nos colocou na semi, que perderíamos para o Corinthians, nos penaltis, após jogar boa parte da partida com um a menos, em jogo que ficou marcado pela polêmica escalação antecipada de Paulo César de Oliveira antes mesmo do sorteio na FPF.

Este ano o regulamento é o mesmo e, já que conseguimos a façanha de ficarmos em quinto lugar, decidiremos a vaga fora de casa, contra o Guarani. Esperamos que o retrospecto de vitórias nesta fase se mantenha!

FICHAS TÉCNICAS

26/02/2003 – SÃO CAETANO-SP 0 x 2 PALMEIRAS-SP – CAMPEONATO PAULISTA
Estádio Anacleto Campanella – São Caetano / SP – Brasil – Horário: 21h00
Árbitro: Sálvio Spínola Fagundes Filho (SP) – Assistentes: Marinaldo Silvério (SP), Francisco Feitosa (SP)
São Caetano (São Caetano/SP): Sílvio Luiz, Rafael, Dininho, Serginho, Zé Carlos, Marcos Aurélio (Mineiro), Ramalho (Marlon), Fábio Santos, Luís Carlos Capixaba, Marcinho, Adhemar (Anaílson) – Técnico: Mário Sérgio
Palmeiras (São Paulo/SP): Marcos, Pedro, Índio, Leonardo, Marquinhos, Adãozinho, Claudecir, Magrão, Zinho (Corrêa), Muñoz (Everaldo), Anselmo (Thiago Gentil) – Técnico: Jair Picerni
Cartões amarelos: Dininho, Marco Aurélio (São Caetano), Marcos, Leonardo, Magrão (Palmeiras) – Cartões vermelhos: Rafael (São Caetano), Pedro, Claudecir (Palmeiras)
Gols: Thiago Gentil (Palmeiras), 8 min, 42 min segundo tempo

21/03/2004 – PORTUGUESA SANTISTA-SP 1 x 2 PALMEIRAS-SP – CAMPEONATO PAULISTA
Estádio Ulrico Mursa – Santos / SP – Brasil – Horário: 16h00 – Público: 7.549 pagantes – Renda: R$ 98.140,00
Árbitro: Sálvio Spínola Fagundes Filho (SP) – Assistentes: Nílson de Souza Monção (SP), Émerson Augusto de Carvalho (SP)
Portuguesa Santista (Santos/SP): Cristiano, Édson Mendes, Diguinho, Chicão, Fabinho, Axel, Beto (Leandro Moreno), Reinaldo (Gileno), João Fumaça (Luciano Barbosa), Nando, Marlon – Técnico: Nenê
Palmeiras (São Paulo/SP): Marcos, Baiano, Leonardo, Nen, Lúcio, Marcinho (Rafael Marques), Corrêa, Diego Souza, Pedrinho (Fábio Gomes), Vágner Love, Adriano Chuva (Muñoz) – Técnico: Jair Picerni
Cartões amarelos: Axel, João Fumaça (Portuguesa Santista), Baiano, Lúcio, Leonardo (Palmeiras) – Cartão vermelho: Diguinho (Portuguesa Santista)
Gols: Beto (Portuguesa Santista), 21 min primeiro tempo, Vágner Love (Palmeiras), 11 min, Pedrinho (Palmeiras), 14 min segundo tempo

24/04/2011 – PALMEIRAS-SP 2 x 1 MIRASSOL-SP – CAMPEONATO PAULISTA
Estádio Paulo Machado de Carvalho – São Paulo / SP – Brasil – Horário: 18h30 – Público: 17.538 pagantes – Renda: R$ 466.682,00
Árbitro: Guilherme Ceretta de Lima (SP) – Assistentes: Hérman Brúmel Vani (SP) e Bruno Salgado Rizo (SP)
Palmeiras (São Paulo/SP): Deola, João Vitor, Danilo, Leandro Amaro, Rivaldo, Marcos Assunção, Márcio Araújo, Tinga (Chico), Valdivia (Lincoln), Luan, Kléber – Técnico: Luiz Felipe Scolari

Mirassol (Mirassol/SP): Fernando Leal, Samuel (Daniel Marques), Luiz Henrique, Dezinho, Diego, Magal, Jairo, Esley (Marcelinho), Xuxa, Wellington Amorim, Serginho (Renato Peixe) – Técnico: Ivan Baitello

Cartões amarelos: Deola, Danilo, Rivaldo e Tinga (Palmeiras), Dezinho, Esley (Mirassol) – Cartão vermelho: Xuxa (Mirassol)
Gols: Valdivia (Palmeiras), 10 min primeiro tempo, Marcelinho (Mirassol), 40 min primeiro tempo, Márcio Araújo (Palmeiras), 11 min segundo tempo.

Read Full Post »

Ainda sem bússola...

Nem o mais crédulo cidadão Mirassolense, nem o torcedor Palmeirense mais LIMÃO poderiam apostar no resultado do jogo de ontem. Nem o mais amador dos técnicos nem o mais professor Pardal poderiam fazer o Verdão ‘jogar’ como ontem. No primeiro tempo uma leseira só, no segundo as mais mirabolantes e indigitáveis modificações no time, só podia dar em derrota.

O Palmeiras começou mais um jogo como se não houvesse ontem, dando mais munição ainda para os SÁBIOS que disseram acreditar que uma derrota no derby, mesmo em fase classificatória, seria uma catástrofe, e foi. O time está desfigurado, estéril, Wesley não achou seu espaço, talvez por Felipão colocá-lo no lado AVESSO ao que está acostumado a jogar, o fato é que o trio de volantes que em tese agilizaria a troca de passes uma vez que Assunção ganhou um merecido repouso, fez tudo errado, péssimos passes, armação zero e Daniel Carvalho era o último dos moicanos meias armadores. Barcos (e sua chuteirinha zicada) não conseguiu finalizar uma sequer e o primeiro tempo terminou assim, com o Mirassol “mais organizado” jogando melhor que o Verdão em pleno Pacaembu.

Pra segunda etapa Felipão promoveu suas bizarrices, trocou Wesley de lado, meteu Chico no Arthur e o diabo a quatro, até que logo depois do Palmeiras desperdiçar boa chance de gol, o Mirassol abriu o placar, aquele time calmo que conseguia impor seu ritmo de jogo sobre qualquer adversário, até a fatídica derrota para o arqui-rival, conseguiu se desesperar e passar a errar mais ainda, a segunda derrota de um time grande para um do interior no campeonato se deu contra um time sem pretensões, que até então era o 14º, sem estrelas, sem nada, mas que mesmo assim, segundo o grande Scolari, é ‘mais organizado’ que o Palmeiras. 2011 vive.

Vamos às notas:

- Deola: na primeira vez que foi de fato exigido, tomou o gol, e depois desandou a fazer defesas – 4
- Artur: razoável na marcação, nulo no ataque – 4
- M.Ramos: passou o jogo correndo atrás dos atacantes adversários – 3
- Henrique: a braçadeira de capitão devia estar pesando uns 800 quilos. Tava louco pra entregar – 3
- Juninho: razoável no apoio e uma avenida em suas costas – 4
- M.Araújo: sofreu para cobrir as subidas do Juninho – 4
- João Vitor: idem Márcio Araújo, e depois foi tentar ser lateral direito – 4
- Wesley: totalmente fora de ritmo, caso contrário teria feito 2 gols – 4
- D.Carvalho: tentou de todos os jeitos, mas sozinho não vai resolver nada – 5
- Maikon Leite: muita velocidade e nenhuma inteligência – 3
- Barcos: quando o camisa nove vai buscar jogo no meio e cai pelas laterais o jogo inteiro é porque tem alguma coisa muito errada – 5

- Chico: entrou pra proteger a zaga (!) quando o jogo ainda estava 0×0 – 4
- Ricardo Bueno: o consolo é que só teremos que aguentar esse traste mais 1 mês – 3
- Pedro Carmona: pegou duas vezes na bola, fica sem nota
- Felipão: se tinha ficado com algum crédito ‘na casa’ do IPE, tratou de queimá-los com 2 derrotas em 3 jogos e a real possibilidade terminar o Campeonato Paulista 2012 numa posição ‘Caio Juniana’.
“Melhores” momentos:

FICHA TÉCNICA

PALMEIRAS 0 X 1 MIRASSOL

Local: Pacaembu, São Paulo (SP)
Data/Hora - 31/03/2012 – 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Márcio Roberto Soares (SP)
Auxiliares: Eduardo Vequi Marciano (SP) e Maria Eliza Correia Barbosa (SP)
Renda/ público: R$ 29.740/ 8.502
Cartões amarelos: Henrique Dias 8′/2T (MIR), Fernando Leal 38′/2T (MIR), Juninho 43′/2T (PAL)

GOL: Preto 23′/2T (0-1)

PALMEIRAS: Deola, Artur (Chico 19′/2T), Maurício Ramos, Henrique e Juninho; Márcio Araújo, João Vítor, Wesley (Ricardo Bueno 26′/2T) e Daniel Carvalho (Pedro Carmona 35′/2T); Maikon Leite e Barcos. Técnico: Luiz Felipe Scolari.

MIRASSOL: Fernando Leal, Samuel, Matheus Ferraz, Dezinho e Willian Simões; Sérgio Manoel, Alex Silva, Luciano Sorriso e Xuxa; Preto (Borebi 33′/2T) e Henrique Dias (Malaquias 13′/2T – Igor 46′/2T). Técnico: Ivan Baitello.

Read Full Post »

Vindo de um vitória magra e suada diante do Paulista de Jundiaí, o Palmeiras (3o.) recebe o Mirassol (14o.) buscando melhorar a posição na tabela para ter vantagem na fase de mata-mata. Os três jogos restantes também servirão para ajustar de vez a equipe titular para as fases decisivas do Paulistão e da Copa do Brasil.

Horário e local: Sábado, 31/03, às 18:30, no estádio Paulo Machado de Carvalho (PPV)

Árbitro: será Márcio Roberto Soares. Este árbitro já apitou 3 partidas nossas, todas em casa, com 1 vitória e 2 empates.

2011 – 0×0 Botafogo-SP (c)

2010 – 0×0 Oeste (c)

2009 – 1×0 Paulista (c)

Desfalques: Luan, Thiago Heleno e Valdivia, lesioandos.

Pendurados: Cicinho, Juninho, M.Araújo e Patrik. Próxima partida: Guarani (f)

Previsão IPE: Deola; Cicinho, L.Amaro, Henrique e Juninho; M.Araújo, Assunção, Wesley e D.Carvalho; Maikon Leite e Barcos.

Destaques/Mirassol: o “Leão da Araraquarense” não vence há 5 partidas, vindo de derrota nas últimas 3 rodadas. Para o confronto diante do Palestra, o lateral direito Eric e o volante Alex Silva ficam à disposição após cumprirem suspensão, assim como o volante Luciano sorriso, recuperado de lesão. Sendo assim, o técnico Ivan Baitello terá força máxima, devendo ir a campo com Fernando Leal; Eric, Dezinho, Igor e Willian Simões; Sérgio Manoel, Alex Silva, Acleisson e Xuxa; Henrique Dias e Preto.

Ex-palmeirenses no Mirassol: o veterano lateral esquerdo Márcio Careca.

Palpite IPE: 2×0, Barcos e Wesley.

Última vitória no local do jogo: foi pelas quartas de final do Paulistão-11 – 2×1 (Márcio Araújo e Valdivia; Marcelinho)

Última derrota no local do jogo: o Palmeiras jamais perdeu para o Mirassol.

Histórico: a primeira partida entre as equipes aconteceu apenas em 2008, e o Palmeiras está invicto no confronto.

GERAL CAMPEONATO PAULISTA
J V E D GP GC J V E D GP GC
5 3 2 0 9 6 5 3 2 0 9 6

O IPE se lembra: com um histórico tão recente fica difícil não ser repetitivo, mas o editor que vos escreve esteve “in loco” no primeiro confronto da história entre as duas equipes e teve a felicidade de presenciar o surgimento de um verdadeiro mito dos gramados: Fabinho Capixaba. A partida acabou empatada em 2×2 (Gustavo e Alex Mineiro; Montoya e Léo Mineiro)

Read Full Post »

E vai começar a tão esperada fase final!! Segundo colocado na primeira fase do Paulistão 2011, o Palmeiras tem a vantagem de jogar “em casa” contra o Mirassol, que chegou a liderar o certame durante algumas rodadas este ano. Vamos às informações da primeira decisão nesta reta final:

Situação do confronto: o Palmeiras tem o mando de jogo como única vantagem. Em caso de empate no tempo normal, a decisão vai para a loteria os penaltis.

Horário e local: Domingo, 24/4, às 18:30, no Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho – Pacaembu (SporTV).

Árbitro: será Guilherme Cereta de Lima. Histórico:

2011 – 1×1 São Caetano (f – Paulista); 2×1 Santo André (f – CB).

2010 – 1×0 Monte Azul (f – Paulista); 1×3 Sto. André (f – Paulista); 1×0 Guarani (c – BR).

Desfalques: Cicinho lesionado. Thiago Heleno é dúvida. Marcos, Pierre, Dinei e Patrik seguem treinando a parte física. Lincoln já treina com bola e pode ser opção no banco de reservas.

Pendurados: somente Patrik está pendurado, mas não estará disponível para esta partida.

Palpite IPE: Deola; M. Araújo, Danilo, Thiago Heleno (L. Amaro) e Rivaldo; João Vitor, M. Assunção, Tinga e Valdivia; Adriano e Kléber.

Destaques/Mirassol: O “Leão da Araraquarense” contará com as voltas do lateral esquerdo Diego e do volante Magal que estavam suspensos, mas também terá um desfalque de última hora: o zagueiro-artilheiro Gustavo Bastos, cogitado como reforço Palmeirense para o segundo semestre, sentiu uma contusão na coxa e está vetado. O técnico Ivan Baitello deixou de lado o mistério e vai a campo no 3-6-1: Fernando Leal; Daniel Marques, Luiz Henrique e Dezinho; Samuel, Magal, Jairo, Esley, Xuxa e Diego; Wellington Amorim.

Último confronto: Na primeira fase do Paulistão 2011, vitória por 1×0 em noite de festa.

Última vitória no local do jogo: será a primeira vez que o Palmeiras enfrenta o Mirassol no Pacaembu.

Última derrota no local do jogo: o Palmeiras jamais perdeu para o Mirassol.

Curiosidade: o histórico entre as duas equipes é recente e o Palmeiras está invicto. Entretanto, nas duas vezes que o Mirassol veio a SP, as partidas terminaram empatadas. Será que teremos penaltis pela frente?

Histórico: 

GERAL PAULISTA
J V E D GP GC J V E D GP GC
4 2 2 0 7 5 4 2 2 0 7 5

O IPE se lembra: com o time mal das pernas e sem chances de classificação no Paulista de 2010, atuando em casa o Palmeiras apenas um empatou com o Mirassol – 1×1 – gols de Robert (PAL) e Pablo Escobar (MIR).

Read Full Post »

O regulamento do Paulistão de 2011 tem aspectos que o tornam único na história do campeonato, mas a existência de quartas-de-final não é um deles: houve duas edições em que esta fase existiu, ambas também em confronto único. E o Palmeiras esteve presente nelas.

Em 2003, o Palmeiras se classificou na bacia das almas: eram 3 grupos de sete times; classificavam-se os dois primeiros de cada grupo e os dois melhores terceiros colocados. E o Verdão passou justamente como o segundo melhor segundo colocado ao empatar em Americana na última rodada. Tivesse sofrido um gol a mais nessa partida, a vaga ficaria com o próprio Rio Branco.

Desta forma, nos coube enfrentar a sensação do torneio até ali: o São Caetano, 6 vitórias em 6 jogos, incluindo um atropelamento por 3 a 0 ao futuro campeão Corinthians em pleno Pacaembu. Para piorar, o regulamento previa a vantagem do empate ao time melhor colocado; entretanto, em noite inspirada de Thiago Gentil, um Palmeiras rebaixado, sob desconfiança geral e com diversas caras novas que não durariam sequer até o início da Série B, resolveu lembrar de sua grandeza: 2 a 0 no Anacleto Campanella. Na semifinal, o time esteve na frente quase todo o tempo na primeira partida, mas cedeu o empate ao Corinthians; no segundo jogo, com a equipe sem nenhum zagueiro em condição de jogo, o rival rapidamente abriu 3 a 0 e venceu por 4 a 2.

No ano seguinte, a primeira fase mudou: eram dois grupos, um com 11 e outro com 10 times – não é de hoje que o Paulista apresenta bizarrices. No grupo maior, o Palmeiras encerrou a primeira fase em terceiro lugar, lhe cabendo o segundo colocado do outro grupo em jogo único fora de casa. Desta forma, o Verdão desceu a serra para encontrar a Portuguesa Santista. A regra era diferente: empate no tempo normal levaria à prorrogação, e dali aos pênaltis. A Briosa chegou ao intervalo na frente, mas Vágner Love e Pedrinho puseram o recém-promovido Palmeiras nas semifinais contra o Paulista, que nos eliminaria nas penalidades.

Este ano, pela primeira vez o Palmeiras faz as quartas em casa, porém sem qualquer vantagem. Esperamos que mesmo assim o time faça com que o Mirassol siga o caminho de São Caetano e Portuguesa Santista, mas que galgue depois os degraus que faltaram em 2003 e 2004.

FICHAS TÉCNICAS

26/02/2003 – SÃO CAETANO-SP 0 x 2 PALMEIRAS-SP – CAMPEONATO PAULISTA
Estádio Anacleto Campanella – São Caetano / SP – Brasil – Horário: 21h00
Árbitro: Sálvio Spínola Fagundes Filho (SP) – Assistentes: Marinaldo Silvério (SP), Francisco Feitosa (SP)
São Caetano (São Caetano/SP): Sílvio Luiz, Rafael, Dininho, Serginho, Zé Carlos, Marcos Aurélio (Mineiro), Ramalho (Marlon), Fábio Santos, Luís Carlos Capixaba, Marcinho, Adhemar (Anaílson) – Técnico: Mário Sérgio
Palmeiras (São Paulo/SP): Marcos, Pedro, Índio, Leonardo, Marquinhos, Adãozinho, Claudecir, Magrão, Zinho (Corrêa), Muñoz (Everaldo), Anselmo (Thiago Gentil) – Técnico: Jair Picerni
Cartões amarelos: Dininho, Marco Aurélio (São Caetano), Marcos, Leonardo, Magrão (Palmeiras) – cartões vermelhos: Rafael (São Caetano), Pedro, Claudecir (Palmeiras)
Gols: Thiago Gentil (Palmeiras), 8 min, 42 min segundo tempo

21/03/2004 – PORTUGUESA SANTISTA-SP 1 x 2 PALMEIRAS-SP – CAMPEONATO PAULISTA
Estádio Ulrico Mursa – Santos / SP – Brasil – Horário: 16h00 – Público: 7.549 pagantes – Renda: R$ 98.140,00
Árbitro: Sálvio Spínola Fagundes Filho (SP) – Assistentes: Nílson de Souza Monção (SP), Émerson Augusto de Carvalho (SP)
Portuguesa Santista (Santos/SP): Cristiano, Édson Mendes, Diguinho, Chicão, Fabinho, Axel, Beto (Leandro Moreno), Reinaldo (Gileno), João Fumaça (Luciano Barbosa), Nando, Marlon – Técnico: Nenê
Palmeiras (São Paulo/SP): Marcos, Baiano, Leonardo, Nen, Lúcio, Marcinho (Rafael Marques), Corrêa, Diego Souza, Pedrinho (Fábio Gomes), Vágner Love, Adriano Chuva (Muñoz) – Técnico: Jair Picerni
Cartões amarelos: Axel, João Fumaça (Portuguesa Santista), Baiano, Lúcio, Leonardo (Palmeiras) – cartão vermelho: Diguinho (Portuguesa Santista)
Gols: Beto (Portuguesa Santista), 21 min primeiro tempo, Vágner Love (Palmeiras), 11 min, Pedrinho (Palmeiras), 14 min segundo tempo

Read Full Post »

Embalado pela sequência de 4 vitórias, o Palmeiras vai à Mirassol enfrentar o “Leão da Araraquarense”, atual 4° colocado do certame, torcendo por um tropeço do Santos em Campinas para assumir a ponta. Além dos desfalques do departamento médico, Felipão terá que quebrar a cabeça para compensar a ausência do Gladiador, artilheiro do time na competição.

Horário e local: quarta-feira, às 22:00, no Estádio José Maria de Campos Maia (Band e PPV)

Árbitro: será Flavio Rodrigues de Souza. É a primeira vez que apita jogos do Palmeiras.

Desfalques: Marcos Assunção, Valdivia, Lincoln e Pierre, lesionados; Kleber, suspenso; Gabriel Silva, servindo à seleção sub-20; Marcos, poupado.

Pendurados: nenhum. Próximo jogo: Derby.

Possíveis novidades: Chico pode fazer sua estreia.

Palpite IPE: Deola; Cicinho, Maurício Ramos, Thiago Heleno e Rivaldo; Márcio Araújo, João Vítor, Tinga e Patrik; Luan e Dinei.

Destaques/Mirassol: sem jogadores suspensos ou lesionados, o Mirassol deve vir com força máxima para tentar quebrar o tabu de nunca ter vencido um time grande desde o acesso à primeira divisão, em 2008.

Último confronto: foi no Palestra, pelo Campeonato Paulista de 2010 - 1×1 (Robert; Pablo Escobar)

Última vitória no local do jogo: foi pelo Paulista-2009, 3×2 (Diego Souza, Keirrison e Jefferson; Anderson Paim e Wesley)

Histórico: a história do confronto é recente e o Palmeiras está invicto.

GERAL CAMPEONATO PAULISTA
J V E D GP GC J V E D GP GC
3 1 2 0 6 5 3 1 2 0 6 5

O IPE se lembra: pelo campeonato Paulista de 2008, na Arena Barueri, aconteceu o primeiro jogo da história entre as equipes, que terminou empatado em 2×2 (Gustavo, Alex Mineiro; Muttoni, Léo Mineiro). O membro do IPE que vos fala estava lá e testemunhou o surgimento dos craques Fabinho Capixaba e Sandro Silva, que viriam a reforçar a nossa equipe meses depois.

Read Full Post »

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 42 outros seguidores