Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘São Caetano’

SEP x sctn

Faltando apenas 1 ponto para garantir o acesso, o Palmeiras volta ao Pacaembu, de camisa nova, e recebe o desesperado São Caetano.

Horário e local: sábado (26/10), as 16:20, no Pacaembu (Globo/PPV).

Árbitro: será o experiente Wilson Luiz Seneme (SP), cujo histórico registra 30 partidas, com 11V/7E/12D. Seu histórico dos últimos 3 anos não é nada animador, apesar do equilíbrio no histórico geral:

2012 – 0x3 Portuguesa (BR, f) / 3×3 São Paulo (P, c)

2011 – 0x0 Corinthians (BR, f)

2010 – 1×1 Botafogo-RP (P, f) / 0x1 Corinthians (P, f)

Situação na tabela: o Palmeiras lidera com 68 pontos. O São Caetano tem 30 pontos, na vice-lanterna.

Desfalques/Reforços: Mendieta operou o joelho e só volta em 2014. Vilson e Tiago Alves, lesionados, e Leandro, suspenso, também ficam de fora. Valdivia treinou normalmente e está liberado. Outro que volta é Juninho, após cumprir suspensão.

Pendurados: Leandro, Eguren e Kardec. Próxima partida:  Paraná (fora).

Bola verde IPE: Valdivia segue na liderança, com média 7,75.

Previsão IPE: Prass; Luís Felipe, Henrique, André Luiz e Juninho; Araújo, Wesley e Valdivia; Ananias, Vinícius e Kardec.

Destaques/São Caetano: o atacante Danielzinho e o meia Danilo Bueno, lesionados, e o volante Leandro Carvalho, suspenso, ficam de fora. O também volante Moradei se recupera de lesão e é dúvida. Em compensação, outro volante, Anselmo, está de volta após cumprir suspensão. O técnico Pintado deverá ir a campo com Rafael Santos; Samuel Xavier, Gabriel, Luiz Eduardo e Fernandinho; Fabinho, Anselmo, Dudu e Éder; Geovane e Marcelo Soares.

Ex-palmeirenses no São Caetano: o volante Anselmo e os meias Pedro Carmona e Rivaldo.

Olho nele: Jael “o cruel” é o artilheiro do azulão no certame com 11 gols marcados, e curiosamente é reserva da equipe.

Palpite IPE: 3×1, de virada, gols de Kardec (2) e Valdivia.

Último confronto: foi pelo turno da série B – 2×1 – gols de Henrique e Kardec para o Palmeiras, e Geovane para o S.Caetano.

Última vitória como mandante: foi pelo Paulista 2008 – 3×1 – gols de Pierre, Valdivia e Alex Mineiro para o Palmeiras, e Douglas para o S.Caetano.

Última derrota como mandante: foi o chocolate que encerrou a nada saudosa passagem de Muricy Ramalho pelo clube  – 1×4 – gols de Diego Souza para o Palmeiras, e Eduardo (2), Luciano Mandi e Marcelo Batatais para o S.Caetano.

Histórico: o primeiro confronto da história entre as equipes foi um amistoso diputado em 1991 e que terminou com vitória verde – 4×0 – gols de Andrei, César, Edu Marangon e Márcio.

GERAL SÉRIE B
J V E D GP GC J V E D GP GC
28 14 6 8 48 35 1 1 0 0 2 1

O IPE se lembra: em 2006 o Palmeiras também estreou uniforme diferente contra o São Caetano e venceu – 3×1 – gols de Daniel, Paulo Baier e Edmundo.

Read Full Post »

Encarnando craques

Encarnando craques

O Palmeiras continua líder. Em jogo muito duro, a equipe buscou o resultado de virada e manteve a ponta da tabela.

O primeiro tempo foi bastante equilibrado, muito por conta do esquema escolhido por Gilson Kleina. Com três atacantes, o Palmeiras atacava, criando boas chances, mas pecava na conclusão.

O grande volume de jogo no ataque deixava espaços para os contra ataques da equipe do ABC. Em um desses ataques, Vilson errou a saída de jogo e Geovane completou para as redes a tabela com Giancarlo – 1×0 – e o que se viu no restante do primeiro tempo foi um Palmeiras querendo se reencontrar em campo sem sucesso.

Sem conseguir furar o bloqueio do azulão, o Palmeiras arriscava alguns chutes de longa distância, enquanto via o adversário construir outras situações de perigo.

Na volta para o segundo tempo (quase) tudo igual. A formação era a mesma, mas o que se viu foi um abafa do Palmeiras. O primeiro a levar perigo foi Henrique, em cabeçada que passou muito perto. Em seguida foi a vez de Juninho chutar de fora, por cima.

Aos 10 veio o gol. Alan Kardec – psicografando Maradona – saiu costurando a defesa do São Caetano e tocou na saída do goleiro. Um golaço.

Quatro minutos depois, Henrique aproveitou sobra em cobrança de escanteio e virou a partida, matando o São Caetano.

Feliz com o resultado, Gilson Kleina resolveu mexer no time e enfiou os pés pelas mãos. Tirou Ananias, que vinha bem no jogo (ou pelo menos melhor que Leandro) e colocou Marcelo Oliveira (!). Depois, tirou Mendieta para estreia – tímida – de Felipe Menezes.

As mexidas diminuíram os espaços para o adversário, mas acabaram com o poderio ofensivo da equipe, deixando o jogo muito embolado na intermediária. Para finalizar sua atuação, Kleina ainda tirou Leandro para a entrada de André Luiz, isso já aos 45 minutos.

O Palmeiras agora recebe no próximo sábado (o bem armado) Paraná Clube.

NOTAS

- Prass: pouco pode fazer no lance do gol e depois não deixou passar mais nada – 8

- Luís Felipe: o (re)começo é muito promissor. Ainda precisa aprimorar a marcação mas no ataque vai muito bem. Cruza com as duas pernas e procura sempre jogar de forma objetiva – 7,5

- Vilson: entregada feia no gol do adversário – 5

- Henrique: hoje foi bem na sua função e ainda fez o gol da vitória – 7,5

- Juninho: erra muitos passes e vai afobado na maioria das jogadas – 6

- Araújo: sobrecarregado em um esquema com dois volantes leves, sofreu muito com os contra ataques do São Caetano – 6

- Wesley: movimentação constante e muita disposição. Boa partida – 8

- Mendieta: tem qualidade mas parece claro que precisa de outro meia ao seu lado para dividir a responsabilidade – 7

- Ananias: apesar de abusar um pouco dos chutes de longe, fez boa partida. Merecia ter ficado em campo ao invés do Leandro – 7

- Leandro: partida bastante discreta – 6

- Alan Kardec: A camisa do Palmeiras é 8 ou 80. Enquanto pesa toneladas nas costas de alguns, em outros faz surgir futebol surpreendente. Kardec tinha média de 7,5 gols por ano, em 6 anos de carreira. Em pouco mais de 1 mês de Palmeiras, 5 jogos e 4 gols. O de hoje, um golaço! – 8,5

- Marcelo Oliveira: entrou e embolou a intemediária – 6

- Felipe Menezes: se movimentou bem mas sem muito destaque – 6,5

- André Luiz: entrou para retrancar tudo mas nem pegou na bola, fica sem nota.

MELHORES MOMENTOS

FICHA TÉCNICA

SÃO CAETANO 1 X 2 PALMEIRAS

Local: Anacleto Campanella, em São Caetano do Sul (SP)
Data/Hora: 6/8/2013 – 19h30
Árbitro: Flavio Rodrigues Guerra (SP)
Auxiliares: Rogerio Pablos Zanardo (SP) e Bruno Salgado Rizo (SP)

Renda/público: R$ 168.920/ 3960 pagantes
Cartões Amarelos: Pirão, (SCA); (PAL)
Cartões Vermelhos: -

GOLS: Geovane, 22’/1ºT (1-0); Alan Kardec, 10’/2ºT (1-1); Henrique, 14’/2ºT (1-2)

SÃO CAETANO: Rafael Santos; Samuel Santos, Douglas Grolli, Fred e Diego; Morade (Éder – 32’/2ºT), Pirão (Jael – 41’/2ºT), Vagner Carioca, Danilo Bueno; Geovane (Siloé – 24’/2ºT) e Giancarlo. Técnico: Marcelo Veiga.

PALMEIRAS: Fernando Prass; Luis Felipe, Vilson, Henrique e Juninho; Márcio Araújo, Wesley e Mendieta (Felipe Menezes – 36’/2ºT); Ananias (Marcelo Oliveira – 27’/2ºT) Alan Kardec e Leandro (André Luiz – 45’/2ºT). Técnico: Gilson Kleina

Read Full Post »

sctn_x_SEP

O Palmeiras vai ao ABC defender a liderança contra outro velho conhecido do paulistão.

Horário e local: terça-feira (06/08), as 19:30, no Anacleto Campanella (PPV).

Árbitro: será Flávio Rodrigues Guerra (SP), cujo histórico registra 6 jogos, com 4V/1E/1D:

2012 – 3×2 Guaratinguetá (P,f)

2011 – 2×0 Prudente (P,c), 2×1 Noroeste (P,f)

2010 – 1×1 Mirassol (P,c)

2008 – 4×1 SPFC (P,n)

2007 – 1×2 Ponte Preta (P,f)

Situação na tabela: o Palmeiras lidera com 28 pontos. O São Caetano é o décimo sétimo, com 13.

Desfalques/Reforços: Léo Gago segue em tratamento de lesão e Valdivia será poupado. Charles, suspenso, também fica de fora. Vinícius, com uma entorse no tornozelo, é dúvida.

Pendurados: Ayrton, Charles, Luís Felipe, Valdivia e Alan Kardec. Próxima partida:  Paraná (casa).

Bola verde IPE: Valdivia segue em primeiro, com média 8,42.

Previsão IPE: Fernando Prass; Luís Felipe, Vílson, Henrique e Juninho; Eguren, Araújo, Wesley e Mendieta; Leandro e Alan Kardec.

Destaques/São Caetano: tentando sair da ZR, o azulão vem pressionado para o confronto. A provável escalação deverá ter Rafael Santos; Samuel, Douglas Grolli, Fred e Diego Correa; Moradei, Pirão, Wagner Carioca e Danilo Bueno; Geovane e Giancarlo.

Ex-palmeirenses no São Caetano: os meias Pedro Carmona e Rivaldo.

Olho nele: apesar de ser meia, Danilo Bueno é o artilheiro do São Caetano no certame com 5 gols marcados.

Palpite IPE: a equipe sentirá a falta de Valdivia mas vencerá – 2×0 – gols de Leandro e Eguren.

Último confronto: foi pelo Paulistão 2013 – 1×1 – gols de Leandro para o Palmeiras e Éder para o São Caetano.

Última vitória no local do jogo: foi pelo Paulistão 2009 – 4×3 – gols de Keirrison (2), Diego Souza e Edmílson para o Palmeiras, e Marcelo Batatais, Vandinho e Luan (o próprio) para o São Caetano.

Última derrota no local do jogo: foi pelo BR2006 – 0x2 – gols de Marabá e Elton.

Histórico: o primeiro confronto da história entre as equipes foi um amistoso diputado em 1991 e que terminou com vitória verde – 4×0 – gols de Andrei, César, Edu Marangon e Márcio.

GERAL SÉRIE B
J V E D GP GC J V E D GP GC
27 13 6 8 46 34 0 0 0 0 0 0

O IPE se lembra: pelo Paulistão 2007, e debaixo de um verdadeiro dilúvio, o Palmeiras foi até São Caetano e venceu – 2×1  -gols de Alemão e Willian.

Read Full Post »

Você quer um gol, nós queremos um atacante

Você quer um gol. Nós queremos um atacante.

Em mais uma apresentação sofrível, o Palmeiras novamente não soube traduzir a superioridade em gols e perdeu dois pontos para o lanterna do campeonato.

Não há muito o que falar da partida, a não ser que foi uma repetição das últimas apresentações. A equipe domina as ações, mas falta qualidade. A bola chega, mas o ataque não resolve. E olha que dessa vez até penalti os caras conseguiram perder.

O time do São Caetano é muito ruim. Fraco e totalmente perdido em campo, pareciam estar apenas esperando mais uma derrota. Durante todo o primeiro tempo, o jogo ficou concentrado nas proximidades da área adversária. O Palmeiras tinha a posse de bola e chegava com facilidade, principalmente com Wesley.

Mas não adianta a bola chegar se o ataque é inoperante (Volta, Barcos!). O ansioso e displicente Kleber continua dominando as bolas com a canela, e hoje nem ao menos teve coragem de pedir para bater o penalti. Já seu companheiro Vinícius (até quando!?) possui técnica inversamente proporcional à sua vontade. Corre, marca, pede bola, mas não tem condição alguma de ser titular. Fraco, muito fraco.

Gilson Kleina vai cavando a própria cova com essa insistência em querer dar entrosamento para a formação que está apta a jogar a Libertadores. O objetivo do Palmeiras no ano é voltar a série A, e qualquer planejamento que fuja disso deveria ser motivo para a diretoria rever alguns conceitos. Quanto mais o treinador insiste em uma escalação com Maurício Ramos, Araújo e Vinícius, mais tempo ele está perdendo em montar o time que de fato irá disputar a segunda divisão.

Alguma coisa precisa ser feita com urgência, pois do jeito que está a série B começa a ficar muito nebulosa.

Notas

- Prass: fica a impressão de que se estivesse ligado no lance não teria tomando o gol – 4

- Weldinho: tentou 4 ou 5 cruzmentos, e mandou todos com precisão na mão do goleiro – 3

- M.Ramos: pouco trabalhou – 5

- Henrique: chamou a responsabilidade no penalti e perdeu – 3

- M.Olveira: idem ao Weldinho – 3

- Vilson: partida discreta  – 6

- Araújo: fez bem a saída para o jogo – 6

- Wesley: muito bem no primeiro tempo, e fez a jogada do gol no segundo – 7

- Patrick Vieira: aberto na ponta, nada fez  – 4

- Vinícius: até quando!? – 3

- Kleber: não teve personalidade para bater o penalti e continua dominando tudo que é bola de canela… deve ser a ansiedade – 3

- Leandro: entrou, fez o gol, e depois não acertou mais nada – 5

- Tiago Real: mal pegou na bola – 5

- Caio: ao menos não domina de canela – 5

Melhores Momentos

Ficha Técnica

SÃO CAETANO 1 X 1 PALMEIRAS

Local: Anacleto Campanella, São Caetano do Sul (SP)
Data/Hora: 17/3/2013 – 16h
Árbitro: Marcio Henrique de Gois (SP)
Assistentes: Eduardo Vequi Marciano e Leonardo Schiavo Pedalini

Renda/Público: R$ 85.120 / 2.360 pagantes
Cartões Amarelos: Bruno Aguiar e Fabinho (SCA); Maurício Ramos (PAL)
Cartões Vermelhos: -
GOLS: Éder, aos 41’/1ºT (1-0) e Leandro, aos 3’/2ºT (1-1)

SÃO CAETANO: Fábio; Samuel Xavier, Bruno Aguiar, Eli Sabiá e Diego; Fabinho, Moradei, Éder (Samuel Santos, 32’/2ºT) e Rivaldo (Pedro Carmona, 19’/2ºT); Danielzinho e Geovane (Eduardo, 20’/2ºT). Técnico: Aílton Silva.

PALMEIRAS: Fernando Prass; Weldinho, Henrique, Maurício Ramos e Marcelo Oliveira; Márcio Araújo, Vilson, Wesley e Patrick Vieira (Tiago Real, 20’/2ºT); Vinícius (Leandro, Intervalo) e Kleber (Caio, 25’/2ºT). Técnico: Gilson Kleina.

Read Full Post »

sctn_x_SEP

Após reencontrar a vitória contra o Paulista, o Palmeiras volta a campo tentando embalar contra o lanterna da competição.

Horário e local: domingo (17/03), as 16:00, no Anacleto Campanela (Globo/PPV).

Árbitro: será Marcio Henrique de Gois. Será a primeira vez que apita jogo nosso, mas já vem apitando na série A1 desde 2011.

Situação na tabela: o Palmeiras é o sexto colocado com 20 pontos. Já o São Caetano é o lanterna, com apenas 5 – mas arrancou um empate contra nosso arquirrival no Pacaembu.

Desfalques/Reforços: Fernandinho e Maikon Leite seguem em recuperação e desfalcam a equipe. E, para animar a brincandeira no DM, ganharam novamente a companhia de Valdivia. Não há suspensos.

Pendurados: Ayrton, M.Ramos, Araújo e Valdivia. Próxima partida: Botafogo (casa).

Previsão IPE: Prass; Weldinho, M.Ramos, Henrique e M.Oliveira; Vílson, Araújo, Wesley e Patrick Vieira; Vinícius e Kleber.

Destaques/S.Caetano: os volantes Pirão e Marcone foram expulsos na última rodada e ficam de fora. O atacante Jobson, com um corte no braço, também é desfalque. Em situação delicada, o Azulão estreia técnico novo: Aílton Silva. A provável escalação deverá ter Fábio; Samuel Xavier, Gabriel, Eli Sabiá e Diego; Moradei, Leandro Carvalho, Éder e Rivaldo; Vandinho e Danielzinho.

Olho neles: o atacante Danielzinho tem 5 gols no certame e é o artilheiro da equipe, e não podemos deixar de citar o meia, craque e ídolo Rivaldo.

Ex-palmeirenses no S.Caetano: os meias Rivaldo e Pedro Carmona.

Palpite IPE: 3×1, gols de Henrique, Wesley e Vinícius.

Último confronto: foi pelo Paulistão 2012 – 0x0 – no Pacaembu.

Última vitória no local do jogo: foi pelo Paulistão 2009 – 4×3 – gols de Edmílson, Diego Souza e Keirrison (2) para o Palmeiras, e Marcelo Batatais, Vandinho e Luan para o S.Caetano.

Última derrota no local do jogo: foi pelo BR2006 – 0x2 – gols de Élton e Marabá.

Histórico: o primeiro jogo entre as equipes foi um amistoso em 1991 – 4×0 – gols de Andrei, César, Edu Marangon e Márcio. De lá para cá a freguesia só aumentou.

GERAL CAMPEONATO PAULISTA
J V E D GP GC J V E D GP GC
26 13 5 8 45 33 11 6 2 3 19 12

O IPE se lembra: em 2003, com o time sendo montado para a disputa da série B (coincidência!), o Palmeiras foi no papel de zebra até o ABC e voltou com uma vitória suada contra o então vice-campeão da Libertadores, após um jogo cheio de expulsões – 2×0 – gols de Thiago Gentil.

Read Full Post »

A fase final do Campeonato Paulista, no formato atual, foi adotada ano passado, mas a existência de quartas-de-final em si não é novidade. Além de 2011, houveram outras duas edições em que esta fase existiu, ambas também em confronto único, e o Palmeiras esteve presente nelas.

Em 2003, o Palmeiras se classificou na bacia das almas: eram 3 grupos de sete times; classificavam-se os dois primeiros de cada grupo e os dois melhores terceiros colocados. O Verdão passou justamente como o segundo melhor segundo colocado ao empatar em Americana na última rodada. Tivesse sofrido um gol a mais nessa partida, a vaga ficaria com o próprio Rio Branco.

Desta forma, nos coube enfrentar a sensação do torneio até ali: o São Caetano, 6 vitórias em 6 jogos, incluindo um atropelamento por 3 a 0 ao futuro campeão Corinthians em pleno Pacaembu. Para piorar, o regulamento previa a vantagem do empate ao time melhor colocado; entretanto, em noite inspirada de Thiago Gentil, um Palmeiras rebaixado, sob desconfiança geral e com diversas caras novas que não durariam sequer até o início da Série B, resolveu lembrar de sua grandeza: 2 a 0 no Anacleto Campanella. Na semifinal, o time esteve na frente quase todo o tempo na primeira partida, mas cedeu o empate ao Corinthians; no segundo jogo, com a equipe sem nenhum zagueiro em condição de jogo, o rival rapidamente abriu 3 a 0 e venceu por 4 a 2.

Em 2004, a primeira fase mudou: eram dois grupos, um com 11 e outro com 10 times – não é de hoje que o Paulista apresenta bizarrices. No grupo maior, o Palmeiras encerrou a primeira fase em terceiro lugar, lhe cabendo o segundo colocado do outro grupo em jogo único fora de casa. Desta forma, o Verdão desceu a serra para encontrar a Portuguesa Santista. A regra era diferente: empate no tempo normal levaria à prorrogação, e dali aos pênaltis. A Briosa chegou ao intervalo na frente, mas Vágner Love e Pedrinho puseram o recém-promovido Palmeiras nas semifinais contra o Paulista, que nos eliminaria nas penalidades.

Ano passado, o Palmeiras fez as quartas “em casa”, após terminar a primeira fase na segunda colocação. Assim como este ano, os primeiros quatro colocados tinham como única vantagem o direito de decidir em casa. No caso de empate no tempo normal, a decisão iria para os penaltis. Nos emparelhamentos, o adversário foi o Mirassol, e a vitória por 2×1 no Pacaembu nos colocou na semi, que perderíamos para o Corinthians, nos penaltis, após jogar boa parte da partida com um a menos, em jogo que ficou marcado pela polêmica escalação antecipada de Paulo César de Oliveira antes mesmo do sorteio na FPF.

Este ano o regulamento é o mesmo e, já que conseguimos a façanha de ficarmos em quinto lugar, decidiremos a vaga fora de casa, contra o Guarani. Esperamos que o retrospecto de vitórias nesta fase se mantenha!

FICHAS TÉCNICAS

26/02/2003 – SÃO CAETANO-SP 0 x 2 PALMEIRAS-SP – CAMPEONATO PAULISTA
Estádio Anacleto Campanella – São Caetano / SP – Brasil – Horário: 21h00
Árbitro: Sálvio Spínola Fagundes Filho (SP) – Assistentes: Marinaldo Silvério (SP), Francisco Feitosa (SP)
São Caetano (São Caetano/SP): Sílvio Luiz, Rafael, Dininho, Serginho, Zé Carlos, Marcos Aurélio (Mineiro), Ramalho (Marlon), Fábio Santos, Luís Carlos Capixaba, Marcinho, Adhemar (Anaílson) – Técnico: Mário Sérgio
Palmeiras (São Paulo/SP): Marcos, Pedro, Índio, Leonardo, Marquinhos, Adãozinho, Claudecir, Magrão, Zinho (Corrêa), Muñoz (Everaldo), Anselmo (Thiago Gentil) – Técnico: Jair Picerni
Cartões amarelos: Dininho, Marco Aurélio (São Caetano), Marcos, Leonardo, Magrão (Palmeiras) – Cartões vermelhos: Rafael (São Caetano), Pedro, Claudecir (Palmeiras)
Gols: Thiago Gentil (Palmeiras), 8 min, 42 min segundo tempo

21/03/2004 – PORTUGUESA SANTISTA-SP 1 x 2 PALMEIRAS-SP – CAMPEONATO PAULISTA
Estádio Ulrico Mursa – Santos / SP – Brasil – Horário: 16h00 – Público: 7.549 pagantes – Renda: R$ 98.140,00
Árbitro: Sálvio Spínola Fagundes Filho (SP) – Assistentes: Nílson de Souza Monção (SP), Émerson Augusto de Carvalho (SP)
Portuguesa Santista (Santos/SP): Cristiano, Édson Mendes, Diguinho, Chicão, Fabinho, Axel, Beto (Leandro Moreno), Reinaldo (Gileno), João Fumaça (Luciano Barbosa), Nando, Marlon – Técnico: Nenê
Palmeiras (São Paulo/SP): Marcos, Baiano, Leonardo, Nen, Lúcio, Marcinho (Rafael Marques), Corrêa, Diego Souza, Pedrinho (Fábio Gomes), Vágner Love, Adriano Chuva (Muñoz) – Técnico: Jair Picerni
Cartões amarelos: Axel, João Fumaça (Portuguesa Santista), Baiano, Lúcio, Leonardo (Palmeiras) – Cartão vermelho: Diguinho (Portuguesa Santista)
Gols: Beto (Portuguesa Santista), 21 min primeiro tempo, Vágner Love (Palmeiras), 11 min, Pedrinho (Palmeiras), 14 min segundo tempo

24/04/2011 – PALMEIRAS-SP 2 x 1 MIRASSOL-SP – CAMPEONATO PAULISTA
Estádio Paulo Machado de Carvalho – São Paulo / SP – Brasil – Horário: 18h30 – Público: 17.538 pagantes – Renda: R$ 466.682,00
Árbitro: Guilherme Ceretta de Lima (SP) – Assistentes: Hérman Brúmel Vani (SP) e Bruno Salgado Rizo (SP)
Palmeiras (São Paulo/SP): Deola, João Vitor, Danilo, Leandro Amaro, Rivaldo, Marcos Assunção, Márcio Araújo, Tinga (Chico), Valdivia (Lincoln), Luan, Kléber – Técnico: Luiz Felipe Scolari

Mirassol (Mirassol/SP): Fernando Leal, Samuel (Daniel Marques), Luiz Henrique, Dezinho, Diego, Magal, Jairo, Esley (Marcelinho), Xuxa, Wellington Amorim, Serginho (Renato Peixe) – Técnico: Ivan Baitello

Cartões amarelos: Deola, Danilo, Rivaldo e Tinga (Palmeiras), Dezinho, Esley (Mirassol) – Cartão vermelho: Xuxa (Mirassol)
Gols: Valdivia (Palmeiras), 10 min primeiro tempo, Marcelinho (Mirassol), 40 min primeiro tempo, Márcio Araújo (Palmeiras), 11 min segundo tempo.

Read Full Post »

Horário e local: domingo (4/3), às 16:00, no Paulo Machado de Carvalho (PPV).

Árbitro: será Antonio Rogério Batista do Prado, que nesse Paulistão já apitou a vitória por 2 a 0 sobre o Mogi. Além disso, apitou:

2011 – 0 x 1 Corinthians (n)

2010 – 4 x 3 Santos (f)

2008 – 2 x 2 Mirassol (c)

2006 – 1 x 4 América (c)

Situação na tabela: com 25 pontos, o Palmeiras é o vice-líder. Já o Azulão, com 13, está em 12°.

Desfalques: Leandro Amaro e Artur, suspensos. E o Mago, aparece ou não?

Pendurados: Maikon Leite, Patrik. Próxima partida: Botafogo (f)

Previsão IPE: Deola, Cicinho, Román, Henrique, Juninho; Márcio Araújo, Marcos Assunção, João Vítor, Daniel Carvalho; Maikon Leite, Barcos.

Destaques/São Caetano: o técnico Márcio Araújo deve escalar Luiz; Marcone, Jorge Luiz, Eli Sabiá, Vicente; Augusto Recife, Moradei, Isael , Kléber, Aílton; Geovanne.

Ex-palmeirenses no São Caetano: são os volantes Anselmo (que ainda é nosso e desfalca o time) e o artilheiro – quem diria – Marcelo Costa.

Previsão IPE: uma vitória magra com gol de Barcos.

Último confronto: ano passado, os times ficaram no 1 a 1 no Anacleto Campanella (Kléber, Arthur – nosso atual camisa 14)

Última vitória no local do jogo: é a primeira vez que o jogo ocorre fora do Palestra ou do Anacleto; na capital, nossa última vitória foi pelo Paulista de 2008: 3 a 1 (Alex Mineiro, Pierre – seu primeiro gol no clube, Valdivia; Douglas)

Última derrota no local do jogo: foi um vexame – a derrota por 4 a 1 que custou a cabeça de Muricy Ramalho em 2010 (Diego Souza; Eduardo 2, Marcelo Batatais, Luciano Mandi)

Histórico: são 26 jogos, sendo dois amistosos em 1991 e 1992 e todos os demais nos anos 2000. Depois de tropeços nos primeiro jogos, o Azulão já não assusta tanto – foram duas derrotas nos últimos dez jogos. De resto, o São Caetano é um caso raro, senão único, de time paulista com quem a maioria dos embates não é pelo Estadual.

GERAL CAMPEONATO PAULISTA
J V E D GP GC J V E D GP GC
26 14 4 8 52 37 10 6 1 3 19 12

O IPE se lembra: Pelo Brasileiro-2006, na estreia do uniforme-3, a camisa prata atropelou a azul – 3×1 – gols de Daniel, Paulo Baier e Edmundo.

Read Full Post »

O regulamento do Paulistão de 2011 tem aspectos que o tornam único na história do campeonato, mas a existência de quartas-de-final não é um deles: houve duas edições em que esta fase existiu, ambas também em confronto único. E o Palmeiras esteve presente nelas.

Em 2003, o Palmeiras se classificou na bacia das almas: eram 3 grupos de sete times; classificavam-se os dois primeiros de cada grupo e os dois melhores terceiros colocados. E o Verdão passou justamente como o segundo melhor segundo colocado ao empatar em Americana na última rodada. Tivesse sofrido um gol a mais nessa partida, a vaga ficaria com o próprio Rio Branco.

Desta forma, nos coube enfrentar a sensação do torneio até ali: o São Caetano, 6 vitórias em 6 jogos, incluindo um atropelamento por 3 a 0 ao futuro campeão Corinthians em pleno Pacaembu. Para piorar, o regulamento previa a vantagem do empate ao time melhor colocado; entretanto, em noite inspirada de Thiago Gentil, um Palmeiras rebaixado, sob desconfiança geral e com diversas caras novas que não durariam sequer até o início da Série B, resolveu lembrar de sua grandeza: 2 a 0 no Anacleto Campanella. Na semifinal, o time esteve na frente quase todo o tempo na primeira partida, mas cedeu o empate ao Corinthians; no segundo jogo, com a equipe sem nenhum zagueiro em condição de jogo, o rival rapidamente abriu 3 a 0 e venceu por 4 a 2.

No ano seguinte, a primeira fase mudou: eram dois grupos, um com 11 e outro com 10 times – não é de hoje que o Paulista apresenta bizarrices. No grupo maior, o Palmeiras encerrou a primeira fase em terceiro lugar, lhe cabendo o segundo colocado do outro grupo em jogo único fora de casa. Desta forma, o Verdão desceu a serra para encontrar a Portuguesa Santista. A regra era diferente: empate no tempo normal levaria à prorrogação, e dali aos pênaltis. A Briosa chegou ao intervalo na frente, mas Vágner Love e Pedrinho puseram o recém-promovido Palmeiras nas semifinais contra o Paulista, que nos eliminaria nas penalidades.

Este ano, pela primeira vez o Palmeiras faz as quartas em casa, porém sem qualquer vantagem. Esperamos que mesmo assim o time faça com que o Mirassol siga o caminho de São Caetano e Portuguesa Santista, mas que galgue depois os degraus que faltaram em 2003 e 2004.

FICHAS TÉCNICAS

26/02/2003 – SÃO CAETANO-SP 0 x 2 PALMEIRAS-SP – CAMPEONATO PAULISTA
Estádio Anacleto Campanella – São Caetano / SP – Brasil – Horário: 21h00
Árbitro: Sálvio Spínola Fagundes Filho (SP) – Assistentes: Marinaldo Silvério (SP), Francisco Feitosa (SP)
São Caetano (São Caetano/SP): Sílvio Luiz, Rafael, Dininho, Serginho, Zé Carlos, Marcos Aurélio (Mineiro), Ramalho (Marlon), Fábio Santos, Luís Carlos Capixaba, Marcinho, Adhemar (Anaílson) – Técnico: Mário Sérgio
Palmeiras (São Paulo/SP): Marcos, Pedro, Índio, Leonardo, Marquinhos, Adãozinho, Claudecir, Magrão, Zinho (Corrêa), Muñoz (Everaldo), Anselmo (Thiago Gentil) – Técnico: Jair Picerni
Cartões amarelos: Dininho, Marco Aurélio (São Caetano), Marcos, Leonardo, Magrão (Palmeiras) – cartões vermelhos: Rafael (São Caetano), Pedro, Claudecir (Palmeiras)
Gols: Thiago Gentil (Palmeiras), 8 min, 42 min segundo tempo

21/03/2004 – PORTUGUESA SANTISTA-SP 1 x 2 PALMEIRAS-SP – CAMPEONATO PAULISTA
Estádio Ulrico Mursa – Santos / SP – Brasil – Horário: 16h00 – Público: 7.549 pagantes – Renda: R$ 98.140,00
Árbitro: Sálvio Spínola Fagundes Filho (SP) – Assistentes: Nílson de Souza Monção (SP), Émerson Augusto de Carvalho (SP)
Portuguesa Santista (Santos/SP): Cristiano, Édson Mendes, Diguinho, Chicão, Fabinho, Axel, Beto (Leandro Moreno), Reinaldo (Gileno), João Fumaça (Luciano Barbosa), Nando, Marlon – Técnico: Nenê
Palmeiras (São Paulo/SP): Marcos, Baiano, Leonardo, Nen, Lúcio, Marcinho (Rafael Marques), Corrêa, Diego Souza, Pedrinho (Fábio Gomes), Vágner Love, Adriano Chuva (Muñoz) – Técnico: Jair Picerni
Cartões amarelos: Axel, João Fumaça (Portuguesa Santista), Baiano, Lúcio, Leonardo (Palmeiras) – cartão vermelho: Diguinho (Portuguesa Santista)
Gols: Beto (Portuguesa Santista), 21 min primeiro tempo, Vágner Love (Palmeiras), 11 min, Pedrinho (Palmeiras), 14 min segundo tempo

Read Full Post »

Detalhe do patrocínio na barra e no calção

O Palmeiras tinha a chance de manter a ponta do campeonato jogando hoje no Anacleto Campanela mas acabou esbarrando no São Caetano em um jogo de pouca técnica e muitos erros de finalização.

A partida começou com o Palmeiras no ataque, sem Valdívia, mas com Kléber conseguindo criar boas chances; logo aos 5′ Artur derrubou o Gladiador dentro da área, o juizão apontou a cal, reclamação,  Kléber bateu e bola para um lado, goleiro para o outro: 1×0.

A partir daí o São Caetano passou a tentar o ataque e o Palmeiras procurou chegar com calma para ampliar o placar, o Azulão teve mais força ofensiva e o Palmeiras recuou excessivamente, ou não teve criatividade necessária para contra-atacar corretamente e começou a aparecer o melhor da partida na opinião do IPE: Deola executou grandes defesas e impediu o empate do Azulão – pelo menos por um tempo, aos 35′ Artur – o mesmo do penalti – cabeceou depois de cobrança de escanteio de Minhoca (!!), Deola ainda chegou a pegar nela mas não teve jeito: 1×1.

Pro segundo tempo Felipão tirou Michael Jackson – que anda meio ‘morto’ – e colocou Tinga para tentar melhorar a criação, mas nada foi capaz de alterar o placar para o lado do Palmeiras – o São Caetano atacava mais e esteve mais perto de desempatar o placar. Thiago Heleno e Anderson Marques tomaram vermelho por um empurra-empurra depois de falta na área – foi a primeira expulsão do Palmeiras no ano. No finzinho o Azulão pressionou pela virada mas Deola estava lá para garantir pelo menos o pontinho. O Palmeiras encerra a rodada em terceiro, à frente do Santos, e agora tem dois jogos em casa, além de assistir ao confronto direto entre os líderes, para buscar uma posição melhor.

Fica evidente a Valdívia-dependência, o meio não apresentou praticamente nada digno de nota, o que nos leva à inevitável e DESAGRADÁVEL pergunta: Como o Palmeiras pode ser dependente de Valdívia com essa série de lesões – ainda que rápidas – do Chileno? será que além do 9 que tanto pede Don Felipone o Verdão não deveria providenciar outro meia? Outro destaque negativo da meiúca hoje foi Marcos Assunção, que errou absolutamente tudo e falhou no gol do São Caetano.

 

 

FICHA TÉCNICA
SÃO CAETANO 1 X 1 PALMEIRAS

Estádio: Anacleto Campanella, São Caetano (SP)
Data/hora: 20/3/2011 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Guilherme Ceretta de Lima (SP)
Auxiliares: Carlos Barbosa de Oliveira (SP) e Carlos Alberto Funari (SP)
Renda e público: R$275.800,00 / 9.527 pagantes
Cartões Amarelos: Thiago Martinelli, Augusto Recife, Henrique Dias (SCA); Luan (PAL)
Cartões Vermelhos: Anderson Marques, 18’/2ºT (SCA); Thiago Heleno, 18’/2ºT (PAL)
Gols: Kleber, 6’/1ºT; Artur, 36’/1ºT

SÃO CAETANO: Luiz; Jean Rolt, Anderson Marques e Thiago Martinelli; Artur, Augusto Recife, Walter Minhoca (Kléber, 24’/2ºT), Aílton (Henrique Dias, 32’/2ºT) e Bruno; Eduardo e Antonio Flávio (Luciano Mandi, 12’/2ºT). Técnico: Ademir Fonseca.

PALMEIRAS: Deola, Cicinho (Chico, 22’/2ºT), Danilo, Thiago Heleno e Gabriel Silva; Márcio Araújo, Marcos Assunção, e Patrik; Adriano (Tinga, Intervalo) Luan (Max Santos, 36’/2ºT) e Kleber. Técnico: Felipão.

 

Read Full Post »

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 42 outros seguidores