Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Tabelas’

Que em 13/5 vejamos algo parecido

A FPF anunciou ontem a tabela completa do Campeonato Paulista do ano que vem. O regulamento será o mesmo deste ano: os oito primeiros avançam para as quartas de final, que assim como as semifinais serão em jogo único; empate leva a decisão para os pênaltis.

Eis a sequência palmeirense rumo ao mata-mata, lembrando que o clube ainda não decidiu onde mandará suas partidas na próxima temporada.

Observação (em 5/12): a FPF abriu os horários das primeiras 10 rodadas.

Rodada 1: Bragantino x Palmeiras, 22/1 (dom), 17:00, deveria ser TV aberta, mas só consta PPV

R2: Palmeiras x Portuguesa, 25/1 (qua), 21:50, PPV pra capital, Globo/Band pro interior

R3: Catanduvense x Palmeiras, 29/1 (dom), 17:00, Globo/Band 

R4: Palmeiras x Mogi Mirim, 1/2 (qua), 21:50, PPV pra capital, Globo/Band pro interior

R5: Santos x Palmeiras, 5/2 (dom), 17:00, Globo/Band

R6: Palmeiras x XV de Piracicaba, 8/2 (qua), 21:50, PPV pra capital, Globo/Band pro interior

R7: Palmeiras x Ituano, 11/2 (sáb), PPV

R8: Guaratinguetá x Palmeiras, 17/2 (sáb), 21:00, SporTV

R9: Palmeiras x Oeste, 23/2 (qui), 19:30, PPV

R10: Palmeiras x São Paulo, 26/2 (dom), 16:00, Globo/Band

R11: Linense x Palmeiras, 29/2 (qua)

R12: Palmeiras x São Caetano, 4/3 (dom)

R13: Botafogo x Palmeiras, 11/3 (dom)

R14: Palmeiras x Ponte Preta, 18/3 (dom)

R15: Corinthians x Palmeiras, 25/3 (dom)

R16: Paulista x Palmeiras, 28/3 (qua)

R17: Palmeiras x Mirassol, 1/4 (dom)

R18: Guarani x Palmeiras, 8/4 (dom)

R19: Palmeiras x Comercial, 15/4 (dom)

Notem que os clássicos são exatamente a cada cinco rodadas, e que os mandos são exatamente os inversos de 2011, como costuma acontecer. A exceção é o confronto contra o Santos, que pela terceira vez seguida será na Vila Belmiro (as outras duas, ganhamos: 4×3 em 2010, 1×0 em 2011). Não encontramos explicação razoável para isso, a não ser o interesse da televisão.

O mata-mata acontece nos fins de semana seguintes: 22/4, 29/4, 6/5 e 13/5, dia da partida decisiva.

Read Full Post »

Em 2009, foi pelo sub-17. Agora, Palmeiras e Paulínia se veem no sub-20. Foto: Jogos Perdidos

Acabou neste fim-de-semana a segunda fase do Campeonato Paulista sub-20. A partir de agora, os 16 classificados jogam em esquema mata-mata, e não há mais espaço para erros na inconstante campanha palmeirense.

Já classificado, o Alviverde perdeu para o Flamengo de Guarulhos por 1 a 0, resultado que custou a liderança do grupo pelo saldo de gols para o São Paulo. Com isso, o Alviverde avança como segundo colocado do grupo 10, e terá pela frente o segundo colocado do grupo 9: o Paulínia, da cidade homônima.

Não se iluda, caro leitor: pela campanha até aqui, o time da região de Campinas é o favorito. É verdade que o Palmeiras pegou um grupo mais difícil na primeira fase, mas ainda assim a campanha do adversário é muito boa: em 14 jogos, apenas uma derrota, para o Corinthians, além de nove vitórias e quatro empates. O Verdinho, por sua vez, soma 7 vitórias, 3 empates e 6 derrotas em dezesseis jogos até aqui.

Por conta do desempenho das duas equipes, a primeira partida terá mando verde, provavelmente em Caieiras. A volta fica para o Estádio Luís Perissinoto, casa do time amarelo-anil.

A sequência da competição também está definida; avançando às etapas seguintes, eis os possíveis adversários:

- Quartas-de-final: Noroeste ou Inter de Limeira.

- Semifinal: provavelmente teríamos um clássico –  as opções são Corinthians, São Paulo, Guarani e Flamengo de Guarulhos.

- Final: Santos, Lusa, São Bernardo, Barueri, Sertãozinho, Mogi Mirim, Osasco e Ferroviária (como se vê, quem pegou a chave mais fácil foi o time da Baixada).

Desejamos sorte aos meninos na hora da verdade. Nos últimos anos, o desempenho do sub-20 tem sido bom (campeão em 2009, semifinalista em 2010), por isso acreditamos em um novo bom resultado.

***

Enquanto isso, o sub-17 e o sub-15 estão a duas rodadas do fim da terceira fase. O sub-17 lidera seu grupo e um empate nos dois jogos que faltam (Paulista e Mauaense) bastará para chegar às quartas. Já o sub-15 atravessa mais dificuldades, mas está na briga: com seis pontos, está em segundo no grupo, atrás do Red Bull (7) e à frente de Santos (5) e Botafogo (4). Os meninos do Palmeiras ainda enfrentam o time das aaaaaaasas e o da Vila Belmiro, buscando ao menos manter a posição atual.

Read Full Post »

Na Academia, o Sub-17 fez 6 no Mauaense (foto: palmeiraspassadodeglorias.blogspot.com)

Terminou no último fim de semana a primeira fase do Campeonato Paulista Sub-17, bem como de seu irmão gêmeo (pois as tabelas eram iguais) mas paradoxalmente menor, o Sub-15. Das 76 equipes que largaram, 32 seguem, o Palmeiras entre elas em ambas – com mais brilho entre os mais velhos, e menos entre os jovens. Vamos então a um resumo do que os garotos fizeram e o que vem pela frente.

Sub-17

Com 33 pontos em 14 jogos (10V/3E/1D/44GP/12GC), o Palmeiras se classificou em primeiro lugar no grupo 8, com a segunda melhor campanha geral. No mesmo grupo, também passaram a Portuguesa e o Mauaense.

O time nadou de braçada: foram sete vitórias e 100% de aproveitamento no primeiro turno. A derrota solitária, para o Carrefour Casino Pão de Açúcar, não abalou a campanha. Na reta final, a equipe se poupou: os três empates vieram nos últimos quatro jogos (o outro foi um sonoro 11×0 sobre o Taboão da Serra), e mesmo assim terminamos oito pontos à frente da Lusa.

Os artilheiros do Palmeiras são Hugo Ragelli, que subiu de categoria este ano, com sete; Bruno Sabiá, que perdeu alguns jogos por causa do Mundial, com seis (há que se notar que o artilheiro da competição, Ademilson, tem 18 e também foi ao México), e Bruno Dibal, com cinco. OK, citemos mais dois: Cristopher Lambert e Heitor marcaram quatro vezes cada.

O time agora tem duas semanas de folga e volta a campo no dia 30, já pela primeira rodada do grupo 16, que tem a seguinte composição:

- Palmeiras (1º colocado grupo 8 )

- Taubaté (2º colocado grupo 6)

- Linense (3º colocado grupo 1)

- Botafogo-RP (3º colocado grupo 3)

Os dois primeiros avançam para a terceira fase, que também será disputada em quadrangulares.

Sub-15

Foi mais suado, mas não tão difícil assim. O mais verde dos times do Palmeiras, com o perdão do trocadilho, terminou o grupo 8 em terceiro, com 28 pontos (8V/4E/2D/30GP/9GC), atrás de São Caetano e Pão de Açúcar – mas a Lusa, quarta colocada com 3 pontos a menos, avançou como um dos melhores quartos colocados. Ou seja, tivemos alguma folga.

A campanha começou com um empate e uma derrota, mas a seguir quatro vitórias consecutivas deram o impulso que a equipe precisava para se equilibrar e obter a vaga até com alguma antecedência.

Nossos matadores mirins são Caio Vinícius, 5 gols, e Flamarion, 4. O artilheiro geral é João, do Rio Branco, que tem 19 (curiosamente, o vice-artilheiro, com 13, também é do time de Americana).

O regulamento segue igual ao do sub-17, dando duas semanas de folga até o princípio da segunda fase. Nesta, o Palmeiras faz parte do grupo 17, do qual dois avançam; eis os contendores:

- Palmeiras (3º colocado grupo 8 )

- Desportivo Brasil (1º colocado grupo 9, com o maior aproveitamento porcentual da competição)

- Batatais (2º colocado grupo 3)

- São José (3º colocado grupo 6)

Seguiremos acompanhando as campanhas de nossas promessas, por enquanto, desejamos que aproveitem bem este período sem jogos para entrar forte na próxima etapa.

(Lembramos que o sub-20 se encontra parado até agosto; o Palmeiras está em quarto num grupo de seis times. Serão exatamente quatro os classificados, é bom não vacilar muito)

Texto anterior: Começam os Estaduais Sub-17 e Sub-15

Read Full Post »

A turma de 2009 foi campeã

Este fim de semana marca o começo do principal campeonato para as categorias de base do Palmeiras: o Paulista Sub-20. É um campeonato bastante diferente do Sub-17 e do Sub-15, cujos participantes e tabelas são idênticos. Por exemplo, serão “apenas” 33 participantes, contra 76 das demais categorias (vale dizer que o Sub-20 é dividido em 1ª e 2ª Divisão. Na Primeira entram os clubes das séries A1, A2 e A3, e na Segunda os demais).

É a chance de (re)ver alguns jogadores que atuaram na última Copinha ou no Brasileiro sub-20 – até porque, mais adiante, alguns jogos devem ser televisionados. Em tempos de contenção de despesas, vale conhecer quem pode vir a ser pinçado para o time de cima (embora saibamos que o destino mais provável para grande parte é o famigerado time B).

Assim como fizemos para os Estaduais de juvenis e juniores, eis uma série de perguntas e respostas sobre o torneio:

Com quem e onde o Palmeiras joga na primeira fase?

O Palmeiras está no grupo 6, ao lado de Santos, São Caetano, Santo André, São Bernardo e Pão de Açúcar. Como se vê, são cinco equipes que jogaram a A1 – e a sexta foi quadrifinalista da última Copinha. É uma divisão meio inexplicável, dado que Corinthians e São Paulo caíram em grupos muito mais fracos.

Grupo complicado, hein? Quantos passam?

A FPF gosta de regulamentos estapafúrdios, e esse não foge à regra: dos seis clubes, quatro avançam. Não achou exagerado? O caso é que há três grupos com cinco times cada, e neles também serão quatro os classificados. Ou seja, dos 33 que iniciam, sobram 24 na segunda fase. Destes, 16 avançam para o mata-mata, e aí só o mais forte sobrevive.

Quais os horários dos jogos?

Na primeira fase, todos os jogos estão marcados para sábados às 15:00. A estreia já é uma pedreira: o Santos – que eliminamos na semifinal de 2010 – no CT Rei Pelé. Entre a sétima e a oitava rodadas, há uma pausa de mais de um mês, que não se deve ao Mundial sub-20 e não sei explicar.

Que idade têm os atletas desta categoria?

Podem jogar quaisquer atletas nascidos entre 1991 e 1994; permite-se ainda a presença de cinco jogadores nascidos em 1995 ou 1996. Portanto, na mesma partida pode haver moleques de 14 anos e marmanjos de 20. Vale lembrar que jogadores de 1994 a 1996 podem também jogar o sub-17.

O Palmeiras tem tradição neste campeonato?

Ao contrário do que o bom senso nos diz, devido à falta de revelações no time de principal, a resposta é um sonoro sim! Nos últimos dez anos, o Palmeiras levantou três taças, feito não igualado por ninguém. Somando-se todos os campeonatos desde 1990, o Alviverde ganhou cinco edições, sendo o maior vencedor. A óbvia pergunta é: por que razão o clube não consegue transformar atletas que vencem na base em atletas que vencem no profissional (ao menos não no Palmeiras)?

Ano   Campanha   Artilheiro do time
2010   Vice-campeão (vs. Portuguesa)   Miguel (vice geral)
2009   Campeão (vs. Grêmio Barueri)   Afonso
2008   Quadrangular semifinal (vs. São Caetano)   Daniel Lovinho (vice geral)
2007   Lanterna da 1ª fase (!!!)   Diogo e Richard
2006   Lanterna da 2ª fase   Não temos
2005   Semifinalista (vs. Santos)   Beto (artilheiro geral)
2004   Campeão (vs. Corinthians)*   Não temos
2003   Caiu na 3ª fase (vs. Santos)   Não temos
2002   Campeão (vs. Guarani)   Não temos
2001   Oitavas-de-final (vs. Matonense)   Não temos

*o caso de 2004 é curioso e vale a pena ser relatado aqui: naquele ano, pela primeira e única vez a FPF permitiu a presença de duas equipes da mesma agremiação; naturalmente falamos do Palmeiras e do Palmeiras B. Ambos venceram seus grupos na primeira fase e classificaram-se para as oitavas. Nela, o time A foi eliminado pelo Jaboticabal (2×1 e 0x4). O time B, no entanto, avançou até o título, batendo Comercial (1×0 e 3×2), Atlético Sorocaba (3×2 e 2×3, avançando por ter melhor campanha) e Noroeste (3×2 e 2×0), até triunfar no “Derbinho” (0x0 e 4×3). Essa conquista fez com que a FPF desse ao time B o direito de jogar a Copa São Paulo de Juniores de 2005 ao lado do time A. Como sabemos, os dois acabaram se encontrando no duelo mais inusitado da história da competição.

O sucesso daquele time fez até o então técnico do principal Estevam Soares prestar atenção nos valores que ali jogavam. Vejam nesta matéria que a maior parte dos nomes citados acabou de fato sendo bem-sucedida – mas não no Palestra. Fica aqui o registro, para evitar que este tipo de situação ocorra tão frequentemente no Palmeiras.

Quem são os destaques?

É difícil saber quem jogará o sub-20 e quem fica reservado para atuar pelo time B na Copa Paulista, mas alguns dos nomes mais conhecidos em idade de disputar o torneio são os goleiros Giovani e Pegorari; o zagueiro Luís Gustavo, que defendeu por bastante tempo a seleção sub-17; o lateral-esquerdo Andrade, que treinou no time de cima este ano; o volante Didi, destaque no Brasileiro Sub-20, e por fim o atacante Patrick Vieira, que foi bem na Copinha. Outros jogadores em condições de jogar, mas que possivelmente não estarão presentes porque já pularam para o B ou para o principal, são Bruno Turco, Gilsinho, Vinícius e Miguel Bianconi.

Como saber os resultados?

A página oficial do torneio é esta, e os resultados geralmente são atualizados às segundas ou terças. O IPE também divulga os placares semanalmente pelo twitter, e periodicamente postamos novidades aqui.

*

Nas categorias já em andamento, o Palmeiras vem cumprindo seu papel: o sub-17 tem 100% de aproveitamento após 5 rodadas e encaminha-se para uma classificação tranquila. Já o Sub-15, após tropeçar nos primeiros jogos, vem se recuperando e, após vencer a terceira seguida, assumiu a terceira colocação (lembrando que são justamente três vagas para a próxima fase). Eis a situação no momento:

Sub-17 – Grupo 08
  Equipe TP J V E D GP GC SG
1 Palmeiras  15 5 5 0 0 18 1 17
2 Osasco FC  10 5 3 1 1 9 3 6
3 Portuguesa 8 5 2 2 1 12 9 3
4 São Caetano  7 5 2 1 2 8 8 0
5 Mauaense  6 5 2 0 3 3 10 -7
6 PAEC  5 5 1 2 2 4 6 -2
7 Santo André  3 5 0 3 2 3 7 -4
8 Taboão da Serra  1 5 0 1 4 3 16 -13
                   
Sub-15 – Grupo 08
  Equipe TP J V E D GP GC SG
1 São Caetano  12 5 4 0 1 10 4 6
2 PAEC  11 5 3 2 0 8 5 3
3 Palmeiras  10 5 3 1 1 12 5 7
4 Portuguesa 9 5 3 0 2 9 6 3
5 Osasco FC  9 5 3 0 2 9 6 3
6 Santo André  3 5 1 0 4 3 6 -3
7 Mauaense  2 5 0 2 3 1 10 -9
8 Taboão da Serra  1 5 0 1 4 4 14 -10

Read Full Post »

Ponte e Oeste: nas quartas, pode ser um deles

Os resultados do fim de semana determinaram que o Palmeiras tem garantida a vantagem de mando nas quartas e nas semis. É o mais importante, já que ficar em primeiro ou segundo não faz muita diferença; não considero que deter a volta das finais seja tão relevante. Mesmo o mando da semi não chega a ser fundamental especialmente caso enfrentemos o Corinthians. Ele seria vital contra o São Paulo, mas este encontro já não pode ocorrer nesta etapa.

(Importante: oficialmente, o mando dos clássicos é da Federação. Assim, ela pode impor aos times onde jogar, mesmo que os clubes batam o pé. Uma possível consequência está no fim deste post.)

Vamos agora ver as possibilidades de confronto nas quartas. Para isso, será necessário considerar duas hipóteses – a de o Palmeiras terminar em primeiro e em segundo lugar. Em todo caso, é nosso palpite que o Corinthians bate o Santo André e termina em terceiro, com o Santos em quarto.

Palmeiras em primeiro: é razoável supor que o São Caetano bata o Linense. Assim, se o Palmeiras bater a Ponte, o oitavo seria definido no saldo de gols. Basta São Caetano ou Palmeiras vencerem por dois que teríamos dois jogos seguidos contra o time campineiro.

As hipóteses menos prováveis são que o Palmeiras se classifique em primeiro sem bater a Ponte (o que deixaria a Macaca em sétimo) ou o Azulão tropeçar no Linense, dando brecha para Paulista ou Portuguesa. Mas realmente o caminho mais provável até a final com o Verdão em primeiro seria:

Quartas-de-final: Ponte Preta (com probabilidade pouco menor, São Caetano. Com chances reduzidas, Paulista e Lusa)

Semifinal: Santos

Palmeiras em segundo: nesse caso, pegaremos o sétimo. Se vencer o Palmeiras, a Ponte deve galgar posições, nos legando Oeste ou Mirassol. Empatando, a Ponte fica em sétimo e teremos dois jogos seguidos. Nosso palpite é que o Mirassol arranca um pontinho em Bragança e deixa o Oeste para trás. Assim, o caminho fica:

Quartas de final: se a Ponte vencer, Oeste (com menor probabilidade, Mirassol e Ponte Preta). Se empatar, Ponte.

Semifinal: Corinthians

Qual caminho lhe parece mais conveniente?

***

O começo da semana que vem será marcado pela discussão sobre os horários dos jogos das quartas; vamos aqui antecipá-la. A Globo deve estar sentindo comichões por não exibir o Corinthians há algumas semanas e por isso nos parece claro que esta seria a opção da emissora; com o alvinegro no domingo, o Palmeiras teria que jogar sábado por exigência da PM (o São Paulo foi punido e se não conseguir efeito suspensivo joga fora da capital de toda forma).

Aí entra outro problema: a CBF marcou a volta de Palmeiras x Santo André para a quinta-feira, dia 21; desta forma, o Verdão não poderá atuar no sábado. Restam duas alternativas:

- O Corinthians ser antecipado para o sábado e a Globo escolher entre Palmeiras e São Paulo para o domingo à tarde.

- O Palmeiras ser forçado a jogar domingo às 18:30 em Barueri para que a Globo possa exibir o Corinthians no Pacaembu.

 

Read Full Post »

Os campeões da Copa Rio agora brigam no Estadual

Amanhã têm início as edições 2011 do Paulista sub-15 e do sub-17 (o sub-20 é daqui a alguns meses). No médio prazo, são destes torneios que promessas podem ser pinçadas, especialmente no sub-17, que por sinal vem da conquista de um torneio denominado Copa Rio, em fevereiro.

Serão 32 rodadas em cada torneio – todas aos sábados – até se chegar ao campeão, que será conhecido em 26/11. São verdadeiras maratonas, que começam com 76 participantes e se compõem de seis fases, sendo as três primeiras classificatórias e as três últimas no mata-mata. O Instituto Palestrino de Estatística preparou um FAQ para você se preparar para a competição de onde saem os craques do futuro:

Setenta e seis times? Como funciona isso?

Bom, antes de tudo, vale dizer que na primeira fase os grupos e tabelas são iguais para o sub-15 e sub-17, pois os jogos são disputados no mesmo dia, um em sequência ao outro, o que faz com que os clubes não precisem organizar viagens em dobro.

Isto posto, são 10 grupos, alguns com oito e outros com sete times. De cada um classificam-se três, e os dois melhores quartos colocados completam os 32 classificados. Na segunda e terceira fases, são grupos de quatro times, com metade sobrevivendo. Daí chega-se às quartas, semis e finais.

Com tanto time, apareceram até dois dos quais nunca havíamos ouvido falar: o Manthiqueira, de Guaratinguetá, e o Diadema, da cidade homônima.

Com quem e onde o Palmeiras joga na primeira fase?

No grupo oito, o Palmeiras tem como adversários Portuguesa, São Caetano, Santo André, Osasco, Pão de Açúcar, Mauaense e Taboão da Serra. A estreia será dia 2/4 no CT do Pão de Açúcar; os jogos em casa serão no CT, às 9:00 (sub-15) e 10:45 (sub-17). Geralmente são abertos ao público. Quem quiser se candidatar a empresário, ou daqui a alguns anos dizer que viu nascer uma estrela, pode conferir.

9:00 e 10:45? Mas assim não dá tempo de um acabar e o outro começar.

Estes jogos são mais curtos. Os do sub-15 duram dois tempos de 30, e os do sub-17 dois tempos de 40 minutos. A molecada mais velha termina de jogar sob o sol do meio-dia. 

Que idade têm os atletas desta categoria?

Eis algo que sempre confunde, então vamos esclarecer: no sub-15 podem jogar quaisquer atletas nascidos entre 1996 e 1998 (portanto, em tese até meninos ainda de 12 anos podem atuar, bem como os que já tenham completado seus 15 anos em 2011).

No sub-17, atuam aqueles nascidos entre 1994 e 1996 (portanto, de 15 incompletos a 17 completos em 2011). Admite-se ainda a presença de quatro jogadores nascidos em 1997 por partida. Logo, os garotos de /96 e /97 podem participar das duas competições.

Quem são os atuais campeões?

Santos, no sub-17, e Corinthians, no sub-15.

O Palmeiras tem tradição nestes campeonatos?

Hmmm… tradição tem, pois disputa todo ano. Títulos, porém, são outra história: ainda não conquistamos a taça em nenhuma das categorias; nos últimos anos, nem nas finais estivemos, embora o clube sempre quase sempre passe pelas primeiras fases. Nos últimos cinco anos, eis nosso desempenho:

Ano   Sub-17   Sub-15
2010   Quartas-de-final (vs. Lusa)   Quartas-de-final (vs. Corinthians)
2009   Quartas-de-final (vs. Paulínia)   Semifinais (vs. Santos)
2008   Semifinais (vs. Grêmio Barueri)   3ª fase (não havia quartas)
2007   Semifinais (vs. São Paulo)   Quartas-de-final (vs. São Paulo)
2006   Semifinais (vs. São Paulo)   2ª fase (não chegou às quartas)

Quem devo acompanhar?

Romarinho, nome famoso há alguns anos, perdeu espaço. As atrações do sub-17 são o goleiro Vinícius, o zagueiro Luís Gustavo e o atacante Bruno Sabiá (todos com passagem pela Seleção). No sub-15, Hugo Ragelli, que ano passado foi o artilheiro do Paulista sub-15 com incríveis 32 gols em 27 jogos e que participou da Copa Rio sub-17 (mas não tem idade para disputar o Paulista dessa categoria).

Vale lembrar que muitas vezes os jogadores são promovidos com antecedência. Ou seja, os atletas de 17 anos eventualmente podem aguardar o sub-20 ou, em casos extremos, seguirem para o time de cima, como ocorreu com Vinícius.

Como saber os resultados?

Geralmente a Federação Paulista atualiza às segundas ou terças, procure aqui. Nós também vamos contando o que acontece ao longo destes oito meses de torneios.

Ragelli, o matador mirim

Read Full Post »

Sobre tabelas e entregadas

 

Alemanha 1x0 Áustria, Copa de 82. O placar serviu para ambos e eliminou a Argélia.

Por Claudio RK 

É fim de campeonato, e novamente surgem polêmicas e suspeitas de “entregadas”. As bolas da vez seriam Palmeiras e São Paulo – contra Fluminense e Cruzeiro, para prejudicar o Corinthians – e Vasco e Flamengo – contra Cruzeiro e Corinthians, para atrapalhar o Fluminense. Por isso, o IPE debruçou-se sobre uma questão: afinal, é possível montar a tabela de modo a evitar esse tipo de ocorrência?

(Parênteses: o Palmeiras teve a chance de atrapalhar seu arquirrival no Paulistão-1988. Na última rodada, no clássico contra o São Paulo, uma vitória do alviverde era o único resultado que colocaria o Corinthians na decisão contra o Guarani. Não houve entregada alguma, e o Palmeiras triunfou com um gol de Gérson Caçapa no fim da partida)

Cheguei à conclusão que, embora não se possa impedir totalmente, há um modo de diminuir o risco de isso acontecer. Proponho abaixo esse modelo, que certamente seria impopular, mas pode ser a base para uma discussão mais ampla a esse respeito.

O campeonato brasileiro de 2001 teve uma tabela bastante peculiar. Nela, os 28 times foram divididos informalmente entre “grandes” e “pequenos”, apenas para montagem de tabela (a primeira fase era em pontos corridos em turno único sem divisão em grupos). Nas primeiras 14 rodadas, os times ditos grandes enfrentaram os pequenos; daí pra frente, os jogos foram dentro de cada grupo. Por exemplo, o Palmeiras enfrentou de início clubes como Gama e Botafogo-SP, e posteriormente outros como Cruzeiro e Santos.

Unicamente a fim de diminuir a possibilidade de entregadas (daqui por diante sem aspas, bem como os termos “grandes” e “pequenos”), proponho o oposto: que a tabela do Campeonato Brasileiro coloque de início os jogos entre times de mesmo porte, e nas últimas rodadas os confrontos entre maiores e menores. O que aconteceria então? Nas últimas rodadas, teríamos uma tabela mais ou menos desta forma (supondo os clubes deste Campeonato Brasileiro, sem considerar os mandos de campo):

Flamengo x Prudente

Fluminense x Atlético-GO

Vasco x Avaí

Botafogo x Ceará

Palmeiras x Grêmio

Corinthians x Vitória

São Paulo x Goiás

Santos x Guarani

Cruzeiro x Inter

Atlético-MG x Atlético-PR

O que ocorreria? Como os times pequenos dificilmente chegariam ao fim do campeonato disputando o título, dificilmente um grande teria motivo para prejudicar o rival (na tabela acima, por exemplo, o Vasco entregaria para o Avaí a fim de prejudicar o Flamengo? É relativamente infrequente que um clube de médio ou pequeno porte esteja na briga até o fim). Desta forma, tem-se uma expectativa de lisura maior.

Claro, nem tudo é perfeito, e reconheço ao menos quatro imperfeições no modelo:

- Se por um lado é raro que um pequeno/médio vá até o fim na briga do título, é usual que ao menos um grande brigue até o fim contra o rebaixamento. E aí sim poder-se-ia discutir se os cruzmaltinos entregariam para o Avaí a fim de rebaixar o Rubro-Negro.

- Com 20 times, sendo 12 ditos grandes, é evidente que a divisão não seria perfeita. Para resolver a questão, pensei em duas alternativas: colocar os dois times de RS ou MG juntos com os fracos (é necessário estarem juntos para que um não pegue os grandes e o outro os pequenos na reta final); ou então separar grandes e pequenos definindo como grandes os últimos dez campeões nacionais distintos – atualmente seriam, do mais recente para o mais antigo, Flamengo, São Paulo, Corinthians, Santos,  Cruzeiro, Atlético-PR, Vasco da Gama, Grêmio, Botafogo e Palmeiras (o Fluminense tomaria o lugar do alviverde em caso de triunfar em 2010).

- Os clássicos ficariam concentrados no início dos turnos, o que poderia ser ajustado mudando-se uma ou duas rodadas; não é necessário levar a divisão entre grandes e pequenos a ferro e fogo por todo o campeonato, apenas nas rodadas finais.

- A polêmica da entregada seria substituída pela discussão sobre a mala branca (a qual, por sinal, não considero errada).

Este conceito quebra paradigmas e em tese diminui a emoção da reta final, por isso tende a ser rejeitado de pronto. Eu mesmo não o considero ideal; entretanto, se a preocupação das torcidas no fim de cada campeonato for maior com os rivais do que com o próprio desempenho, é válido pensar em uma maneira para que cada time possa olhar tão somente para seu próprio umbigo ao invés de fomentar intrigas na hora da decisão.

Read Full Post »

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 44 outros seguidores