Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Vasco’

100 esperança…

Nada fora do esperado. O cenário que se anunciava antes da partida já daria o tom do desfecho inevitável para a peleja de ontem. É claro que, na figura de torcedor, o editor que vos escreve acreditava em uma vitória, mas o enredo da batalha de ontem, como aventamos no pré-jogo, tinha cara, jeito, cheiro e gosto de desastre.

Começando pela escalação, já se podia perceber que a noite seria de grandes emoções (negativas). A escalação de Wellington, zagueiro que pode até ter algum potencial, mas que vinha sendo a terceira opção na reserva desde a partida desastrosa que fez diante do Bahia no primeiro turno, já era o primeiro sinal (ainda que discreto) do que estava por vir. Porque não dá para entender como o treinador pode optar por um garoto inexperiente para um jogo de alto risco como era o de ontem. E digo alto risco não pela equipe do Vasco em si, mas por tudo que cercava a partida: adversário vindo de goleada vexatória, com técnico novo chegando…

Claro que não se pode jogar nas costas de Wellington a responsabilidade pela derrota de ontem, mas era tão claro que sua escalação era um erro grotesco (erro ou ato meticulosamente pensado? continuemos o texto…)  que na primeira chance de perigo vascaína ele quase meteu um gol contra.

Apesar disso, o Palmeiras não estava mal na partida. Tinha ligeira superioridade na posse de bola e não mostrava sinais de afobação. O gol de Luan até que saiu com naturalidade, sem que a equipe precisasse abafar os cariocas.

Pois o clarão que se abriu de maneira natural, se transformou em tempestade com um gol de empate que é o retrato mais “fiel” (pqp, tem dérbi domingo?) da falta de atitude e concentração de uma equipe que ainda luta somente no discurso. A impressão que dá ao assistirmos uma partida desta equipe é a de que, psico-futebolisticamente, os caras já se entregaram.

Juninho Pernambucano teve toda a liberdade do mundo para ciscar pra lá e pra cá, pensar em qual seria a melhor continuidade da jogada e passar a bola sem que houvesse UM ÚNICO jogador verde para chegar junto…

…a sequência da jogada só foi a continuação da falta de vergonha na cara do time: cruzamento na área, Alecsandro teve toda a facilidade do mundo para escorar de cabeça, e Tenório só teve o trabalho de empurrar para o barbante. Um gol inadmissível para uma equipe que foi toda montada em torno do sistema defensivo. Sim, o Palmeiras joga desde a semi-final da Copa do Brasil com 4 zagueiros em campo: os dois zagueiros de fato, mais Henrique e Artur. Isso sem contar os volantes…

O que se veria depois não surpreenderia nem mesmo o mais poliana dos torcedores verdes: goleiro adversário pegando umas 2 ou 3 bolas difíceis, o time verde se jogando ao ataque de qualquer maneira, e o adversário matando a partida como uma criança que pisa numa formiga no parquinho de diversões.

O grand finale do técnico ainda veio, na minha humilde opinião, como forma de pedido de demissão: Vinícius no Tiago Real e Obina no Barcos foi digno de Neto por Ribamar.

Resta agora aguardar o desfecho do BR2012, mas parece que o Palmeiras já perdeu (mais uma vez) para si mesmo.

Avaliações

- Bruno: não importa o que aconteça, ele não sai para cortar cruzamentos – 3

- Artur: errou tudo que podia no começo do jogo e continuou errando (menos) no restante da partida – 2,5

- Wellington: jogado numa fogueira, fez exatamente o que se esperava dele: comprometeu – 2

- M.Ramos: sem T.Heleno, fica perdido – 4

- Juninho: sua expressão ao entrar em campo já diz tudo. Está mais borrado que recém-nascido – 3

- Henrique: deixou Wendel cruzar no primeiro gol, ficou no meio do caminho no segundo e ainda se acha no direito de reclamar com a zaga – 2

- Corrêa: abusou dos erros na saída de bola no segundo tempo – 4

- Tiago Real: pelo menos joga com vontade – 6

- Valdivia: é nessas horas que a gente diferencia o bom jogador do craque… – 4

- Luan: abriu o placar e afundou todos os ataques subsequentes da equipe – 3

- Barcos: a bola não chega, e quando chega é quadrada e na lateral – 5

- Vinícius: piada – zero.

- Obina: entrou para assistir o terceiro gol cruzmaltino – 5

- Betinho: fica sem nota.

- Felipão: numa partida decisiva escala um zagueiro inexperiente, depois coloca em campo um jogador que até outro dia estava no time B, e pra completar o pedido implícito de demissão tira o matador do time e coloca outro centroavante quando Inês já respirava por aparelhos – ZERO.

Ficha Técnica

VASCO 3 X 1 Palmeiras
Local: São Januário, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 12/09/2012 – 22h (de Brasília)
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (GO)
Auxiliares: Altemir Hausmann (Fifa – RS) e Rafael da Silva Alves (RS)
Renda/Público: R$ 67.690,00/ 1.996 pagantes (3.904 presentes)
Cartões Amarelos: Jhon Cley, Alecsandro e Felipe (VAS); Henrique e Wellington (PAL)
Cartão Vermelho: não houve

GOLS: Luan, 23’/1ºT (0-1), Tenório, 28’/1ºT (1-1), Nilton, 4’/2ºT (2-1), Juninho, 26’/2ºT (3-1)

VASCO: Fernando Prass; Max (Luan, 17’/2ºT), Dedé, Douglas e William Matheus; Nilton, Wendel, Juninho e John Cley (Felipe, 14’/2ºT); Tenório e Alecsandro (Eder Luis, 31’/2ºT). Técnico: Gaúcho

PALMEIRAS: Bruno; Artur, Maurício Ramos, Wellington e Juninho; Henrique, Correa, Tiago Real (Vinicius, 18’/2ºT) e Valdívia; Luan (Betinho, 38’/2ºT) e Barcos (Obina, 25’/2ºT). Técnico: Luiz Felipe Scolari

“Melhores” momentos

Read Full Post »

Vindo de mais uma derrota vexatória, com a zaga desfalcada e com o ambiente cada vez mais pesado, o Palmeiras tem pela frente uma equipe que foi goleada em casa na última rodada e que estreia técnico novo. Receita batida para um novo desastre (?)

Horário e local: quarta-feira, 12/09, as 22:00, em São Januário (Band/PPV).

Árbitro: será Wilton Pereira Sampaio (GO), cujo histórico registra 10 jogos, com 4V/3E/3D:

2012 – 2×0 Coritiba (CB, c) / 3×1 Horizonte (CB, f)

2011 – 1×1 Cruzeiro (BR, f)

2010 – 1×2 Cruzeiro (BR, f) / 1×2 Fluminense (BR, c) / 0x3 Atl-GO (BR, f) / 0x0 Botafogo (BR, f) / 2×0 Atl-PR (BR, c) / 0x0 Vasco (BR, f)

2009 – 2×1 Inter (BR, c)

Desfalques/Reforços: Wesley e Fernandinho continuam entregues ao DM. Assunção já corre em volta do gramado e deve voltar aos treinos com bola na próxima semana. Thiago Heleno e João Vitor, suspensos, também desfalcam a equipe. Barcos, servindo a seleção argentina, viaja de madrugada direto para o Rio. Maurício Ramos, poupado na última rodada, e Henrique, que cumpriu suspensão, estão de volta. Amaro, Mazinho e Maikon Leite sequer foram relacionados.

Pendurados: Artur, Araújo, D.Carvalho, Luan e Obina. Próxima partida: Dérbi (“casa”).

Previsão IPE: Bruno; Artur, Henrique, M.Ramos e Juninho; M.Araújo, Corrêa, Tiago Real e Valdivia; Luan e Barcos.

Bola verde IPE: Artur perdeu a liderança, que agora está com Thiago Heleno e sua média 5,75.

Destaques/Vasco: o lateral Jonas fica de fora, suspenso. Ele se junta aos lesionados Auremir, Thiago Feltri e Rodolfo. Os meias Felipe e Carlos Alberto se recuperam de lesão, e o primeiro tem mais chances de ser relacionado. O atacante Pipico, o volante Wendel e o lateral William Matheus voltam de suspensão. A provável escalação do gigante da colina deverá ter Fernando Prass; Max, Dedé, Douglas e W.Matheus; Nilton, Wendel, Juninho Pernambucano e Jhon Cley; Tenório e Alecsandro.

Ex-palmeirenses no Vasco: o meia/lateral Felipe.

Palpite IPE: 0x2, porque tudo que cerca esse jogo está cheirando a mais um desastre.

Última vitória no local do jogo: foi pelo BR2008 – 2×0 – gols de Kleber e Alex Mineiro.

Última derrota no local do jogo: foi pelo BR2011 – 0x1 – gol de Bernardo.

Histórico: a primeira vez na história que Palmeiras e Vasco se enfrentaram foi em um amistoso, em 1924, que terminou com vitória palestrina – 2×0 – gols de Coe. De lá para cá, a freguesia só aumentou.

GERAL CAMPEONATO BRASILEIRO
J V E D GP GC J V E D GP GC
151 54 38 29 195 155 43 18 15 10 59 41

O IPE se lembra: pelo BR2004 o Palmeiras foi até São Januário e atropelou os cruzmaltinos – 5×2 – gols de Lúcio, Elson, Osmar (2) e Pedrinho para o Palmeiras, e André Lima e Petkovic para o Vasco.

Read Full Post »

Messi Black: sempre ele

O Palmeiras bem que deu a impressão de que venceria, mas conseguiu mais uma vez frustrar a torcida e se manter no fundo da tabela do Brasileirão 2012. O jogo não foi lá muito emocionante mas apresentou bons momentos, no fim o resultado acabou ‘justo’ do ponto de vista futebolístico e trágico para o Verdão.

Logo no início João Vitor perdeu um gol fácil e Luan se machucou, a previsão era das piores, o Vasco foi para cima e manteve a bola na defesa Palmeirense, sem causar grandes sustos. Mazinho entrou na saída do Luan e pouco produziu na primeira parte do jogo, perto do fim da etapa Marcos Assunção também sentiu e foi rendido por Márcio Araújo… a peleja intervalou com o placar zerado.

Para o segundo tempo a trupe de Verde voltou mais inspirada e partiu pra cima, Mazinho, sempre ele, entortou Dedé e acertou um belo chute cruzado, abrindo o placar logo aos 11′. O jogo então ficou sob controle alviverde, que não conseguiu elastecer o placar por pura incompetência – os erros de passes no meio campo e as entregadas da defesa, com menção desonrosa para Juninho, foram animando o Vasco até que aos 37′ Henrique caiu em finta de Carlos Alberto e NÃO tocou a bola com a mão, mas fez menção e Vuaden apitou, dali para o Juninho Pernambucano é quase penalti- em que pese a dura que Barcos deu no Bruno por achar que este falhou, sugerindo uma leve CRISE antes da partida decisiva da década na próxima quinta-feira… tem coisas que nunca mudam no Palmeiras. O jogo encerrou empatado e os 2 pontos colocam o Verdão na penúltima colocação do BR12, mais que isso, gera uma certa incerteza para o jogo de volta contra o Grêmio.

Felipão fez bem em repetir a escalação que venceu o tricolor gaúcho em Porto Alegre, mas foi omisso em manter Maikon Leite no banco enquanto o lateral esquerdo do Vasco se apresentava de gravata vermelha em campo… abre o olho Felipão!!

Vamos às notas:

Bruno: fez defesas seguras em várias oportunidades, pecou ao escolher canto na batida de falta do Juninho – 6
Cicinho: mais participativo que em suas últimas apresentações – 6
Thiago Heleno: segurança total, com ele a zaga tem outra postura – 7
Maurício Ramos: algumas espirradas e umas bolas devolvidas para o ataque do Vasco, fraco – 5
Juninho: errou quase tudo que tentou, inclusive no mano a mano, entregando bolas que poderiam custar até o mísero ponto conquistado – 4
Henrique: está se adaptando relativamente bem na nova função, deu umas rateadas mas nada que comprometesse – 6
Marcos Assunção: não fez nada até se machucar – 5
João Vitor: perdeu um gol que poderia mudar o panorama da partida desde o início – 5
Daniel Carvalho: pouco objetivo, bateu uma falta muito boa e só – 6
Luan: jogou muito pouco – S/N
Barcos: Não teve nenhuma chance clara, mas também não apareceu bem para receber hora nenhuma, tomara que sua boquinha nervosa não prejudique o bom andamento do time na Copa do Brasil – 5

Mazinho: tem estrela demais, entrou, fez um bom jogo e um golaço, pelo conjunto, fica com a melhor nota – 8
Márcio Araújo: completamente perdido, entregou várias para o ataque adversário, não dá – 4
Maikon Leite: com esse tempinho que o gaúcho deu pra ele, não dava pra fazer nada melhor – S/N

Felipão: ‘esqueceu’ de aproveitar a Avenida Felipe, podia ter vencido se estivesse mais interessado – 6

Melhores Momentos:

FICHA TÉCNICA:

PALMEIRAS 1 X 1 VASCO

Local: Arena Barueri, em Barueri (SP)
Data/Hora - 17/6/2012 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Leandro Vuaden (Fifa-RS)
Auxiliares: Marcelo Bertanha Barison (RS) e José Chaves Franco Filho (RS)

Renda/ público: R$ 178.090/ 6.651 pagantes
Cartões amarelos: Thiago Heleno e Henrique (PAL); Nilton e Felipe (VAS)
Cartões vermelhos: -
GOLS
: Mazinho, 11’/2ºT (1-0); Juninho Pernambucano, 37’/2ºT (1-1)

PALMEIRAS: Bruno, Cicinho, Thiago Heleno, Maurício Ramos e Juninho; Henrique, Marcos Assunção (Márcio Araújo – 44’/1ºT), João Vítor e Daniel Carvalho (Maikon Leite – 40’/2ºT); Luan (Mazinho – 18’/1ºT) e Barcos. Técnico: Luiz Felipe Scolari.

VASCO:Fernando Prass, Fagner, Dedé, Rodolfo e Felipe (Thiago Feltri 39’/2T); Rômulo, Nilton, Juninho e Diego Souza (Carlos Alberto 27’/2T); Eder Luis e Alecsandro. Técnico: Cristovão Borges.

Read Full Post »

De espírito e moral renovados (assim esperamos!) após a épica vitória na partida de ida da semi-final da Copa do Brasil, o Palmeiras vai à campo para mais uma batalha, dessa vez pelo Brasileirão. O adversário é o atual líder invicto da competição. Cabe ao Palmeiras se impor e conquistar os três pontos, antes que “seja tarde demais”. Difícil vai ser tirar da cabeça a partida da próxima quinta…

Horário e local: Domingo, 17/06, às 16 horas, na Arena Barueri (PPV)

Árbitro: será Leandro Pedro Vuaden (RS), cujo histórico registra 14 jogos, com 4V/5E/5D:

2012 – 1×2 Sport (BR, f)

2011 – 1×1 Vasco (BR, c) / 1×1 Cruzeiro (BR, c) / 0x2 Vasco (SA, f) / 0x0 Flamengo (BR, c) / 0x6 Coritiba (CB, f)

2010 – 2×0 Atl-MG (SA, c) / 0x0 Vasco (BR, c) / 0x2 Vitória (SA, f)

2009 – 2×1 Flamengo (BR, f) / 3×1 Cruzeiro (BR, c)

2008 – 0x0 Náutico (BR, f) / 0x1 Botafogo (BR, f) / 3×1 Fluminense (BR, c)

Desfalques/Reforços: Valdivia segue com situação indefinida e a tendência é que permaneça sem atuar. Artur saiu lesionado de campo contra o Grêmio e é dúvida.

Pendurados: não há. Próxima partida: pelo brasileiro, será o Dérbi (f)

Previsão IPE: Bruno; Cicinho, T.Heleno, Henrique e Juninho; Araújo, Assunção, Felipe e D.Carvalho; Luan e Barcos.

Bola verde IPE: Barcos mantém a liderança, com média 5,25.

Destaques/Vasco: a única dúvida do técnico Cristovão está no meio campo. Juninho treinou em separado nos últimos dias, mas não deve ser problema. A provável escalação do cruzmaltino para a partida deverá ter Fernando Prass; Fagner, Dedé, Rodolfo e Felipe; Rômulo, Nilton, Juninho (Fellipe Bastos) e Diego Souza; Eder Luis e Alecsandro.

Ex-palmeirenses no Vasco: o meia Diego Souza e lateral Felipe.

Palpite IPE: 2×1, gols de Barcos e Maikon Leite.

Último confronto em SP: foi pelo segundo turno do BR2011 – 1×1 – gols de Luan (PAL) e Dedé (VAS).

Última vitória em SP: foi pela fase classificatória da Copa Sulamericana 2011 – 3×1 – gols de Assunção, Kleber e Luan (PAL), e Jumar (VAS).

Última derrota em SP: faz tempo, mas foi uma derrota dolorosa, e que é cultuada pelos Vascaínos como “a virada do século” – 3×4 – pela final da Mercosul 2000. Gols de Arce, Tuta e Magrão (PAL), e Romário (3) e Juninho Paulista (VAS).

Histórico: a primeira vez que Palmeiras e Vasco se enfrentaram foi em um amistoso em 1924, vencido pelo Palestra Itália – 2×0 – gols de Coe. De lá para cá, a vantagem é verde.

GERAL BRASILEIRO
J V E D GP GC J V E D GP GC
120 54 37 29 194 154 42 18 14 10  58 40

O IPE se lembra: pelo Brasileirão 1994, o Palmeiras recebeu o Vasco no saudoso Palestra Itália e venceu fácil – 3×0 – gols de Zinho, Evair e Rivaldo.

Read Full Post »

O herói verdadeiro

E o Verdão não entregou, ficou a 1 ponto de se livrar definitivamente ‘daquela coisa com R’ e assistimos a CONSOLIDAÇÃO de Luan como o rei dos perna-de-pau-com-vergonha-na-cara. J30 já não passa de uma fumaça fedorenta que vai deixando de arder nas narinas Felipônicas…

O time continua jogando aquela bolinha de sempre, só que resolveu que durante aqueles 90 minutos tem que ficar acordados, só isso já bastou para voltarmos a nossa doce rotina de empates intermináveis, ganhar são outros quinhentos. O Vasco começou a partida com tudo e logo aos 3′ do 1ºT a torcida do nosso arqui-rival já nos excomungava com a pecha de ‘entregadores’. Os cariocas não mantiveram o ritmo e o Palmeiras entendeu que era a senha para arriscar, o jogo aéreo foi tão eficiente quanto tacar pedra na lua e a alternativa era tabelar pelo chão, é claro que não ia dar certo e o primeiro tempo terminou 1×0 mesmo.

Na segunda etapa Felipão se mostrou ousado: tirou um meia e um atacante e colocou um meia e um atacante… apesar da falta de variação tática a mudança surtiu efeito e Pedro Carmona e Dinei melhoraram o time e não tardou para sair o gol de Luan, aos 18′ do 2ºT. Depois disso uma chancezinha aqui e outra ali para cada time e nada mais, 16º empate Palmeirense na competição, mas que nos elevou para o 12º lugar. 1 ponto na próxima rodada nos salva caso Atlético-PR perca e Ceará não vença. 3 pontos elimina a possibilidade de rebaixamento e aumenta muito a probabilidade de Sulamericana. Vamos torcer, quem sabe 2007, 2009, 2010, 2011, 2012 seja diferente.

Hoje o IPE inaugura, antes tarde do que mais tarde, o apontamento de NOTAS para os jogadores, a partir de critérios complexos e infalíveis que levaram este ano inteiro de vida do blog para serem desenvolvidos, eis as notas do elenco para a atuação de ontem:

Deola – 3
Cicinho – 4
Leandro Amaro – 5
Thiago Heleno – 5
Gerley – 4
Márcio Araújo – 6
João Vítor – 4
Marcos Assunção – 6
Patrik – 4
Ricardo Bueno – 3
Luan – 6
 
Pedro Carmona – 6
Dinei – 6
Chico – s/n
 
Concorda? Discorda? deixe suas notas nos comentários!

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 1 X 1 VASCO

Data/hora: 16/11/2011 – 21h50
Local: Pacaembu, em São Paulo (SP)
Árbitro: Leandro Vuaden (RS)
Assistentes: Carlos Berkenbrock (RS) e Kléber Lúcio Gil (SC)
Renda e público: R$ 122.555,00 / 8.570 presentes / 8.153 pagantes
Cartões amarelos: Thiago Heleno, Pedro Carmona (PAL); Renato Silva, Dedé (VAS)
Cartões vermelhos: Não houve

Gols: Dedé 4’/1ºT (0-1), Luan 18’/2ºT (1-1)

PALMEIRAS: Deola; Cicinho, Leandro Amaro, Thiago Heleno e Gerley; Márcio Araújo, Marcos Assunção, João Vítor (Chico – 37’/2ºT) e Patrik (Pedro Carmona – 14’/2ºT); Luan e Ricardo Bueno (Dinei – 14’/2ºT). Técnico: Luiz Felipe Scolari.

VASCO: Fernando Prass; Fagner, Renato Silva, Dedé e Jumar; Nilton, Felipe Bastos, Allan (Diego Rosa – 28’/2ºT) e Felipe; Eder Luis (Bernardo – 19’/2ºT) e Diego Souza (Elton – 26’/2ºT). Técnico: Cristovão Borges.

watch?v=YUD_yXzK28o

Read Full Post »

“Entrega”, “não entrega”. Bom, em primeiro lugar, um time tem que ter capacidade de ganhar para poder decidir se perde propositalmente. E o Palmeiras, em jejum há tanto tempo, não parece estar nessa condição – além de não estar livre do risco maior. Portanto, não tem conversa. Entregar já não faz sentido nas condições normais de temperatura e pressão; brigando contra a queda, então, é nonsense total. Vale lembrar que, se o Palmeiras ganhar, o Ceará perder e o Atlético-PR não vencer, o sufoco acaba esta noite mesmo.

Mas ouçamos a voz da torcida:

Horário e local: hoje, 16/11, às 21:50, no Paulo Machado de Carvalho (PPV)

Árbitro: será o conhecido Leandro Pedro Vuaden (RS), que vai para seu 13º jogo do Palmeiras. Até aqui, equilíbrio total: 4 vitórias, 4 empates, 4 derrotas.

2011 – 1 x 1 Cruzeiro (c), 0 x 2 Vasco (f, Copa SA),  0×0 Flamengo (c), 0 x 6 Coritiba (f, CB)

2010 – 2 x 0 Atlético-MG (c, Copa SA), 0 x 0 Vasco (c), 0 x 2 Vitória (f, Copa SA)

2009 – 2 x 1 Flamengo (f), 3 x 1 Cruzeiro (c)

2008 – 3 x 1 Fluminense (c), 0 x 1 Botafogo (f) e 0 x 0 Náutico (f)

Situação na tabela: o Palmeiras é o décimo quarto, com 42 pontos e no limite para ir à Sul-Americana. O Vasco é o vice-líder, 19 pontos à frente.

Nesse momento, em 2010: os reservas e juniores iniciaram sua temporada de testes apanhando do Atlético-GO por 3 a 0.

Desfalques: Tinga, suspenso; Gabriel Silva, ainda nosso mas cada vez mais fora; Kléber, agora Guerreiro Imortal Tricolor até que nova proposta os separe; Valdivia, já nem sei por quê, pois cada vez é um motivo; Marcos, contundido.

Pendurados: Henrique, Márcio Araújo e Valdivia. Próximo jogo: Bahia (fora).

Palpite IPE: Deola; Cicinho, Thiago Heleno, Leandro Amaro, Gerley; Márcio Araújo, Marcos Assunção, Patrik, Luan; Ricardo Bueno, Fernandão

Ex-palmeirenses no Vasco: Márcio Careca, Jumar, Diego Souza

Destaques/Vasco: com boas chances de faturar três títulos este ano, o clube vem tendo alguns desfalques, como Rômulo e, hoje, Juninho. O time de Cristóvão Borges deve vir com Fernando Prass; Fágner, Dedé, Renato Silva, EutenhomedodoJumar; Fellipe Bastos, Nílton, Felipe, Diego Souza; Éder Luis, Élton.

Último confronto e última vitória no local do jogo: foi a vitória de Pirro por 3 a 1 pela Sul-Americana (Luan, Kléber – seu último gol pelo clube – e Marcos Assunção; Jumar)

Última derrota no local do jogo: faz 10 anos, e nem foi exatamente no local do jogo; pelo BR-2001, em São José do Rio Preto, perdemos por 3 a 1 em dia de cartão vermelho para Marcos (Arce; Romário 2, Ely Thadeu)

Histórico: apesar dos tropeços deste ano, a história ainda mostra uma grande vantagem verde neste confronto que se iniciou em 1924, com vitória palestrina no Rio.

GERAL   CAMPEONATO BRASILEIRO
J V E D GP GC   J V E D GP GC
119 54 36 39 193 153   46 23 13 10 70 40

O IPE se lembra: pelas oitavas-de-final da Libertadores de 1999, um jogo de nível técnico excelente, que acabou empatado por 1 a 1 graças a Carlos Germano, em noite inspiradíssima. Na volta, o Verdão venceria em São Januário e rumaria para o Derby.

Read Full Post »

¿dónde está la magia?

Já está ficando corriqueiro escrever sobre derrotas pro Vasco, espero que na próxima semana não precisemos colocar mais um post desse tipo por aqui…

O Palmeiras até jogou bem, criou diversas oportunidades, todas entretanto desprezivelmente desperdiçadas. No primeiro tempo logo de cara Dinei desperdiçou boa chance e assim se repetiria com Valdívia e Kléber ainda na primeira etapa. O time era capaz de criar algumas jogadas mas a finalização ficava sempre devendo, o time carioca ficou pressionado em seu próprio campo por mais de 5 minutos seguidos sem que um Palestrino fosse capaz de empurrar uma mísera bola para dentro do gol.

O time voltou nervoso para a segunda etapa, alguns erros de arbitragem quanto a faltas não marcadas e cartões não mostrados começaram a irritar os palmeirenses, Luan discutiu rispidamente e foi substituído antes de ser expulso, as chances continuaram aparecendo mas foi a vez de Maikon Leite e Vinícius jogarem fora suas oportunidades e de uma bola cabeceada na trave por Chico. Além de estragar todas as chances de gol o time parecia determinado a ver um gol de falta ao vivo, talvez para matar a saudade de Marcos Assunção, faltas e mais faltas próximas da área cobraram o preço: Bernardo bateu forte, por cima da barreira e Deola curtiu o momento: Vasco 1 x 0 Palmeiras. Poderiam estar jogando até agora que não teria saído outro gol, nem para um lado nem para o outro.

É nítido e claro que o Palmeiras tem problemas além do campo, mas não é o fim do mundo ainda, o time não pode muito mais do que isso ai que apresenta, a não ser que esteja disposto a se superar – que é o que vem faltando ultimamente, se o problema são os vencimentos do #30 ou a cor do rodapé dos vestiários não se sabe, o que se sabe porém é que é hora de Don Felipone dar um sacode ali e até colocar alguns ‘intocáveis’ no banco, para ver se surte algum efeito ou então, tchê, a guasca vai apertá o teu pescoço, gaudério!

FICHA TÉCNICA
VASCO 1 X 0 PALMEIRAS

Local: São Januário, Rio de Janeiro (RJ)
Data: 14/8/2011
Árbitro: Marcio Chagas da Silva (RS)
Auxiliares: Chaves Franco Filho (RS) e José Eduardo Calza (RS)

Renda/Público: R$ 194.355,00 / 7.830 pagantes – 10.826 presentes
Cartões amarelos: Dinei (PAL), Henrique (PAL), Luan, (PAL), Cicinho (PAL); Bernardo (VAS), Fagner (VAS), Julinho (VAS), Renato Silva (VAS) e Victor Ramos (VAS)
Cartões Vermelhos: Nenhum
Gols: Bernardo, 35’/2ºT (1-0)

VASCO: Fernando Prass, Fagner, Renato Silva, Anderson Martins e Julinho; Rômulo, Jumar, Juninho Pernambucano (Leandro, 16’/2ºT) e Felipe (Victor Ramos, 41’/2ºT); Eder Luis (Bernardo, 11’/2ºT) e Elton. Técnico: Ricardo Gomes

PALMEIRAS: Deola, Cicinho, Henrique, Thiago Heleno e Gerley; Chico, Márcio Araújo (Vinícius, 40’/2ºT) e Valdivia; Dinei (Patric, 29’/2ºT), Luan (Maikon Leite, 26’/2ºT) e Kleber. Técnico: Luiz Felipe Scolari.

Read Full Post »

Older Posts »

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 43 outros seguidores