Feeds:
Posts
Comentários

Archive for setembro \30\UTC 2012

Time unido, resultado excelente.

As revoluções acontecem de maneira instantânea, todos sabem o que precisa ser feito, querem que aconteça e não mais que de repente resolvem fazer acontecer. Quem acreditava piamente no Palmeiras 3 rodadas atrás? quem estava convicto que a saída de Felipão, o multicampeão, e a chegada de Gilson Kleina – quem? – transformaria o Palmeiras, faria o time ter consciência tática, organização, volume de jogo… ?

O Verdão está longe der ser uma máquina de jogar futebol, não é o caso de tirar os pés do chão e sonhar com patamares superiores, a questão é que os números não mentem, e esse time que precisava vencer 8 em 13 agora precisa de 6 em 11, fez 6 gols em 2 jogos e sofreu só 2 1 (Valeu Roger!). Podemos confiar de novo, o verdadeiro Palmeiras vai pra cima deles.

O jogo começou a toda, em 14′ El Pirata já tinha guardado dois gols, com assistência fantástica – tanto pela roubada de bola quanto pelo cruzamento preciso – de Maikon Leite no segundo. Alguém ai lembra que quando da chegada do matador argentino seu parceiro de ataque era… Maikon Leite? Gilson Kleina conseguiu em dois jogos resgatar algumas coisas interessantes desse elenco. Do 2º gol em diante o Verdão seguiu criando chances, principalmente em boas cobranças de falta de Marcos Assunção e manteve o domínio da peleja.

Pra segunda etapa a Ponte voltou motivada a estragar a festa dos mais de 30 mil Palmeirenses no “Paca”, só que o Palmeiras não estava disposto a entregar os pontos e aos 15′ – sempre ele – Marcos Assunção levou a bola dominada, bateu com mais jeito que força e ela morreu no cantinho do gol ponte-pretano, 3×0  fatura liquidada, o que viesse dai em diante seria lucro, o volume de jogo alviverde era muito bom e ainda aconteceram 2 caprichos do destino com bolas na trave, o hat-trick de Barcos e um golzinho do quase esquecido Valdívia pararam no poste. No final a defesa Verde mostrou que ainda sabe como não fazer e Rildo deixou Roger na cara de Bruno, tempos atrás o jogo estaria 0x0 e o atacante rival estufaria as redes, ontem não. Roger mandou a bola por cima do travessão e a peleja terminou com os 3×0 no placar.

Que venha o inimigo na próxima rodada, uma vitória lá no Morumbi seria de lavar a alma e encerrar de vez com a insegurança, pra cima deles Verdão!

Vamos às notas:

Bruno – 3 defesas difíceis, muito bem – 8
Artur – fez a ‘assistência’ do primeiro gol e depois se garantiu na defesa – 7
Maurício Ramos – inseguro em alguns momentos, tomou um rapa do Roger – 7
Thiago Heleno – vacilou pouco, é seguro demais – 8
Márcio Araújo – disposto, ainda erra muitos passes, não comprometeu – 7
Henrique – precisando só marcar  e entregar a bola pra alguém mais criativo vai bem – 8
Marcos Assunção – é um torcedor em campo, luta, tenta, faz gol – 9
Valdívia – bons passes, um gol incrível perdido, regular – 7
Maikon Leite – podendo só atacar vai bem, criou ótimas chances, bela assistência pro 2º gol – 8,5
Barcos – alguém precisa estar ali para marcar e ele não desperdiça gol fácil, agora são 23 – 9,5

Mazinho – pouco pegou na bola, precisa voltar a boa forma para ser o reserva do ML – 6
Daniel Carvalho – muito abaixo dos demais, não consegue entrar em forma nunca – 5
João Denone – muita personalidade, joga sério, tem futuro – 7

Gilson Kleina – não dá pra afirmar que 100% da mudança é responsabilidade dele, nem dá pra tirar mérito pela postura tática diferente, volume de jogo e principalmente coragem do time – 9

Melhores Momentos:

FICHA TÉCNICA

PALMEIRAS 3 X 0 PONTE PRETA

Local: Estádio do Pacaembu
Data/Horário: 29/9/12, às 21h
Árbitro: Guilherme Ceretta de Lima (Fifa/SP)
Assistentes: Anderson José de Moraes Coelho (CBF/SP) e Bruno Salgado Rizo (CBF/SP)

RENDA/PÚBLICO: R$ 631.140/ 29.739 pagantes
CARTÕES AMARELOS: Maikon Leite, Thiago Heleno, Maurício Ramos e Artur (PAL); Roger (PON)
CARTÕES VERMELHOS: –
GOLS: Barcos, 11’/1ºT (1-0); Barcos, 14’/1ºT (2-0) e Marcos Assunção, 14’/2ºT (3-0)

PALMEIRAS: Bruno; Artur, Maurício Ramos, Thiago Heleno e Juninho; Henrique, Marcos Assunção (João Denoni – 37’/2ºT), Márcio Araújo e Valdivia (Daniel Carvalho – 30’/2ºT); Maikon Leite (Mazinho – 28’/2ºT) e Barcos. Técnico: Gilson Kleina.

PONTE PRETA: Edson Bastos; Tiago Alves (Rildo – intervalo), Ferron e Diego Sacoman; Cicinho, Baraka, Renê Júnior, Marcinho (Ricardinho – 25’/2ºT) e Uendel; Nikão (Luan – 25’/2ºT) e Roger. Técnico: Guto Ferreira

Read Full Post »

Depois de uma semana livre para treinos e vindo de vitória, o Palmeiras recebe a ex-equipe de Gilson Kleina tentando engatar a sequência de mais 7 vitórias que (teoricamente) livram a equipe da degola.

Horário e local: sábado, 29/09, as 21:00, no Pacaembu (PPV).

Árbitro: será Guilherme Ceretta de Lima, cujo histórico registra 11 jogos, com 7V/1E/3D:

2012 – 1×2 Santos (BR, c)

2011 – 0x1 Santos (BR, f) / 2×1 Mirassol (P, c) / 2×1 S.André (CB, f) / 1×1 S.Caetano (P, f)

2010 – 1×0 Guarani (BR, c) / 1×3 S.André (P, c) / 1×0 Monte Azul (P, c)

2009 – 3×0 Mogi (P, c)

2008 – 3×0 Barueri (P, c)

2007 – 4×1 Juventus (P, c)

Desfalques/Reforços: Fernandinho continua entregue ao DM. Wesley já treina com bola e deve ficar à disposição em algumas semanas. Correa faz tratamento intensivo, mas ainda é dúvida. Maikon Leite,  Thiago Heleno e Valdivia fizeram trabalhos em separado durante a semana, mas não são problema. Artur e Obina retornam após cumprirem suspensão. Luan será julgado nesta sexta e provavelmente não terá condições de jogo. Não há suspensos, mas em compensação temos 8 pendurados e o próximo jogo é o choque-rei.

Pendurados: Juninho, M.Araújo, Maikon Leite, Luan, D.Carvalho, Valdivia, Barcos e Wellington. Próxima partida: SPFC (fora).

Previsão IPE: Bruno; Artur, M.Ramos, T.Heleno e Juninho; Henrique, M.Araújo, Assunção e Valdivia; Maikon Leite e Barcos.

Bola verde IPE: Thiago Heleno vai consolidando a liderança, com média 5,95.

Destaques/Ponte: os únicos desfalques da macaca devem ser os zagueiros Wescley e Gustavo, que se recuperam de lesão. O lateral Cicinho, poupado na última rodada, e o atacante Giancarlo, que saiu lesionado da última partida, passaram a semana em observação, mas devem ir para o jogo. O lateral-esquerdo Uendel foi absolvido no STJD e está liberado para a partida. O técnico estreante Guto Ferreira deverá levar a campo Edson Bastos; Tiago Alves, Ferron e Diego Sacoman; Cicinho, Baraka, Nikão, Marcinho e Uendel; Luan e Roger.

Ex-palmeirenses na Ponte: os meias Marcinho e Nikão, e o atacante Roger.

Palpite IPE: 2×0, gols de Barcos e M.Ramos.

Última vitória no local do jogofoi pelo Paulista 2012 – 2×1 – gols de Juninho e Assunção para o Palmeiras, com Ferron descontando para a Ponte.

Última derrota no local do jogo: a única vez que perdemos para a macaca no Pacaembu foi em um amistoso disputado em 1986 – 1×2 – Mendonça fez para o Palmeiras, enquanto que Chicão e Vágner deram a vitória aos campineiros.

Histórico: no restrospecto geral, lavada alviverde. Já no retrospecto em brasileiros, hora de igualar a disputa.

GERAL CAMPEONATO BRASILEIRO
J V E D GP GC J V E D GP GC
115 58 29 28 194 123 16 6 3 7 23 22

O IPE se lembra: pelo BR98 o Palmeiras recebeu a Ponte no Palestra (que saudade!) e venceu tranquilamente – 3×0 – gols Alex e Oséas (2).

Read Full Post »

Nos pés dele

Na estreia de Gilson Kleina, o Palmeiras volta de Floripa não só com os três pontos, mas com a esperança renovada. A primeira das oito vitórias que teoricamente livram a equipe da degola não poderia ter vindo de jeito melhor: fora de casa e contra concorrente direto. Além disso, o triunfo dá tranquilidade e tempo ao novo técnico para implantar seu esquema.

Apesar do esquema cauteloso com três volantes, o Palmeiras começou bem a partida. Tomando a inciativa e com maior posse de bola, a equipe explorava as jogadas pelas duas laterais, e a tática surtiu efeito rapidamente. Em duas jogadas pela esquerda e no intervalo de 2 minutos, o Palmeiras abriu o placar com Thiago Heleno e ampliou com Henrique, ambos em assistências de Assunção.

Com o relógio marcando 10 minutos e o placar com 2×0, o Palmeiras deveria ter desacelerado e jogado com inteligência, mas a equipe continuou na mesma toada, ao passo que o Figueirense foi para o tudo ou nada, melhorando na partida.

O restante do primeiro tempo foi de leve superioridade dos catarinenses, com direito até a bola na trave, enquanto o Palmeiras não conseguia cozinhar a partida e esperar pelo momento certo de matar o jogo.

Na segunda etapa, já com três atacantes, o Figueirense continuava pressionando sem muito perigo, até que uma sequência daqueles erros  que estamos cansados de ver deu o gol para os catarinenses. Bruno socou um cruzamento que poderia muito bem ter segurado, a jogada prosseguiu com novo cruzamento, Márcio Araújo ficou olhando a bola passar, foi tirado da jogada com extrema facilidade e o gol veio no rebote de Bruno – 2×1.

Quando parecia que a equipe poderia se complicar, veio a resposta quase imediata. Jogada pela direita, cruzamento mau cortado pelo goleiro Wilson, e Assunção completou para o gol vazio – 3×1 e fatura fechada.

Agora, a Ponte no Pacaembu. Gilson Kleina certamente saberá como derrotar o time que comandava até há poucas horas, certo?

Avaliações

– Bruno: foi muito bem quando exigido, mas precisa ir mais convicto nos cortes de cruzamentos – 7

– Corrêa: pouco participou da partida até sair lesionado. Fica sem nota.

– M.Ramos: quando atua ao lado de T.Heleno, cresce – 7

– T.Heleno: segurança na defesa e gol no ataque – 8

– Juninho: muito instável e claramente tenso. Já que trouxeram o Leandro, porque não colocam em campo? – 5

– Henrique: discreto na parte defensiva e deixou o dele no ataque – 7

– Araújo: ficou assistindo o atacante do Figueirense no lance do gol. Prazo de validade vencido – 4

– Assunção: duas assistências e um gol, melhor em campo – 9

– Valdivia: reclama demais, joga de menos, e ainda atrapalha a própria equipe – 4

– M.Leite: corre, corre, corre e corre mais um pouco – 5

– Barcos: não recebeu uma bola sequer em condição para tentar algo no ataque, mas é o único capaz de levantar a cabeça, cadenciar o jogo e clarear jogadas – 7

– João Denoni: entrou com personalidade, sem medo de errar e indo ao ataque. É claramente melhor (ou pelo menos tem mais potencial) do que Araújo e JV, mas no Palmeiras santo de casa não faz milagre – 7,5

– Tiago Real: tecnicamente é inferior a Validivia, mas ao invés de reclamar joga bola – 6,5

– Mazinho: Fica sem nota.

– Kleina: com muita conversa, mostrou que tem estrela e começou com o pé direito – 8

Ficha Técnica

FIGUEIRENSE 1X3 PALMEIRAS

Local: Orlando Scarpelli, Florianópolis (SC)
Data/hora: 22/9/2012 – 18h30
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (aspirante Fifa-GO)
Auxiliares: Guilherme Dias Camilo (MG) e Wagner de Almeida Santos (RJ)
Renda/Público: 
R$ 217.595,00 / 10.724 pagantes
Cartões Amarelos: Hélder, Elsinho, Claudinei e João Paulo (FIG); Valdivia, Maurício Ramos, Barcos, Juninho e Maikon Leite (PAL)
Cartões Vermelhos: 
Não houve

GOLS: Thiago Heleno, aos 8’/1ºT (0-1); Henrique, aos 10’/1ºT (0-2); Aloísio, aos 19’/2ºT (1-2) e Marcos Assunção, aos 22’/2ºT (1-3);

FIGUEIRENSE: Wilson; Elsinho, João Paulo, Edson (Guilherme Lazaroni – 47’/2ºT) e Hélder; Túlio (Júlio César – Intervalo), Jackson, Claudinei e Botti (Deretti – 35’/2ºT); Aloísio e Caio. Técnico: Márcio Goiano

Melhores Momentos

Read Full Post »

Iniciando a “era Kleina”, o Palmeiras vai a campo buscando a primeira das oito vitórias que precisa nos treze jogos restantes para tentar diminuir o abismo que nos separa da zona neutra e, quiçá, escapar da degola.

Horário e local: sábado, 22/09, as 18:30, no Orlando Scarpelli (Sportv/PPV).

Árbitro: será Wilton Pereira Sampaio (GO), cujo histórico registra 11 jogos, com 4V/3E/4D:

2012 – 1×3 Vasco (BR, f), 2×0 Coritiba (CB, c) / 3×1 Horizonte (CB, f)

2011 – 1×1 Cruzeiro (BR, f)

2010 – 1×2 Cruzeiro (BR, f) / 1×2 Fluminense (BR, c) / 0x3 Atl-GO (BR, f) / 0x0 Botafogo (BR, f) / 2×0 Atl-PR (BR, c) / 0x0 Vasco (BR, f)

2009 – 2×1 Inter (BR, c)

Desfalques/Reforços: Fernandinho continua entregue ao DM. Wesley faz trabalho de recuperação física. João Vitor, com dores no pé, e Obina, Luan e Artur, suspensos, ficam de fora. Valdivia treinou a semana toda em separado e é dúvida.

Pendurados: Henrique, M.Araújo, Luan (mesmo após a expulsão) D.Carvalho e Wellington. Próxima partida: Ponte (casa).

Previsão IPE: Bruno; Corrêa, M.Ramos, T.Heleno e Juninho; Henrique, M.Araújo, Assunção e Valdivia; Mazinho e Barcos.

Bola verde IPE: Thiago Heleno continua na frente, com média 5,75.

Destaques/Figueirense: O meia Fernandes, o goleiro Ricardo e os atacantes Héber e Loco Abreu, lesionados, ficam de fora. A provável escalação deverá ter Wilson; Elsinho, Edson, João Paulo e Helder; Jackson, Túlio, Claudinei e Botti; Aloisio e Caio.

Ex-palmeirenses no Figueirense: o meia Fernandes.

Palpite IPE: 2×1, gols de Mazinho e Henrique para o Palmeiras, e Aloisio para o Figueira.

Última vitória no local do jogofoi pelo BR2011 – 1×0 – gol de Maurício Ramos.

Última derrota no local do jogo: pelo BR2006, o time “nota 5” de Leão tomou um chocolate – 1×6 – e ainda tinha dirigente que se diz palmeirense querendo contratar o rei da selva como técnico novamente.

Histórico: o primeiro confronto da história entre as duas equipes aconteceu em 1975, pelo Brasileiro, e terminou empatado – 2×2 – gols de Fedato e Edu Bala (PAL) e Toninho (FIG).

GERAL CAMPEONATO BRASILEIRO
J V E D GP GC J V E D GP GC
17 8 6 3 27 19 16 7 6 3 25 19

O IPE se lembra: pelo BR2007, o Palmeiras foi até Floripa e voltou com a vitória – 2×1 – gols de Valdivia e Max para o Palmeiras, e Jean Carlos para o Figueirense.

Read Full Post »

O novo comandante terá muito trabalho

Depois de uma semana de desorientação, com um acervo de nomes que incluiu Leão, Jorginho, Falcão, Cristóvão Borges, Dorival Júnior e Madre Teresa de Calcutá, a diretoria finalmente conseguiu acertar com um treinador: Gilson Kleina, que comandava a Ponte Preta desde o início de 2011, é desde já o responsável por fazer o time jogar na elite do Nacional – seja em 2013, seja em 2014. Além, claro, da Libertadores de 2013 (pra não falar da Sul-Americana deste ano, que ainda existe).

O currículo deste curitibano de 44 anos já foi destrinchado por PVC no post que primeiro anunciou sua chegada, faltando apenas citar que seu único título até aqui foi o Alagoano de 2006 pelo Coruripe. Não é obviamente uma folha como a de Felipão, mas quais são os outros técnicos de carreira triunfal que não foram queimados no Palmeiras nos últimos anos? Ao menos Gílson Kleina vem fazendo um trabalho digno na Ponte, de onde o Verdão também trouxe Estevam Soares em 2004 e, num ponto importantíssimo de sua história, Vanderlei Luxemburgo em 1993.

O que falta – a nós e à imensa maioria dos torcedores, não habituados ao noticiário da equipe campineira – é saber o que ele pensa, quais suas táticas favoritas, se é paizão ou linha dura, se é retranqueiro ou destemido. Por isso, deixamos ao próprio Kleina a missão de se apresentar ao torcedor alviverde. A seguir, alguns vídeos daquele a quem a partir de agora confiaremos nossas esperanças. Bem-vindo e muito, mas muito boa sorte.

Entrevista para a TV Bandeirantes

Duas entrevistas para o site da Ponte Preta

Read Full Post »

Bananada de goiaba…

– É, Frizzo, e agora?

– Nem me diga, Tirone. Que tragédia. Não sei o que fazer.

– Acho que vamos ter que procurar um técnico.

– Sem dúvida, eu já liguei na Assistência mas o preço era muito alto.

– Do que você tá falando, cazzo?

– Ué, do ar condicionado que o pessoal quebrou lá na lanchonete.

– Pombas, Frizzo, tô falando do Palmeiras.

– Que que tem o Palmeiras?

– Tamo quase na rabeira e o campeonato já tá acabando. Você não viu? Falaram hoje na TV!

– Calma, Tirone, o Felipão vai se virar bem. Demos pra ele um monte de camarão. Quem não gostaria de ter o Fernandão, que até campeão do mundo naquele time do Sul foi, ou aquele moleque topetudo que veio do Santos que corre pacas?

– Que Felipão, Frizzo? Ele pediu a conta!

– Sério isso? Por quê?

– Falou algo sobre falta de apoio da diretoria, que só ele tinha que resolver tudo. Pra ser sincero, não estava prestando muita atenção, estava quase passando de fase no Angry Birds. Pior que ele me atrapalhou, deixa ver se agora eu consigo.

– Ô Tirone, presta atenção, homem. Se não era o Felipão no banco contra o Curintia, quem era?

– Sabe que a pergunta é boa? Sei lá, o Murtosa?

– Acho que o Galeano deve saber, deixa eu ligar pra ele (…) Ô Galeano, beleza? Passa aqui na sala do Tirone prum café, ele trouxe um blend sensacional lá da Europa (…) Quê? Você não tá mais no Palmeiras? Pô, ninguém me fala nada! Tá bom, obrigado por tudo.

– E aí, ele vai querer açúcar ou adoçante? Vou colocar o mesmo pra mim, não consigo me decidir.

– Ele vazou também. Acho que não tem jeito, presidente, vamos ter que começar a resolver as coisas nós mesmos.

– Caramba, logo agora que a eleição tá chegando?

– Falar nisso, lembra que você me prometeu que eu posso escolher o novo assistente geral de supervisão do departamento de peteca sênior, hein?

– Putz, o Giannini tinha me pedido isso também. Podemos decidir isso depois?

– Tá, vamos falar da vinda do técnico então.

– Caramba, você insiste nisso, hein, Frizzo? Foi tão feio assim no restaurante?

– Não, Tirone, o do Palmeiras!

– Ah é, desculpa. Eu gosto do Leão, que tal?

– O Palmeiras não é zoológico pra ter Leão. Além do quê, ele não tá no São Paulo?

– É, tem razão, deixa pra lá. Temos que respeitar o coirmão. Aliás, senhora Rose, ô Rose, eta secretária surda, você mandou entregar aquele Black Label que eu trouxe da Europa pro Juvenal?

– Pituca, para de mudar de assunto, o troço é sério.

– Tá, tá, que saco. Não sei, não conheço nenhuma outra opção. Eu gosto do Leão.

– Que tal o Jorginho?

– Muito burro. Trocar a Débora pela sem graça da Nina? Prefiro até a Carminha, ela podia ser uma boa gerente aqui.

– Não, Tirone, é um que parece que trabalhou um tempo aqui e…

– Já passou por aqui? É esse mesmo, faz duas semanas que eu não contrato nenhum ex. Sabe que depois do tal Leandro o empresário do Gladstone não para de me ligar? Só falta acertar salário, você acha que 150 mil ia ofender? Melhor 200, né?

– Então, meu sobrinho disse que o Jorginho tá empregado.

– Ih, complicou. Por que tudo é tão difícil? Alguém vai ter que ligar pro presidente do clube dele!

– Presidente, não é por mal, mas acho que o melhor seria você fazer isso.

– Eu? Tá louco?

– Só pra perguntar se tem multa, coisa e tal.

– De jeito nenhum, o Mustafá mandou eu não pagar multa alguma e você sabe como ele fica bravo se a gente desobedece.

– Melhor falar com o jurídico então, quem sabe eles contornam isso?

– É, boa ideia, vou ligar lá (…) Oi, Piraci, tudo bem? Preciso de ajuda (…) Não, homem, pra que que eu quero 30 ingressos? Pra ver esse time aí? Não, quero saber se podemos tirar um técnico de outro clube (…) Ah, tá (…) OK, depois eu decido, agora não sei.

– E aí?

– Não entendi direito, acho que ele falou que é só endemizar o time dele. Esquece, muito complicado.

– Então tem que ser alguém sem clube.

– Isso, muito mais fácil. Eu gosto do Leão, mas deve ter gente boa, né?

– Ah, claro. Por sorte pedi a um filho de conselheiro pra preparar uma lista de nomes, ele só pediu 10 mil.

– Boa, garoto. Quem tem nessa lista?

– Joel Santana.

– Não falo inglês, próximo.

– Vágner Mancini.

– Aquele do restaurante?

– Esquece. Jair Picerni.

– Hmmm, pode ser, depois eu decido. Tem outros?

– Tem sim. Olha esse, Guardiola. Acho que esse moleque tava de sacanagem.

– Ô Frizzo, e o Dunga, já tem time? Cara bravo, decidido, gosto de gente como eu.

– O Palmeiras não é circo pra ter anão, Tirone, vamos voltar aqui pra lista. Só sobrou um nome, Falcão. Posso descartar, né? O Palmeiras não é viveiro pra ter Falcão.

– Não, espera aí. Eu gosto dele, “I´m not dog no”…

– Ô Tirone, tem certeza que estamos falando da mesma pessoa?

– Sei lá, Frizzo, que saco, acho que vou trazer ele mesmo. Depois eu decido. Tô com fome, vambora.

– Tá. Cantina ou churrascaria?

– Precisa decidir agora?

Read Full Post »

Condenado por um safado…

É uma situação que não tem como explicar, não tem o que falar, o Palmeiras foi mais uma vez omisso, operado e fraco. Omisso ao permitir que o juiz operasse o time e ao responder com fraqueza aos golpes do rival.  Barcos não jogou nada, achou que ia resolver sozinho, Juninho é caso de demissão sumária, errou tudo, entregou um gol em momento que a equipe era melhor na partida e João Vitor apanhou pouco não fica longe do camisa 6 na responsabilidade da derrota terrível de hoje.

O time do Palmeiras não joga tão mal, apesar do frágil sistema defensivo, os meias proporcionaram algumas oportunidades aos atacantes, que por sua vez não tiveram pontaria alguma, o alviverde teve suas chances e as desperdiçou, e é isso que nos diferenciou do arqui-rival, eles tiveram suas chances em erros BIZARROS dos ‘jogadores’ do Palmeiras e fizeram, ponto. O time alvinegro literalmente não precisou fazer força para vencer o alviverde, com um ataque ridículo e uma defesa borrada de medo, os lances foram naturalmente neutralizados e aproveitados pelo rival da marginal S/N.

Valdívia não se omitiu, reclamou, foi pra cima, tentou, chegou a marcar – e também a desperdiçar em cabeçada RIDÍCULA – mas o que ele tem a oferecer é pouco… Tiago Real entrou bem em campo, criou algumas boas chances, apareceu, tentou, mas o que ele tem a oferecer também é pouco… o Palmeiras não tem forças para se salvar, está rebaixado, não consegue superar sua própria fraqueza.

O próximo jogo é contra o Figueirense, em Florianópolis, concorrente direto, 2 pontos a frente do Palmeiras. Se o Narciso ainda for o treinador E FOR HOMEM, tira os calções-borrados do time, aqueles que estão entrando de perna bamba e conformados com a situação, isso serve para Artur, Juninho, Maurício Ramos, João Vitor e quem mais se candidatar e pedir pra sair. Já que vai cair, que seja com dignidade, não com COVARDIA.

Notas:

Bruno – sem culpa nos gols, não precisou fazer nenhuma defesa – 5
Artur – fraco, não consegue executar uma jogada de qualidade, morrendo de medo – zero
Henrique – no final a câmera o flagrou passando pelo juiz e xingando muito, fez certo, mas provavelmente será suspenso – 5
Maurício Ramos – espirra o taco em todas, fez alguns bons desarmes e umas faltas duras, mas está com medo – 3
Juninho – sem questionamento, errou absolutamente tudo e entregou o primeiro gol – ZERO com demissão sumária
João Vitor – outro que além de errar tudo, se omitiu na hora do ‘pega pra capar’ e entregou o outro gol – ZERO
Marcos Assunção – bonito o esforço, mas não ajudou em nada e ainda corre o risco de ter lesionado novamente – 3
Correa – hoje não apresentou nada digno de nota – 3
Valdívia – foi pra cima, driblou, fez bons passes, finalizou (perdeu um gol inacreditável), melhor em campo, apesar de ainda ter sido pouco – 6
Luan – comportamento infantil, típico de torcedor com a camisa em campo, não mereceu nenhum dos dois cartões – S/N
Barcos – chutou todas muito mal, apesar de ter aparecido bem na frente, não importa, não fez – 2

Tiago Real – boa apresentação, chamou o jogo, tabelou, inverteu boas jogadas – 5
Obina – errou tudo, absolutamente tudo, e ainda tomou amarelo – ZERO
Márcio Araújo – nem foi visto em campo – S/N

Narciso – não tem nada a ver com o resultado, vamos ver pro próximo jogo, tem uma semana para mudar alguma coisa e arrumar um emprego – S/N

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 0 X 2 CORINTHIANS

Local: Pacaembu, São Paulo (SP)
Data-Hora: 16/9/2012 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Marcelo Aparecido de Souza (SP)
Auxiliares: Marcelo Carvalho Van Gasse (SP) e Rogério Pablos Zanardo (SP)

RENDA/PÚBLICO: R$ 495.577,00/24.692 pagantes
CARTÕES AMARELOS: 
Luan, Barcos, Artur, Obina, Henrique (PAL); Romarinho, Martínez, Cássio, Ralf, Danilo, Fábio Santos (COR)
CARTÕES VERMELHOS:
 Luan, 25’/2ºT
GOLS: 
Romarinho, 21’/1ºT (0-1); Paulinho, 8’/2ºT (0-2)

PALMEIRAS: Bruno, Artur, M. Ramos, Henrique e Juninho; Correa (Tiago Real – 13’/2ºT), Marcos Assunção (Obina – 20’/2ºT), J. Vitor (Márcio Araújo – 30’/2ºT), e Valdivia, Luan e Barcos . Técnico: Narciso (interino).

CORINTHIANS: Cássio, Guilherme Andrade, Wallace, Paulo André e Fábio Santos; Ralf, Paulinho, Douglas e Danilo (Edenilson – 38’/2ºT); Martínez (Jorge Henrique – intervalo) e Romarinho (Giovanni – 35’/2ºT). Técnico: Tite.

Read Full Post »

Older Posts »