Feeds:
Posts
Comentários

Archive for agosto \31\UTC 2013

2 pontos perdidos... (Foto: LC Moreira / Agência Lance)

2 pontos perdidos… (Foto: LC Moreira / Agência Lance)

Mau resultado. Com um volume de jogo muito superior ao adversário mas abusando demais dos erros de finalização, o Palmeiras não foi capaz de construir a vitória. Mais do que os dois pontos perdidos, a equipe perdeu grande oportunidade de abrir vantagem para cima da Chapecoense, e agora vai para o confronto direto podendo terminar o primeiro turno na segunda posição.

Desde o apito inicial o domínio foi verde. Finalmente com dois meias, o Palmeiras rondava constantemente a área a adversária.

Não demorou muito e (quase) surgiu a primeira chance. Leandro ao invés de tentar o gol preferiu cavar o penalti. Não só ficou sem a bola na cal como também tomou o (terceiro) amarelo, e fica de fora da “decisão do primeiro turno”.

O Palmeiras seguiu em cima, Juninho perdeu grande chance, mas quem abriu o placar foi o Ceará. Em jogada de escanteio, o baixinho Magno Alves aproveitou a displicência de Márcio Araújo e cabeceou para o fundo do gol.

O restante do primeiro tempo foi jogo de ataque contra defesa. O Palmeiras martelava, e o Ceará se defendia como podia. Mesmo assim, o empate demorou a sair.

Em triangulação meio sem querer, Valdivia – o dono do jogo na primeira etapa – deixou Alan Kardec na cara do gol para igualar o marcador antes do fim da primeira metade do jogo.

No segundo tempo, nada de diferente. O Palmeiras era superior, mesmo com uma intensidade de jogo menor que na primeira etapa, e de novo quem marcou foi o Ceará, em bela jogada do lateral Marcos.

Diferente do primeiro tempo, o empate não demorou a sair. Mendieta deu passe milimétrico para Leandro, que pelo menos tinha que acertar – 2×2.

O Palmeiras bem que poderia ter virado, mas o festival de gols perdidos impediu. O Palmeiras agora retorna a capital e na terça feira recebe o vice-líder na derradeira rodada do primeiro turno.

NOTAS

– Prass: sem culpa nos gols – 7,5

– Luís Felipe: tem feito primeiros tempos medonhos e melhorado na segunda etapa – 6,5

– Tiago Alves: deu uma pixotada no segundo tempo que poderia ter custado até o empate – 5,5

– Henrique: depois de duas partidas bisonhas, hoje foi bem – 7

– Juninho: um lateral do Palmeiras não pode perder um gol daqueles. Até quando? – 4

– Araújo: falhou no primeiro gol, tomou bola nas costas no segundo, mas certamente continuará titular absoluto – 4

– Wesley: só não foi o pior em campo porque Juninho e Araújo são especialistas nisso – 4,5

– Mendieta: sua participação no jogo como um todo foi discreta, mas o passe para o segundo gol foi espetacular – 7,5

– Valdivia: disparado o melhor em campo no primeiro tempo. Na segunda etapa sumiu – 7,5

– Leandro: fez o gol de empate, é verdade, mas perdeu um outro tanto de gols e ainda foi burro ao tentar cavar penalti – 6,5

– Alan Kardec: deixou o dele, fez o pivô, criou boas chances… – 7,5

– Felipe Menezes: sonolento e displicente… – 5

– Ronny: costuma sempre entrar bem e hoje não foi diferente – 7

MELHORES MOMENTOS

FICHA TÉCNICA

CEARÁ X PALMEIRAS

Local: Castelão, Fortaleza (CE)
Data-Hora: 31/8/2013 – 21h
Árbitro: Alício Pena Júnior (MG)
Auxiliares: Aelson Mariano Campelo Gomes (MA) e Sérgio H. Campelo Gomes (MA)
Público e renda: não divulgados
Cartões Amarelos: Rogerinho (CEA); Wesley,  Leandro e Valdivia (PAL)
Gols: Magno Alves, aos 23’/1ºT (1-0); Alan Kardec, aos 43´/1ºT (1-1); Marcos, aos 20´/2ºT (2-1); Leandro, aos 25´/2ºT (2-2)

CEARÁ: Fernando Henrique, Marcos, Potiguar, Dievo Ivo e Vicente (Felipe Menezes – 38’/2ºT); João Marcos, Xaves, Ricardinho (Dinelson – 30’/2ºT) e Rogerinho; Magno Alves e Mota (Romário – 30’/2ºT). Técnico: Sérgio Soares.

PALMEIRAS: Fernando Prass; Luis Felipe, Tiago Alves, Henrique e Juninho; Márcio Araújo, Wesley, Mendieta (Roni – 28’/2ºT) e Valdivia (Felipe Menezes – 24’/2ºT); Leandro e Alan Kardec. Técnico: Gilson Kleina.

Read Full Post »

CEAxSEP

Preso em mais um buraco que cavou para si próprio, o clube volta todas as atenções para o que restou este ano. Obrigado, Palmeiras!

Horário e local: sábado (31/08), as 21:00, no Castelão (PPV)

Árbitro: será Alicio Pena Júnior (MG), cujo histórico registra 17 jogos, com 8V/3E/6D

Situação na tabela: o Palmeiras lidera com 40 pontos, enquanto que o Ceará é o décimo-terceiro, com 21.

Desfalques/Reforços: Charles, suspenso, fica de fora. Valdivia treinou normalmente e deve ir para o jogo. Vilson foi vendido por uma fortuna e não é mais jogador do clube.

Pendurados: Eguren, Mendieta, Luís Felipe e Leandro. Próxima partida:  Chapecoense (casa).

Bola verde IPE: Valdivia segue em primeiro, com média 8,29.

Previsão IPE: Prass; Luís Felipe, Henrique, Tiago Alves e Juninho; Eguren, Araújo, Wesley e Valdivia; Leandro e Kardec.

Destaques/Ceará: o meia Lulinha e o atacante Léo Gamalho, suspensos, e o zagueiro Anderson Marques, lesionado, ficam de fora. A diretoria cearense segue reforçando a equipe e anunciou esta semana as contratações dos meias Dinelson (ex-SCCP, estava na China) e Thiago Humberto (ex-Inter, estava no Boa), mas ambos ainda ficam de fora. O atacante Mota está recuperado de lesão e volta ao time titular. A provável escalação do “vozão” deverá ter Fernando Henrique; Marcos, Potiguar, Diego Ivo e Vicente; João Marcos, Xaves, Ricardinho e Rogerinho; Magno Alves e Mota.

Ex-palmeirenses no Ceará: nenhum.

Olho nele: o veterano atacante Magno Alves ainda apronta das suas de vez em quando.

Palpite IPE: com alguns desfalques, o Palmeiras encontrará dificuldades mas vencerá – 2×1 – gols de Valdivia e Kardec.

Último confronto: foi pelo BR2011, no Canindé – 1×0  – gol contra de Thiago Matias.

Última vitória no Ceará: faz tempo, mas foi goleada. Pelas quartas-de-final da Copa do Brasil 1997 – 5×2 – gols de Viola (4) e Rincón.

Última derrota no Ceará: foi pelo BR 2011 – 0x2 – gols de Thiago Humberto e Washington.

Histórico: o primeiro confronto da história entre as equipes foi válido pelo “Quandrangular de Fortaleza” (1938) e terminou com goleada palestrina – 5×1 – gols de Luisinho, Barrilote (2), Feitiço e Imparato III.

GERAL SÉRIE B
J V E D GP GC J V E D GP GC
21 12 7 2 48 13 1 0 1 0 1 1

O IPE se lembra: Palmeiras e Ceará já se enfrentaram na série B, em 2003. A partida foi disputada na cidade de Sobral e terminou empatada – 1×1 – gols de Baiano para o Palmeiras e Sérgio Alves para o Ceará.

Read Full Post »

Brasil 3x0 Áustria. De Sordi abre e Gilmar fecha a fila de cima

Brasil 3×0 Áustria. De Sordi abre e Gilmar fecha a fila de cima

Em meio ao aniversário do Palmeiras, deixamos este post melancólico para depois. Mas antes que seja tarde queremos render nossa homenagem a mais dois integrantes daquela que, na opinião deste redator, foi a maior equipe de todos os tempos: a Seleção Brasileira de 1958. Pouco mais de um mês após o mito Djalma Santos partir, foi a vez de, em menos de 24 horas, lamentarmos a perda de seu companheiro de posição De Sordi e do goleiro Gilmar. Curiosamente, as cinco grandes torcidas do Estado de São Paulo em particular estão representadas nestas perdas: Palmeiras e Portuguesa choraram pelo primeiro, o São Paulo pelo segundo, e Santos e Corinthians pelo último.

Comecemos pelo arqueiro, provavelmente o mais importante atleta de sua posição da história de nosso futebol. Afinal, Gylmar dos Santos Neves é o único goleiro bicampeão mundial titular (o italiano Guido Masetti venceu as Copas de 1934 e 1938 sem atuar um minuto sequer). Nascido em Santos, Teve uma longa carreira que começou no Jabaquara, de onde saiu para passar os anos 50 em nosso arquirrival e os 60 no esquadrão da Vila Belmiro.

Gilmar pegou equipes que tiveram grandes fases contra nós: para se ter uma ideia, o recorde de invencibilidade do Corinthians contra o Palmeiras é de 10 partidas, por três vezes. Pois o goleiro esteve presente em duas dessas sequências. E o Santos em que jogou era um time que enfrentávamos à altura, mas que mesmo assim levava a melhor na maioria das vezes.

Deu trabalho, mas levantamos todas as partidas em que tivemos esta muralha pela frente. Eis os números:

  • Pelo Jabaquara: 1 partida, com 1 vitória do Palmeiras e 2 gols a nosso favor. Partida disputada, ora vejam, em 31/12/1950.
  • Pelo Corinthians: 22 partidas; vencemos 5, empatamos 5 e perdemos 12. Marcamos 34 gols.
  • Pelo Santos: 20 partidas, com 5 vitórias, 4 empates e 11 derrotas. Vazamos sua meta 28 vezes.
  • Total: 43 partidas, com 11 triunfos, 9 igualdades, 23 derrotas e 64 gols marcados

Poucos são aqueles que podem ostentar um retrospecto tão positivo contra o gigante alviverde!

Já o lateral Nilton de Sordi, assim como Gilmar, também surgiu em sua cidade natal. Mas logo saiu do XV de Piracicaba para uma longa carreira no São Paulo, que incluiu os não tão brilhantes anos 50 do Palmeiras, o que o ajudou a também ostentar currículo positivo: nos 36 Choques-Rei em que ele esteve em campo, vencemos 8, empatamos 15 e perdemos 13. O defensor, cuja fama era a de ter dado quando muito dois chutes a gol em toda sua carreira, foi titular durante as cinco primeiras partidas do Mundial de 1958, mas, contundido, deu oportunidade para Djalma Santos ser eleito o melhor da Copa na posição tendo jogado apenas a decisão.

E assim a marcha inexorável do tempo vai levando pouco a pouco os homens que construíram a mais bela página da história de nosso futebol. Aqueles que há mais de 50 anos acabaram com o que Nelson Rodrigues batizara de “complexo de vira-lata”, a sensação de que os brasileiros seriam inferiores aos outros povos. Desde 1977, quando Zózimo foi o primeiro a partir, a lista evidentemente só aumenta, mas ainda restam 9 heróis daquela conquista: Bellini, Nilton Santos, Dino Sani, Zito, Moacir, Zagallo, Pepe, Pelé e Mazzola.

A Gilmar e De Sordi, rivais por clubes mas acima de tudo compatriotas que nos trouxeram glórias, nosso muito obrigado.

Read Full Post »

CAPXSEP

Os 90 minutos finais do duelo das oitavas. Será que a vantagem magra será suficiente?

Horário e local: quarta-feira (28/08), as 21:50, na Vila Capanema (Sportv).

Árbitro: será Ricardo Marques Ribeiro (MG), cujo histórico registra 8 jogos, com 3V/3E/2D:

2013 – 2×0 América-RN (B, f)

2012 – 1×1 Coritiba (BR,f) / 1×1 Grêmio (CB,c) / 2×0 Atl-PR (CB,c)

2011 – 1×2 Figueirense (BR,c) / 0×0 Grêmio (BR,c)

2009 – 1×0 Fluminense (BR,c)

2008 – 0×2 Coritiba (BR,f)

Desfalques/Reforços: Valdivia, Ananias e Vinícius, lesionados, ficam de fora. Leandro está recuperado e fica a disposição. Não há suspensos.

Pendurados: nenhum. Próxima partida:  Ceará (fora). Pela CB, caso avancemos, será o vencedor de Inter x Salgueiro.

Bola verde IPE: só haverá premiação se a equipe passar das oitavas de final.

Previsão IPE: Prass; L.Felipe, Vilson, Henrique e Juninho; Araújo, Charles, Wesley e Mendieta; Leandro e Alan Kardec.

Destaques/Atl-PR: o atacante Marcelo foi poupado das atividades da semana mas está apto a atuar. O volante Bruno Silva já atuou na Copa do Brasil pela Ponte Preta e fica impedido de atuar. O lateral direito Léo está recuperado de lesão e volta a equipe. Paulo Baier, que foi poupado no jogo de ida, é outro a reforçar a equipe. Vagner Mancini não revelou a escalação e deixou no ar a possibilidade de atuar com três atacantes. A provável escalação do Furacão deverá ter Weverton; Léo, Manoel, Luiz Alberto e Pedro Botelho; João Paulo, Zezinho, Paulo Baier e Everton; Dellatorre (Marcelo) e Ederson.

Ex-palmeirenses no Atlético-PR: os meias Felipe e Paulo Baier.

Olho nele: a dupla Marcelo e Ederson infernizou a vida de nossa zaga no jogo de ida.

Palpite IPE: em uma verdadeira batalha, o Palmeiras sai atrás mas busca o empate no fim do jogo – 1×1 – gol de Alan Kardec.

Último confronto: foi a vitória no jogo de ida, semana passada – 1×0 – gol de Vilson.

Última vitória no Paraná: foi pelo BR2008, com direito a show de Diego Souza – 2×1.

Última derrota no Paraná:  foi pelo BR2010 – 0x1 – gol de Nieto.

Histórico:

GERAL COPA DO BRASIL
J V E D GP GC J V E D GP GC
44 23 14 7 66 45 7 5 2 0 11 4

O IPE não se lembra: se na Arena da Baixada o Palmeiras nunca tem vida fácil (são 11 jogos e apenas 1 vitória), o mesmo não se pode dizer da Vila Capanema, onde estamos invictos contra o Furacão. No total são 3 jogos, com 2 empates e 1 vitória – 3×1 – pelo Brasileiro 1968, gols de Artime (2) e César Maluco.

Read Full Post »

Noventa e nove

Escudo 08

Há 99 anos, um grupo de imigrantes italianos presenteou o Brasil com uma ideia.

A ideia de que podemos ser diferentes, sem deixar de sermos Brasileiros. A ideia de que por mais difícil e injusta que a vida por vezes possa ser, não podemos deixar de lutar pelos nossos sonhos. A ideia de que nada é impossível quando o amor é incondicional. A ideia de que, unidos, somos imbatíveis.

Parabéns, Sociedade Esportiva Palmeiras.

distintivos

Read Full Post »

Fim da invencibilidade

Fim da invencibilidade

O Palmeiras foi até o interior de Minas Gerais e não teve uma ‘boa’ atuação, acabando derrotado pelo BOA, tradicionalíssimo clube do cenário nacional. Mais uma vez Gilserley Kleinaburgo escalou o 11 inicial ‘torto’ para fazer a famosa ‘Valmir no Leandro’ quando estivesse perdendo e assim, quem sabe, virar a partida. Já faz tempo que vemos o esquema com 3 volantes fracassando e o 4-4-2 com 2 meias de origem resolvendo a parada no segundo tempo. Ia chegar um dia em que não conseguiriam virar, ou pior, sequer empatar.

Apesar de alguns jogadores que perfilaram para o início da partida não aparecerem habitualmente entre os titulares não pode-se dizer que o time hoje era ‘reserva’, uma vez que foram poupados apenas Fernando Prass, Juninho ( vejam só), Vilson e Leandro. Esse adendo antes de falar da partida em si é válido pois antes do jogo pudemos mais uma vez ouvir Paulo Nobre ao vivo na Band, e o presidente disse que o time do centenário é esse daí com algumas contratações pontuais, melhor não sofrer por antecipação mas, se não conseguem DESTROÇAR o BOA, o que farão contra os principais clubes na Série A 2014? Não temos que nos contentar com o velho discurso de ‘esses times jogam a vida contra o Palmeiras’, só o escudo do Palmeiras vaporiza a vida desses timecos, é inadmissível aceitar tal justificativa para derrotas na Série B. Se eles correm tudo que podem, os jogadores que defendem o Palmeiras tem que correr mais, jogar melhor, vencer.

Todo jogo começa 0x0. Hoje a igualdade saiu do placar muito rápido. Um tal de KARANGA testou para o fundo das redes de BRUNO (coincidências a parte…) logo aos 2 minutos. Daí em diante o que se viu foi um Palmeiras apático, desorganizado, incapaz de furar a retranca mineira, e não, eles não tem nenhum grande jogador na defesa, tampouco um estrategista de renome na casamata, são só o BOA mesmo.

Pra segunda etapa Gilserley Kleinaburgo tirou o famigerado 3º volante – e aqui precisamos destacar que o Eguren está se saindo um ‘Marcinho Guerreiro tipo importação’, não se justifica tanto alvoroço em torno desse volante destruidor – o uruguaio cedeu lugar para Mendieta e o Palmeiras foi pra cima, o time mineiro se deu ao luxo de retrancar e chutar pra onde o nariz estivesse virado, apostando em alguns contra-ataques, em sua grande maioria cedidos hora por passes errados de Márcio Araújo hora pelas infelizes subidas de Henrique ao ataque, apesar da pouca habilidade do zagueiro e da presença de 200 meias em campo houve momentos do jogo em que ele trabalhou como um 10, falhando miseravelmente, diga-se. Além de toda desorganização tática mais uma vez o time não pôde contar com Kardec, as raras bolas que chegaram para ele foram maltratadas pelo sujeito sem piedade. O Verdão foi para o bumba-meu-porco e insistiu até os 50′ do 2ºT, sem sucesso.

Quarta-feira tem a volta da Copa do Brasil, é bom ir para o Paraná com algumas coisas que deram errado hoje retificadas e tinindo, não custa lembrar que vencer este torneio é a única maneira de jogar umas partidas internacionais no ano do centenário.

Notas:

Bruno – incrível como apesar de não ter culpa no gol, basta estar lá e o Palmeiras perde – 6
Luis Felipe – participativo mas com baixo aproveitamento – 6
Henrique – com o rei na barriga no começo do jogo, errando tudo e entregando jogadas prontas para o BOA, depois resolveu que era meia – 2
Tiago Alves – passou despercebido na maior parte do tempo, assustou quando esteve com a bola nos pés – 5
Fernandinho – deve ter se assustado ao ser convocado pro jogo, nem lembrava mais como era – 4
Eguren – bateu, bateu, tomou amarelo, saiu – 2
Márcio Araújo – manteve o padrão de qualidade nos passes de lado e para trás, jogando de ‘Wesley’ foi péssimo – 4
Charles – outro que errou muito mais que acertou, só não saiu porque o uruguaio tinha amarelo – 4
Felipe Menezes – muito fraco, sozinho na armação foi nulo, quando apareceram outros meias destoou, bom chute no fim – 5
Ananias – ficou sobrecarregado pela inércia de Alan Kardec e falta de qualidade de Felipe Menezes, levou algum perigo mas não pode ser o responsável pelo ataque palmeirense – 6
Alan Kardec – quando apareceu pro jogo e teve algumas oportunidades furou, chutou torto, cabeceou errado… – 4

Mendieta – entrou para aumentar o poder ofensivo, até tentou mas ficou muito preso na marcação – 5
Ronny – é forte, chuta bem, corre  bastante, mas esquece de combinar com os outros o que é pra fazerem – 5
Serginho – há tempos não tinha chance de jogar mais que um punhado de minutos, hoje teve e não mostrou nada – 4

Gilson Kleina – mal na escalação, quando substituiu embolou o meio campo sem objetividade – 4

Momentos:

FICHA TÉCNICA
BOA 1 X 0 PALMEIRAS

Local: Estádio Prefeito Dilzon Luiz de Melo (Melão), Varginha (MG)
Data/Hora: 24/8/2013 – 16h20 (de Brasília)
Árbitro: Grazianni Maciel Rocha (RJ)
Auxiliares: Lorival Cândido das Flores (RN) e Leonardo Mendonça (ES)
Renda e público: Não disponíveis
Cartões amarelos: Petros, Marcelinho Paraíba (BOA); Eguren, Charles (PAL)
Cartões vermelhos: –
Gol: Fernando Karanga, aos 2’/1ºT (1-0)

BOA: Douglas; Petros, Ciro Sena, Tiago Carvalho e Airton; Rodrigo Souza (Marabá – 49’/2ºT), Betinho, Vinícius Hess e Marcelinho Paraíba (Juba – 36’/2ºT); Fernando Karanga e Francismar (Malaquias – 24’/2ºT). Técnico: Nedo Xavier

PALMEIRAS: Bruno; Luis Felipe, Tiago Alves, Henrique e Fernandinho; Eguren (Mendieta – intervalo), Márcio Araújo, Charles (Ronny – 15’/2ºT) e Felipe Menezes; Ananias (Serginho – 22’/2ºT) e Alan Kardec. Técnico: Gilson Kleina

Read Full Post »

BOAxSEP

No embalo da liderança mas preocupado com o jogo de volta da Copa do Brasil, o Palmeiras vai até Varginha-MG enfrentar um adversário inédito em sua história.

Horário e local: sábado (24/08), as 16:20, no Estádio Municipal Prefeito Dilzon Luiz de Melo, o “Melão” (Globo/PPV).

Árbitro: será Grazianni Maciel Rocha (RJ), estreante em jogos do Palmeiras. Nesta série B já apitou três jogos.

Situação na tabela: o Palmeiras lidera com 40 pontos. O Boa é o sexto colocado, com 26.

Desfalques/Reforços: Valdivia, lesionado, e Wesley, suspenso, ficam de fora. De olho no jogo de volta da Copa do Brasil, Gilson Kleina deverá poupar jogadores que vêm de sequência grande ou que têm reclamado de dores, casos de Fernando Prass, Vilson, Marcelo Oliveira, Charles, Leandro e Luís Felipe. Vinícius, recuperado de lesão, ainda faz fortalecimento e é dúvida.

Pendurados: Ayrton, Charles, Mendieta, Luís Felipe e Leandro. Próxima partida:  Atlético-PR (Copa do Brasil, fora).

Bola verde IPE: Valdivia segue em primeiro, com média 8,29.

Previsão IPE: Bruno; Luís Felipe, Tiago Alves, Henrique e Juninho; Eguren, Araújo, Mendieta e Felipe Menezes; Vinícius e Alan Kardec.

Destaques/Boa: de olho no G4, o clube anunciou mudanças em seu elenco com duas dispensas e um pacotão reforços. O lateral Grafite e o meia Paulo Victor foram dispensados e chegaram ao clube os zagueiros Thiago Carvalho (ex-Cruzeiro) e Alex silva (ex-SPFC, Cruzeiro, Flamengo…), os laterais Crystian (ex-Santos) e Leandrinho (ex-Cruzeiro), o meia Éder Lima (ex-Tombense), e os atacantes Dimba (ex-Santos) e Walace (ex-Confiança). Entretanto, nenhum deles deverá ter condições de jogo ainda. Outro que deixou a equipe foi o atacante Marcelo Macedo, negociado com o futebol colombiano. Os zagueiros Wallison, Neylor e Carciano, e os laterais Rafinha e Sheslon, lesionados, ficam de fora. O técnico Nedo Xavier não costuma repetir escalações, mas tentamos prever do mesmo jeito: Leandro; Petros, Everton Luiz, André Astorga e Airton; Rodrigo Souza, Betinho, Malaquias e Marcelinho Paraíba; Luis Paulo e Fernando Karanga.

Ex-palmeirenses no Boa: nenhum.

Olho nele: o veterano Marcelinho Paraíba é o “astro” da equipe.

Palpite IPE: com o freio de mão puxado pensando na Copa do Brasil, vitória magra – 1×0 – gol de Felipe Menezes.

Histórico: será a primeira vez na história que enfrentaremos o Boa Esporte.

GERAL SÉRIE B
J V E D GP GC J V E D GP GC
0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Curiosidade: esta será a primeira vez que enfrentamos o Boa Esporte, mas não será a primeira vez que enfrentamos uma equipe do interior de Minas Gerais. Ao todo são 17 jogos (em sua grande maioria amistosos), com 14 vitórias e 3 derrotas. Os adversários foram Guaxupé, Caldense, Industrial Mineira, Ipatinga, Sport de Juiz de Fora, Uberaba, Uberlândia e Vila Nova.

Read Full Post »

Older Posts »