Feeds:
Posts
Comentários

Archive for fevereiro \27\UTC 2014

Mais um do artilheiro

Mais um do artilheiro

Noite de reabilitação no Pacaembu. Sem sustos, o Palmeiras venceu o São Bernardo e deixou encaminhada a classificação às quartas de final.

O jogo começou com o Palmeiras trocando passes e o São Bernardo abusando das faltas na intermediária. A equipe do ABC tentava matar as jogadas e forçar o erro para sair em contra ataque, e conseguia levar algum perigo em jogadas isoladas.

A primeira boa chance veio aos 15, em bela troca de passes entre Valdivia e Marquinhos Gabriel. O camisa 40 recebeu na frente mas concluiu mal, sendo que poderia ter cruzado rasteiro para Alan Kardec, que fechava pelo meio. Aos 17 outra boa trama entre o mago e Marquinhos, mas o chileno tropeçou. A resposta do Bernô veio na sequência, com Careca, para defesa de reflexo de Prass.

O Palmeiras seguiu martelando. Alan Kardec deu uma casquinha em bola alçada para a área, mas Wilson Jr defendeu bem. No lance seguinte, o gol. Bom cruzamento de Wendel e conclusão de Alan Kardec, para desespero daqueles que torciam para que a não convocação o afetasse.

Aos 29, em bola levantada por Wesley, Lúcio apareceu na esquerda para cabecear para a defesa do goleiro. No rebote Kardec também tentou de cabeça mas a zaga afastou. Em seguida veio a tradicional pisada no freio, e o time recuou, permitindo que o São Bernardo aumentasse a presença ofensiva, mas sem levar perigo até o fim da primeira etapa.

O segundo tempo começou com o São Bernardo pressionando, mas quem marcou foi novamente o Palmeiras, aos 12. Vinícius acertou o único lance dele em todo jogo, cruzando para Valdivia que teve categoria e tranquilidade para dominar, dar uma rápida olhada e correr para o abraço. 

O segundo gol encerrou qualquer tipo de tentativa de reação do time do ABC. O bandeira ainda teve tempo de marcar um impedimento de Mendieta que só ele viu, e a equipe teve mais algumas boas chances antes do apito final.

Valdivia, que estava pendurado e não jogaria a próxima por estar convocado para um amistoso da seleção chilena, forçou o terceiro, e coroou a vitória respondendo aos repórteres tudo aquilo que eles não queriam ouvir.

A vitória alçou o Palmeiras aos 26 pontos, na liderança absoluta do grupo D, enquanto que o Bernô permanece sem marcar sequer um mísero gol até aqui na história do confronto entre as equipes.

AVALIAÇÕES

– Prass: comentar as atuações dele tem sido chover no molhado – 8,5

– Wendel: não comprometeu na defesa, errou algumas jogadas no ataque, mas compensou com cruzamento preciso no primeiro gol da equipe – 7,5

– Lúcio: cada vez mais seguro e esbanjando experiência , só precisa prestar um pouco mais de atenção nas saídas de jogo – 8

– M.Oliveira: joga simples e sem dar sustos – 8

– Juninho: depois da atuação de seu concorrente no último final de semana, não há o que reclamar – 7

– Eguren: afoito, estabanado e exagerando na “força” em alguns lances – 5,5

– Wesley: boa movimentação, alguns erros de saída de jogo, e apoio constante ao ataque – 7,5

– Valdivia: distribuiu passes, fez gol, tomou o amarelo quando era pra tomar, e deu duas invertidas nos repórteres após o jogo – 8,5

– Marquinhos Gabriel: foi ao lado de Valdivia o principal articulador da equipe no primeiro tempo – 8

– Vinícius: errou tudo, menos o cruzamento que originou o segundo gol – 7

– Kardec: meteu gol e também deu uma invertida no repórter – 8,5

– Mendieta: apareceu bem em algumas jogadas de ataque, mas na principal delas foi sacaneado pelo bandeira – 7,5

– Patrick Vieira: em seu primeiro lance na partida deu a impressão de que iria mostrar ao Vinícius como se faz, mas depois também não acertou muito mais – 7

– Tiago Alves: entrou para ganhar ritmo, fica sem nota.

MELHORES MOMENTOS

FICHA TÉCNICA

PALMEIRAS 2 X 0 SÃO BERNARDO

Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data e horário: 27 de fevereiro de 2014, quinta-feira, às 19h30
Árbitro: Aurélio Santanna Martins
Assistentes: Fausto Augusto Viana Moretti e Eduardo Vequi Marciano
Público/renda:
 234.605,00/6742 pagantes
Cartões amarelos: Valdivia (PAL); Castán (SBS)
Cartões vermelhos: Nenhum

GOLS: Alan Kardec, 24’/1ºT (1-0); Valdivia, 10’2ºT (2-0)

PALMEIRAS: Fernando Prass; Wendel, Lúcio, Marcelo Oliveira e Juninho; Eguren, Wesley (Tiago Alves – 43’/2ºT) e Valdivia; Marquinhos Gabriel (Mendieta 19’2ºT), Vinicius (Patrick Vieira – 31’/2ºT) e Alan KardecTécnico: Gilson Kleina.

Read Full Post »

SEPxSBC

Digerindo a primeira derrota do ano e ainda com alguns desfalques, o Palmeiras volta a campo para mais um compromisso. Que a derrota de domingo tenha servido de alerta para que o foco seja mantido.

Horário e local: quinta-feira (27/02), as 19:30hrs, no Pacaembu (PPV).

Árbitro: será Aurélio Santanna Martins, cujo histórico registra apenas uma partida:

2013 – 2×0 Botafogo-SP (P,c)

Situação na tabela: o Palmeiras é o líder do grupo D, com 23 pontos. O São Bernardo é o terceiro colocado do grupo C, com 18.

Desfalques/Reforços: Victorino, aprimorando o preparo físico, Wellington, Josimar, Leandro e Diogo, lesionados, e Bruno César e França, suspensos, ficam de fora. Em compensação, Juninho, Wesley e Alan Kardec retornam à equipe.

Pendurados: Valdivia, Lúcio e Wellington. Próxima partida:  Portuguesa (casa).

Previsão IPE: Prass; Wendel, Lúcio, M.Oliveira e Juninho; Eguren, Wesley, Mendieta e Valdivia; Mazinho e Kardec.

Bola verde IPE: Prass segue isolado na ponta, com média 8,04.

Destaques/S.Bernardo: o lateral Rafael Cruz e o volante Edson, suspensos, ficam de fora. A provável escalação do “Bernô” deverá ter Wilson Jr.; Kaique, Luciano Castán, Lombardi e Eduardo; Dudu, Marino, William Favoni e Bady; Careca e Gil.

Curiosidade: o zagueiro Luciano Castán é irmão do também zagueiro Leandro Castán, atualmente na Roma-ITA.

Ex-palmeirenses no S.Bernardo: o lateral Eduardo e o volante Zé Forte (este, somente pelo B).

Palpite IPE: 2×1, gols de Alan Kardec e Lúcio.

Última vitória como mandante: foi pelo Paulistão 2013 – 3×0 – gols de Barcos (2) e Valdivia.

Última derrota como mandante: jamais levamos sequer um gol do time do ABC.

Histórico:

GERAL CAMPEONATO PAULISTA
J V E D GP GC J V E D GP GC
2 2 0 0 5 0 2 2 0 0 5 0

O IPE se lembra: pelo Paulistão 2011 recebemos o time do ABC no Canindé e vencemos – 2×0 – gols de Danilo e Patrik.

Read Full Post »

Já está devendo...

Já está devendo…

Demorou, mas ela veio. A primeira derrota do ano se deu num cenário totalmente atípico: 6 titulares fora, time com esquema atípico, adversário embalado em casa, carência absoluta de atacante na falta de Kardec. Não foram poucos os fatores que justificaram a derrota de ontem, é óbvio que o time poderia ter saído vitorioso, mas não foi nada espantoso perder esse jogo.

Logo no começo do primeiro tempo o Botafogo já foi pra cima da desentrosada defesa do Palmeiras, a zaga mais uma vez contou com o improviso de Marcelo Oliveira, pela esquerda o substituto de Juninho teve a proeza de nos fazer sentir a ausência do camisa 6, pela direita Wendell e Eguren formavam uma dupla um tanto quanto engessada, do meio pra frente França fazia a função de Wesley, em que não foi tão mal apesar de ser um pouco lento, e Valdívia dava seu lugar sem deixar de estar em campo para Mendieta, o chileno ocupava o espaço de Leandro e num arroubo de falta de critério lógico Miguel era o 9 (onde está o tal Rodolfo?). Colocado isso tudo ai acima podemos ir para os 3 gols do Botafogo, entremeados pelo gol do Palmeiras. No primeiro pane geral da zaga, William Matheus erra a marcação e gol. Ai vem o gol do Palmeiras de penalti, Valdívia, bateu muito bem. Na sequência William Matheus erra saída de bola, gol do Botafogo. Pouco depois William Matheus comete penalti (mão na bola) e gol do Botafogo. Já está um pouco claro quem não foi muito bem no jogo né?

Pra derradeira etapa Gilson Kleina voltou com Bruno César no lugar de Marquinhos Gabriel (apagadíssimo) e Vinishow no lugar de Miguel Bianconi, Valdívia continuava de atacante (por vezes até mesmo de centro-avante) e William Matheus continuava atormentando a própria defesa. A falta de jogadores importantes foi tão sentida que diante da impotência Palmeirense em criar chances de real perigo o Botafogo começou a tocar a bola e matar o tempo, Bruno César que chegou com toda pompa (e uns quilos a mais) não segurou a onda e acabou sendo expulso por excesso de reclamação com o árbitro, a partir daí o porco afundou de vez no brejo e foi só esperar a partida terminar.

Não é motivo para alarde, uma derrota depois de tanta invencibilidade serve (ou deve servir) para alertar os jogadores, reacender o ímpeto de vencer, não pode achar que vai vencer só porque já venceu antes. Então que sirva de lição e que na próxima partida não apareça nenhum esquentadinho, nas duas últimas foram 2 vermelhos, e o time com o retorno de peças importantes – incluso ai o camisa 6 – jogue pra valer.

Notas:

Fernando Prass – não teve culpa nos gols e quase pegou o penalti – 8

Wendell – atrapalhado com a bola, perdido na marcação, tomou um vareio – 4

Lúcio – já demonstra uma certa regularidade, não vai eliminar totalmente os erros de tempo de bola – 6

Marcelo Oliveira – cada vez mais fixo na improvisação – 5

William Matheus – conseguiu nos fazer sentir falta do Juninho, errou quase tudo que tentou – ZERO

Eguren – pesado, prendeu muito o jogo, em que pese ter sido difícil achar alguém pra quem tocar – 5

França – um dos melhores em campo, não é muito rápido mas demonstrou uma boa condução de bola – 7

Mendieta – não conseguiu encaixar jogo com Valdívia e ai não rendeu nada – 4

Valdívia – por vezes teve que ser o 9, não deu certo, mas insistiu e jogou razoavelmente bem – 7

Marquinhos Gabriel – nulo, escondido, a estréia boa foi ponto fora da curva – 4

Miguel – cadê o tal Rodolfo? – 3

Vinícius – Vinishow ficou preso na ponta esquerda qual um cão numa corrente curta – 4

Bruno César – segundo jogo e já um vermelinho na conta – ZERO

Serginho – entrou no desespero do treinador, não pôde fazer muita coisa – 4

Momentos:

FICHA TÉCNICA
BOTAFOGO-SP 3 x 1 PALMEIRAS

Local: Estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto (SP)
Data/Horário: 23/2/2014, às 18h30
Árbitro: Robério Pereira Pires
Assistentes: Leonardo Schiavo Pedalini e Giulliano Neri Colisse
Público: 16.373 pagantes
Cartões Amarelos: Gilmak, Gilvan, Alex Silva (BOT); William Matheus, Bruno César, França (PAL)
Cartões Vermelhos:  Bruno César, aos 28’/2ºT (PAL); Alex Silva, aos 41’/2ºT (BOT)

GOLS: Mike, aos 19’/1ºT (1-0); Valdivia, aos 24’/1ºT (1-1); Camilo, aos 33’/1ºT (2-1); Marcelo Macedo, aos 38’/1ºT (3-1)

BOTAFOGO-SP: Gilvan; Daniel, Henrique Mattos, Lima e Giovanni; Gilmak (Alex Silva – 32’/2ºT), Hudson, Camilo e Wellington Bruno (Léo – 25’/2ºT); Mike e Marcelo Macedo (Leandro – 21’/2ºT). Técnico: Wagner Lopes.

PALMEIRAS: Fernando Prass; Wendel, Lúcio, Marcelo Oliveira e William Matheus; França, Eguren, Mendieta (Serginho – 25’/2ºT) e Valdivia; Marquinhos Gabriel (Bruno César – Intervalo) e Miguel (Vinicius – Intervalo). Técnico: Gilson Kleina.

Read Full Post »

BotRPxSEP

Ainda sem saber o que é derrota em 2014, o líder geral do certame vai até Ribeirão Preto encarar o líder do grupo B.

Horário e local: domingo (23/02), as 18:30hrs, no estádio Santa Cruz (Sportv).

Árbitro: será Robério Pereira Pires, cujo retrospecto registra 8 jogos, com 5V/2E/1D:

2013 – 4×1 Guarani (P,c) / 3×3 XV Piracicaba (P,f)

2009 – 2×1 Bragantino (P, c)

2008 – 3×1 S.Caetano (P, c) / 0x1 Noroeste (P, f)

2002 – 3×0 Mogi (Amistoso, f)

2001 – 2×1 Portuguesa Santista (P, f) / 0x0 Vasco (Rio-SP, f)

Situação na tabela: o Palmeiras é o líder do grupo D com 23 pontos, e o Botafogo é o líder do grupo B, com 16.

Desfalques/Reforços: Victorino, Wellington, Leandro e Diogo, lesionados, Wesley e Juninho, com dores, e Kardec, suspenso, ficam de fora. Valdivia retorna à equipe. Bruno César segue aprimorando o preparo físico e a previsão é que possa atuar durante 45 minutos. Bruno Oliveira e Renatinho estão recuperados de lesão e ficam à disposição.

Pendurados: Valdivia, Lúcio, Wellington e França. Próxima partida:  São Bernardo (casa).

Previsão IPE: Prass; Wendel, Lúcio, Tiago Alves e Juninho; França, M.Oliveira, Valdivia e Mazinho; Vinícius e Serginho.

Bola verde IPE: Prass segue isolado na ponta, com média 8,05.

Destaques/Botafogo: o zagueiro César Gaúcho, suspenso, fica de fora. Com 100% de aproveitamento em casa, o “Pantera” deverá ir a campo com Gilvan; Daniel Borges, Caldeira, Lima e Giovanni; Gilmak, Hudson, Camilo e Wellington Bruno; Marcelo Macedo e Mike.

Ex-palmeirenses no Botafogo: o goleiro Gilvan, o meia Felipe e o atacante Afonso (os dois últimos, somente pela base).

Palpite IPE: 2×1, gols de Mendieta e Bruno César.

Último confronto: foi pelo Paulistão 2013, no Pacaembu – 2×0 – gols de Leandro.

Última vitória no local do jogo: foi um chocolate, pelo Paulistão 2012 – 6×2 – gols de Barcos (2), Maikon Leite, Ricardo Bueno (!) e Juninho.

Última derrota no local do jogo: faz tempo! Foi pelo Paulistão 1992 – 0x1 – gol de Bira.

Histórico:  a primeira partida da história entre as equipes foi pela “Taça Competência” em 1928 e terminou em goleada palestrina – 5×0 – gols de Heitor (2), Ministrinho, Perillo e Miguelzinho.

GERAL CAMPEONATO PAULISTA
J V E D GP GC J V E D GP GC
103 61 29 13 199 87 81 49 21 11 153 67

O IPE se lembra: pelo Paulistão 1991 o Palmeiras foi até o Santa Cruz e goleou – 4×1 – gols de Wágner (3) e Edu Marangon.

Read Full Post »

1306072-5157-it2

Adeus, professor.

Faleceu ontem, em São Paulo, aos 81 anos, Mário Travaglini.

Ex-zagueiro, treinador e dirigente, Travaglini dedicou sua vida ao futebol. Começou a carreira aos 16 anos, nos juvenis do Clube Atlético Ypiranga, e fez sua estreia pelos profissionais aos 21. Como jogador, teve passagens também por Palmeiras, Nacional e Ponte Preta. Pendurou as chuteiras cedo, aos 29 anos, tendo disputado 31 partidas com a camisa alviverde entre 1955 e 1958. 

Mas foi como treinador que Travaglini deixou sua marca no futebol. Responsável por introduzir as variações táticas europeias no país e combiná-las ao talento natural dos jogadores brasileiros, Travaglini iniciou a carreira de técnico nos juvenis do Palmeiras, em 1963, e rapidamente assumiu o time principal. Como treinador do escrete palestrino, Travaglini foi comandante da Primeira Academia, conquistando os títulos Paulista de 1966, e a Taça Brasil (cujo vídeo você pode ver aqui) e o Robertão de 1967.

94997

O Divino e o Comandante

Permaneceu no Palmeiras até 1971, quando pegou a ponte aérea e foi treinar o Vasco. No clube carioca, além de ter sido o responsável por revelar Roberto Dinamite, levou a nau vascaína ao título Brasileiro de 1974. Em 1976 foi para o Fluminense, onde foi campeão carioca, permanecendo até o início de 1977. Entre 1978 e 1981, atuou como supervisor da seleção brasileira, auxiliando Coutinho na Copa da Argentina.

De volta da seleção, Travaglini assumiu o Corinthians, onde foi um dos técnicos da Democracia. Responsável por revelar Casagrande, conquistou o título Paulista de 1982 pelo rival. Treinou também o São Paulo, mas sem o mesmo brilho.

Voltou ao Palmeiras em 1984, onde alcançou o quarto lugar no Paulista daquele ano. Chegou a treinar o Vitória, em 1987, e rodou por algumas equipes de São Paulo até encerrar a carreira como treinador, no início da década de 90. Como dirigente, atuou como presidente do sindicato dos treinadores de São Paulo.

Seus feitos como treinador nos fizeram escolhê-lo como maior treinador paulista que tivemos. Reconhecimento justo para este grande profissional que nos comandou durante 175 partidas.

O IPE transmite os sentimentos à família de “seo” Mário, mais uma figura indelével da gloriosa história do Campeão do Século. Obrigado!

94996

Aqui, em sua segunda passagem como técnico

Read Full Post »

Quem será o primeiro craque do centenário?

Disputa acirrada!

Passada mais da metade da primeira fase, é chegada a hora da primeira parcial do Troféu Bola Verde IPE  – Paulistão 2014.

Para o Paulista deste ano, as regras estipuladas foram as seguintes:

  • As partidas da primeira fase têm peso 1, com exceção dos clássicos (SCCP, SPFC e SFC) que têm peso 2. As quartas e semi-final têm peso 2, e a grande final peso 3;
  • Só haverá premiação se a equipe avançar para a fase mata-mata;
  • Aqui, a novidade. Agora, o jogador precisa obrigatoriamente atingir 40% de participação no campeonato, valendo os mesmos pesos que damos para clássicos e jogos de fase final. Queremos evitar que um jogador que “coincidentemente” tenha ficado de fora de todos os clássicos e jogos decisivos (você sabe de quem falamos) leve o troféu. Por isso, pegar o Corinthians tem peso 2, enquanto o Atlético Sorocaba tem peso 1.

Sem mais delongas, segue a classificação até o momento:

Pos.  Jogador  Média
1  Fernando Prass  8,05
2  Alan Kardec  7,64
3  M.Oliveira  7,55
4  Mendieta  6,92
5  M.Gabriel  6,83
6  Lúcio  6,70
7  Wesley  6,65
8  Wellington  6,57
9  Diogo  6,50
10  Wendel  6,35
11  Valdivia  6,29
12  França  6,17
13  Juninho  5,60
14  Leandro  5,25
15  Mazinho  5,20

*Jogadores com menos de 40% de participação não aparecem nesta relação. São os casos, por exemplo, de William Matheus, Felipe Menezes e Serginho.

A próxima parcial será divulgada ao final da primeira fase. O resultado final será divulgado ao final do certame, juntamente como o resultado da “Escolha do Leitor”, baseado em nossas enquetes pós-jogo.

Read Full Post »

Decidindo mais uma vez

Decidindo mais uma vez

Em um jogo onde encontrou muitas dificuldades, o Palmeiras voltou a vencer depois de dois empates e mantem-se invicto no campeonato.

O Ituano, que já havia dado uma canseira no Santos e estava invicto há cinco partidas, veio ao Pacaembu com dez jogadores atrás da bola, apostando no erro do Palmeiras e nos contra ataques. Com Josimar, França e Diogo no lugar de Wesley, Wellington e Leandro, o time ficou um pouco mais pesado e, com deficiências nas laterais, não conseguia furar o bloqueio do galo.

O primeiro chute a gol veio somente aos 11 minutos, com Diogo, e não levou perigo algum. A bola pipocava no meio campo, sem chances de lado a lado. Somente aos 37 surgiu a grande chance de gol do primeiro tempo, e não foi do Palmeiras. Lúcio errou o tempo da bola e Cristian saiu na cara do gol. O ex-meia palestrino encheu o pé, para excelente defesa de Prass. O segundo e último chute a gol do Palmeiras na primeira etapa foi de Mazinho, aos 44, e também não levou muito perigo.

Na volta para o segundo tempo, com Marquinhos Gabriel no lugar de Mazinho, o Palmeiras começou em cima do Ituano. Em 1 minuto a equipe criou mais do que em todo primeiro tempo. Kardec fez bela jogada, mas infelizmente quem saiu na cara do gol foi Juninho, que chutou em cima do goleiro. Na cobrança de escanteio que veio na sequência, a bola sobrou para Lúcio que encheu o pé, mas também em cima do guarda-meta.

O jogo seguiu bastante embolado no meio. O Palmeiras levava algum perigo em jogadas de bola parada, como na cobrança de falta de Lúcio, mas todos os chutes eram em cima do goleiro. Com o aumento da pressão verde, o Ituano encontrava mais espaços para o contra-ataque. Em um deles, Jean Carlo saiu na cara do gol e tentou a cavadinha, para nossa sorte, e Prass defendeu.

Só aos 42 veio o gol. Depois de muito martelar, Kardec aproveitou bola cruzada da esquerda e fuzilou. O primeiro chute a não ir totalmente em cima do goleiro, entrou. Depois do gol, o juiz ainda teve tempo de expulsar Kardec, em um empurra empurra no meio campo.

A equipe agora vai até Ribeirão Preto, onde enfrenta o líder do grupo B, o Botafogo. Gilson Kleina terá que mexer mais uma vez na equipe, já que “o” 14 estará suspenso.

AVALIAÇÕES

– Prass: mais uma dia comum de trabalho para ele. Defesas difíceis e muita segurança – 9

– Wendel: limitado e incapaz de respeitar essas limitações. Não dá – 4

– Lúcio: uma pixotada que poderia ter custado caro no primeiro tempo, e depois foi bem, aparecendo bem no ataque tb – 7

– M.Oliveira: multiuso – 7,5

– Juninho: forma com Mazinho um dos piores lados esquerdos em 100 anos de clube, mas só o Kleina não vê isso – 4

– França: arroz com feijão, e uma pitada de vida loca – 6

– Josimar: lento, errou alguns passes – 5

– Mendieta: mais lúcido do ataque, tentou alguns passes – 7,5

– Mazinho: até quando? – 3

– Diogo: apagado, perdeu boa chance de cavar um lugar na equipe – 6

– Kardec: cai pelas pontas, ajuda na marcação, busca jogo, faz pivô e decide partidas – 9

– Marquinhos Gabriel: ao menos a bola não queima nos pés dele – 6,5

– Bruno César: estreia tímida, precisa de sequência – 6,5

– Eguren: só entrou porque França machucou, porque se depender do Kleina… – 6

MELHORES MOMENTOS

FICHA TÉCNICA

PALMEIRAS 1 X 0 ITUANO

Local: Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data/Horário: 19/2/2014, às 22h
Árbitro: Wilson Luiz Seneme
Auxiliares: Rogério Pablos Zanardo e Gustavo Rodrigues de Oliveira
Cartões amarelos: França (PAL); Josa, Dener e Dick (ITU)
Cartões vermelhos: Dener e Jackson (ITU); Alan Kardec (PAL)
Gol: Alan Kardec, aos 42 minutos do segundo tempo

PALMEIRAS: Fernando Prass; Wendel, Lúcio, Marcelo Oliveira e Juninho; França (Eguren – 34’/2ºT), Josimar (Bruno César – 26’/2ºT), Mazinho (Marquinhos Gabriel – intervalo) e Mendieta; Diogo e Alan Kardec. Técnico: Gilson Kleina

ITUANO: Vagner; Dick, Alemão, Anderson Salles e Dener; Josa, Paulinho (Gercimar – 37’/2ºT), Jackson, Cristian (Jean Carlos – 27’/2ºT) e Esquerdinha; Rafael Silva (Túlio – 42’/2ºT). Técnico: Doriva.

Read Full Post »

Older Posts »