Feeds:
Posts
Comentários

Archive for junho \27\UTC 2014

CBFxCHI

Após uma primeira fase de alguns altos e bastante baixos, o Brasil entra no mata-mata e o Chile, no morre-morre. Afinal, a história mostra que a freguesia vermelha é histórica.

Porém, a história também diz que sempre houve um palmeirense entre os brasileiros campeões. E a palestrinidade sábado estará do outro lado…

Horário e local: sábado, 28/6, às 13:00h no Mineirão

Árbitro: será o inglês Howard Webb. Foi o árbitro na decisão da Copa do Mundo 2010. E naquela edição apitou as oitavas de final também. O jogo? Brasil 3 x 0 Chile. Apitou somente um jogo até agora na Copa brasileira: Colômbia 2 x 1 Costa do Marfim.

Desfalques/Reforços: David Luiz está com incômodo nas costas e pode dar lugar a Dante; Paulinho deve finalmente ir para o banco com Fernandinho tomando seu lugar, e se Hulk der mole Ramires também joga.

Pendurados: Neymar e Luiz Gustavo. Próxima partida: quem passar encara o vencedor de Colômbia x Uruguai

Previsão IPE: Júlio César, Daniel Alves, Thiago Silva, Dante, Marcelo; Luiz Gustavo, Ramires, Fernandinho, Oscar; Fred, Neymar.

Destaques/Chile: apesar da derrota para a Holanda na última partida da fase de grupos, o Chile vem com moral e muito respeitado por Felipão. La Roja tem dúvidas sobre a escalação inicial, pode pintar Valdívia no lugar de Silva. Com o mago em campo iniciando de titular o Chile venceu a Austrália por 3×1, com Silva iniciando entre os 11, venceram a Espanha por 2×0.

Olho nele: O Chile conta com vários jogadores de destaque, mas sem dúvida o principal deles até agora é o avante do Barcelona, Alexis Sánchez.

Ex-brasileiros no Chile: nenhum, entretanto La Roja conta com 3 jogadores que atuam no Brasil: Mena, lateral do Santos, Aranguiz, volante do Internacional e Magya i locura, o craque que o palmeirense não sabe se terá volta depois do mundial.

Palpite IPE: dois a um, Neymar e Oscar

Histórico: Brasil e Chile tem um histórico vasto, já se enfrentaram em Copa do Mundo, Copa América, amistosos e claro, nas eliminatórias de várias copas. Num universo de 68 jogos são 48 vitórias brasileiras contra apenas 7 chilenas, com 13 empates. Vale destacar que o Brasil jamais perdeu para o Chile jogando em terra brasilis.

Em Copas já os enfrentamos em três oportunidades, sendo duas delas coincidentemente nas oitavas de final, inclusive no último mundial:

Brasil 3×0 Chile, 2010

Brasil 4×1 Chile, 1998

Brasil 4×2 Chile, 1962

O Brasil não perde para o chile desde as eliminatórias da Copa do Mundo 2002, em partida realizada no ano 2000 fomos derrotados por 3×0.

O IPE se lembra: O IPE estava presente na partida das eliminatórias para a Copa do Mundo 2006 realizada no antigo Mané Garrincha, ocasião em que o Brasil derrotou o Chile por 5×0, fora o baile. O jogo foi no dia 04/09/2005 e os gols foram marcados por Adriano Imperador (3x), Robinho e Juan.

Read Full Post »

bolava

Todo campeonato que o Palmeiras participa tem o Bola Verde, prêmio que o IPE concede ao melhor atleta ao longo da competição. Para a Copa do Mundo, decidimos fazer igual, e assim apresentamos orgulhosamente o Bola Verde-Amarela, que brevemente deixará a Bola de Ouro no chinelo (não, não falamos do Valdivia) e passará a ser o prêmio mais cobiçado pelos jogadores do Brasil.

Como vai funcionar? Simples: será baseado nas notas que os atletas receberem a cada pós-jogo.

Os jogos da primeira fase (e eventual disputa de terceiro) têm peso 1, o mata-mata terá peso 2 e a final terá peso 3. Além disso, só participam jogadores que atuarem no mínimo quatro vezes e, acima de tudo, só há premiação se o Brasil chegar às quartas; ou seja, passar por La Roja neste sábado.

Então, família Scolari II, esqueça essa taça que até aquele goleiro espanhol levantou e lute por essa. Afinal, é destinada exclusivamente a quem é brasileiro, com muito orgulho, com muito amoooooooooooooooooooooooor…

 

Read Full Post »

O artilheiro Neymar e o sortudo Fred

O artilheiro Neymar e o sortudo Fred

Não foi assim um primor de técnica, tática ou qualquer coisa coletiva. Essa goleada sobre Camarões nasceu e se criou com jogadas individuais e lampejos de duplas. É prudente que Felipão bote o bigode de molho e comece desde já treinar um novo time para a sequência da Copa, que não se deslumbre com uma goleada sobre a seleção eliminada precocemente do nosso grupo. Camarões não é parâmetro para absolutamente nada. Óbvio que marcar 4 e fazer festa desperta motivação, pode ser até em cima da Chapecoense que vale.

A partida começou acelerada, o Brasil estava desesperado para fazer o primeiro e afrouxar o nó da corda no pescoço. Neymar era provocado e está de parabéns por não ter caído, pelo menos não na provocação, pois se tomasse outro amarelo estaria fora da partida das oitavas. Aos 16′ Luiz Gustavo – o mais regular do grupo na Copa – roubou bola e cruzou para o oásis de qualidade no ataque da Seleção completar. Com o 1×0 Camarões foi tomada pelo espírito sacana que só acomete aqueles que nada tem em mente senão a ZOEIRA. Depois de uma pequena blitz na defesa brasileira, o lateral camaronês lutou e cruzou rasteira na área de Júlio César, aparentemente o capitão chorão tirou o pé para evitar o gol contra e possibilitar um gol legitimamente camaronês. Ai o desespero se fez presente. Neymar também. Marcelo passou para o camisa 10 e quando ele puxou para o meio a jogada pareceu perdida, o craque fintou o zagueiro e bateu no contrapé do goleiro. A virada e a artilharia da Copa para Neymar.

Pro segundo tempo Felipão voltou com a alteração mais esperada da Copa até aqui: saiu Paulinho. Mesmo que entrasse um jacaré com a camisa do Brasil o time ganharia em mobilidade. Entrou Fernandinho e em 45 minutos ele fez mais que Paulinho nos últimos 2 jogos e meio. Foi dele o passe para David Luiz cruzar para o gol de Fred, logo aos 3′ do 2ºT. Foi dele também o 4º gol, depois de bela tabela com o próprio Fred, o camisa 5 completou de bico para as redes. Goleada, dever cumprido com o primeiro lugar assegurado, mesmo com a boa vitória do México sobre a Croácia do falastrão Kovac. Houve quem dissesse que SE não fosse o penalti na estréia, SE não fossem os gols anulados do México sobre Camarões e SE a Terra não fosse um planeta habitável, o Brasil teria sido segundo no grupo. Vão enxugar gelo, quanta vontade de aparecer com tantos SE.

Felipão deve efetivar Fernandinho no lugar de Paulinho, conhecemos bem o modus operandi do bigode e ele é teimoso e turrão, mas tem seus limites. Outra alteração desejada mas que dificilmente deve ser realizada é a de Daniel Alves, o cara é inoperante, mas goza de prestígio com o chefe. Seria de bom teor, mas sabemos ser improvável, a substituição do dono da braçadeira, o capitão chorão está descontrolado.

Notas:

Júlio César – fez algumas boas defesas, no gol não dava pra ele – 8

Daniel Alves – inoperante no ataque, inexistente na defesa – 4

Thiago Silva – tirou o pé no gol, faltou confiança – 5

David Luiz – mais uma vez foi um dos melhores em campo, seguro na defesa, coroou a atuação com assistência para o gol do Fred – 9

Marcelo – pra não dizer que não fez nada, deu passe para Neymar fazer o segundo – 6

Luiz Gustavo – um monstro nos desarmes, atento e calmo com a bola no pé, PILAR da seleção – 9

Paulinho – decepcionante, a temporada na Inglaterra fez muito mal para ele, tchau, banco – 4

Oscar – apagado, fez o indispensável para não passar a partida em branco, é pouco – 6

Hulk – insistente, brigou muito no ataque, inclusive com a bola, duas ótimas chances desperdiçadas – 6

Fred – salvo pelo David Luiz, tem que melhorar – 7

Neymar – evitou que Luiz Gustavo fosse o melhor em campo, dois gols, frieza e protagonismo – 10

Fernandinho – jogou só 45 minutos e já é indispensável, grande jogo – 9

Ramires – é o curinga do Felipão, entra em todos os jogos e cumpre seu papel de congestionar o meio e arriscar no ataque – 7

Willian – não mostrou nada demais, ainda assim melhor que Oscar – 7

Melhores momentos:

 

Ficha Técnica

BRASIL 4 x 1 CAMARÕES

Local: Estádio Mané Garrincha, em Brasília (DF)
Data/Horário: 23/6/2014, às 17h
Árbitro: Jonas Eriksson (SUE)
Auxiliares: Mathias Klasenius (SUE) e Svein Oddvar Moen (SUE)
Público: 69.112 pagantes
Cartões amarelos: Enoh, Mbia (CAM)
Cartão vermelho: Não houve

GOLS: Neymar, aos 16’/1ºT (1-0); Matip, aos 25’/1ºT (1-1); Neymar, aos 34’/1ºT (2-1); Fred, aos 3’/2ºT (3-1); Fernandinho, aos 38’/2ºT (4-1)

BRASIL: Julio Cesar; Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz e Marcelo; Luiz Gustavo, Paulinho (Fernandinho – Intervalo) e Oscar; Hulk (Ramires – 18’/2ºT), Neymar (Willian – 25’/2ºT) e Fred. Técnico: Luiz Felipe Scolari.

CAMARÕES: Itandje; Nyom, N’Koulou, Matip e Bedimo; N’Guemo, Mbia e Enoh; Moukandjo (Salli – 12’/2ºT), Choupo-Moting (Makoun – 36’/2ºT) e Aboubakar. Técnico: Volker Finke.

Read Full Post »

 cmrbra

É hora da primeira final! OK, é uma final meia-boca, contra um adversário já eliminado, mas a #CopadaCostaRica já mostrou que não tem partida ganha de véspera. Assim, o Brasil precisa do empate para garantir vaga, mas melhor vencer para ficar mais tranquilo em relação ao primeiro lugar.

De quebra, é dia de estatística importantíssima: a Seleção Brasileira chega à sua centésima partida em Copas do Mundo. Cenário montado para boa vitória.

Horário e local: segunda-feira, 23/6, às 17:00h no Mané Garrincha (Estádio Nacional é o %$#). Brasília já recebeu dois jogos da Copa: Suíça 2×1 Equador e, num confronto Conmebol x CAF, Colômbia 2×1 Costa do Marfim.

Árbitro: será o sueco Jonas Eriksson. Nesta Copa, apitou (bem) Gana 1×2 EUA; fez diversas partidas de Liga dos Campeões na temporada, inclusive uma semifinal (Atlétic0 de Madrid 0x0 Chelsea).

Desfalques/Reforços: Hulk deve voltar, Fred pode sair.

Pendurados: Neymar, Thiago Silva, Luiz Gustavo e Ramires. Vale lembrar que os cartões só são zerados na passagem das quartas para as semis.

Próxima partida: se passarmos de fase, pegamos Chile ou Holanda.

Previsão IPE: Júlio César, Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz, Marcelo; Luiz Gustavo, Paulinho, Oscar; Hulk, Fred, Neymar.

Destaques/Camarões: já eliminados, os camaroneses vêm protagonizando as famosas “cenas lamentáveis”. Expulsão de Song, troca de cabeçadas, fora a greve antes do embarque. O time está se desmanchando, lembrando muito 1994, quando após eliminados na segunda rodada largaram mão de tudo, consagrando Oleg Salenko, autor de cinco gols nos 6 a 1 da despedida.

Olho nele: Não tem jeito, o destaque é a provável despedida de Samuel Eto’o das Copas do Mundo. Com 33 anos e sem garantia alguma de que Camarões se classifique para 2018, o atacante pior que Obina dá adeus aos mundiais.

Ex-brasileiros em Camarões: até onde eu sei, ninguém.

Palpite IPE: 4 a 0, dois de Neymar, Oscar e William.

Histórico: são quatro embates, sendo o primeiro deles o mais famoso, o único por Copas. Segue a lista:

Brasil 3×0 Camarões, 1994 (Copa do Mundo, gols de Romário, Márcio Santos e Bebeto )

Brasil 2×0 Camarões, 1996 (amistoso, gols de Giovanni e Djalminha, seu único pela seleção)

Brasil 2×0 Camarões, 2001 (Copa das Confederações, gols de Carlos Miguel e Washington)

Brasil 0x1 Camarões, 2003 (Copa das Confederações, gols de Eto’o)

O IPE se lembra: vamos falar do único jogo não oficial. Neste amistoso de 1996, jogado em Curitiba, três palmeirenses defenderam a Seleção: Cléber, Leandro Ávila (!) e Djalminha. Além deles, estiveram em campo o ex-palmeirense Zetti e os futuros palestrinos Denílson, Oséas e Renaldo.

Read Full Post »

Não deu pro 'loiro' Neymar

Não deu pro ‘loiro’ Neymar

Se a primeira rodada da fase de grupos foi conhecer seu primeiro 0x0 já em um dos últimos jogos, a segunda começou com o broxante placar logo no abre-alas, o jogo do Brasil. O estádio em Fortaleza estava fervendo, não se pode dizer que era uma torcida como as que conhecemos nos clubes, mas o público presente incentivava o time. O tal hino a capela se fez presente e para falar a verdade, já encheu o saco, nunca vi time chorão vencer nada.

Felipão não pôde contar com Hulk (coincidência ou não o único torcedor do Palmeiras titular, vão vendo!!) e mandou Ramires em seu lugar, mudando um pouco as posições e tentando manter o esquema tático. A proposta do México era uma só: jogar o mínimo possível no ataque e furiosamente na defesa, não era permitido passar nada.

Demorou até que o Brasil criasse alguma coisa mais insinuante, e eu já estava com a classificação do Brasileirão 2014 na mão procurando em que posição na tabela estavam aqueles dois times entediantes. Quando o selecionado canarinho finalmente lembrou que era Copa do Mundo e aquela coisa toda, esbarrou num Ochoa quase tão sortudo quanto inspirado. O goleiro mexicano salvou bela cabeçada de Neymar em cima da linha, literalmente, até o recurso de verificação de gol foi utilizado. Depois foi a vez de Paulinho, o primeiro a mostrar que é preciso alterar o time titular, chutar em cima do goleiro, ainda assim tendo sido uma defesa dificílima. Como se não bastasse, Neymar fuzilou de dentro da pequena área e o até então desconhecido arqueiro barrigou a bola e mandou pra linha de fundo. Tem dias que não tem jeito mesmo…

No finzinho ainda um susto que deve ter feito Felipão maldizer até a décima geração da defesa brasileira, o avante mexicano recebeu em ótima condição e fuzilou, obrigando Julio César a emular Ochoa.

Agora está nas mãos de Felipão, o time se mostrou um tanto quanto incapaz de desatarrachar o ferrolho adversário, dependente ao extremo de alguma jogada individual de Neymar. Na minha modesta opinião Daniel Alves, Paulinho e Fred estão fazendo hora extra no time titular. Nada está perdido, muito pelo contrário, mas a Copa do Mundo não permite que se demore em tomar decisões. Um empate hoje entre Camarões x Croácia garante o Brasil com um simples empate ante os africanos na última partida da fase de grupos.

Notas:

Julio Cesar – bem quando foi exigido, podia rebater para os lados ao invés do meio da área – 7

Daniel Alves – dessa vez a avenida não ficou aberta o tempo todo, mas não fez nada que justificasse sua permanência – 4

David Luiz – certamente um dos melhores em campo, seguro e procurando jogo – 8

Thiago Silva – parecia menos amedrontado, assustou cabeceando para trás – 7

Marcelo – passou despercebido pelo jogo, pena que seu reserva não ofereça nada de bom pro time – 5

Luiz Gustavo – muito bem na proteção, saída eficiente de bola para o ataque – 8

Paulinho – além de perder o gol na cara, atrasou todas as jogadas que passaram pelos seus pés – 4

Ramires – não teve grande destaque individual, mas ajudou a não deixar o México se criar por ali – 6

Oscar – gastou demais a bola no primeiro jogo – 6

Neymar – tentou bastante, aparentemente não tinha almoçado, a fome estava demais – 7

Fred – não ofereceu opção, não buscou o jogo, não jogou – 4

Bernard – precisa de muitos minutos para criar alguma coisa, não tem feito diferença – 5

Willian – entrou muito no final e procurou jogo onde já não tinha mais – 7

Jô – pelo menos não foi tão displicente quanto o titular – 6

Melhores Momentos:

FICHA TÉCNICA:

BRASIL 0 x 0 MÉXICO

Local: Castelão, em Fortaleza (CE)
Data/Horário: 17/6/2014, às 16h
Árbitro: Cuneyt Cakir (TUR)
Assistentes: Bahattin Duran (TUR) e Tarik Ongun (TUR)
Renda e público: não disponíveis
Cartões amarelos: Ramires, Thiago Silva (BRA); Aguilar, Vázquez (MEX)

BRASIL: Julio Cesar, Daniel Alves, Thiago Alves, David Luiz e Marcelo; Luiz Gustavo, Paulinho, Ramires (Bernard – Intervalo) e Oscar (Willian – 38’/2ºT); Neymar e Fred (Jô – 22’/2ºT). Técnico: Luiz Felipe Scolari.

MÉXICO: Ochoa, Rodríguez, Rafa Márquez e Moreno; Aguilar, Vázquez, Herrera (Fabián – 31’/2ºT), Guardado e Layun; Giovani dos Santos (Jiménez – 38’/2ºT) e Peralta (Chicharito Hernández/28’2ºT). Técnico: Miguel Herrera.

Read Full Post »

bramex

A segunda rodada da Copa começa (antes de a primeira acabar) com o Brasil buscando vaga para as oitavas contra um tradicionalíssimo adversário. Os mexicanos vêm sendo uma pedra no sapato, mas em Copas o buraco é mais embaixo. Promesse de jogo interessante hoje!

Horário e local: terça-feira, 17/6, às 16:00h no Castelão (TV Gazeta, com Fernando Solera, Chico Lang e Luís Henrique Gurian. Estranho… será que me passaram uma ficha errada?).

Atenção: vale lembrar que, no único jogo disputado em Fortaleza, o time da Concacaf bateu o da Conmebol por 3 a 1.

Árbitro: será o turco Cüneyt Çakir. Foi o quarto árbitro na decisão da Liga dos Campeões e da Euro 2012 e apitou uma semi da Liga Europa. Última partida internacional oficial: Ucrânia 2×0 França, pela repescagem europeia.

Desfalques/Reforços: Hulk é dúvida, e Ramires pode aparecer.

Pendurados: Neymar e Luiz Gustavo. Próxima partida: Camarões x Brasil.

Previsão IPE: Júlio César, Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz, Marcelo; Luiz Gustavo, Ramires, Paulinho, Oscar; Fred, Neymar.

Destaques/México: vindo de boa estreia, Miguel Herrera não deve mexer sua equipe, que adentra o esmeraldino com Ochoa; Aguilar, Rodriguez, Marquez, Moreno, Layun; Herrera, Vásquez, Guardado; Giovanni dos Santos, Peralta.

Olho nele: O atacante Traquinas é bastante Peralta, ou vice-versa, e destruiu Neymar e o resto da trupe de Mano Menezes na final olímpica de 2012.

Ex-brasileiros no México: o mais próximo é Giovanni dos Santos, porque seu pai nasceu aqui. Mas ele é mexicano mesmo, de cuerpo y alma y RG.

Palpite IPE: dois a um, Neymar e David Luiz

Histórico: Brasil e México tem um histórico muito amplo de confrontos em tudo quanto é competição. Copa do Mundo, Copa América, Ouro, das Confederações, Olimpíada, amistoso, ao gosto do freguês – que historicamente são eles, ainda que nos últimos anos tenhamos nos curvado várias vezes a La Tri.

Em Copas, foram estes os três embates. Percebam que nunca levamos gol:

Brasil 4×0 México, 1950 (também foi o primeiro jogo entre as equipes)

Brasil 5×0 México, 1954

Brasil 2×0 México, 1962

No todo, foram 38 partidas, com 22 vitórias brasileiras, 6 empates e 10 derrotas. Nos últimos dez jogos, porém, foram quatro vitórias nossas, cinco deles e um empate. Isso sem contar os Jogos Olímpicos, que não são disputados pela seleção principal

O IPE se lembra: A Copa das Confederações de 2005 terminou muito bem para o brasileiro, após derrotarmos a Alemanha na semi e golearmos a Argentina na final. Na segunda partida da primeira fase, porém, os mexicanos venceram: 1 a 0. Alerta!

Read Full Post »

Abrindo o caminho do hexa

Abrindo o caminho do hexa

Teve. Teve muita. Teve Copa pra caramba! E como não poderia deixar de ser, nossa Seleção, comandada pelo eterno palestrino Scolari, cumpriu seu papel com todos os ingredientes possíveis. O já tradicional ‘hino a capela’ marcou presença, jogadores emocionados, aquela coisa toda. O fator positivo a se destacar foi a determinação e capacidade de virar o placar – apesar do penalti roubado – deixando de depender exclusivamente de Neymar, a Seleção teve na sua estréia, em nossa opinião, Oscar como o melhor em campo (a FIFA premiou Neymar). O que se viu de pior foi a fragilidade da defesa, especialmente ou excepcionalmente, veremos, a borrada de calção de ~Dani~ Alves.

Aconteceram inúmeros protestos por todo o país, nada no entanto que confirmasse a ‘ameaça’ do #nãovaitercopa. Quando a bola rolou o entulhão Itaquerão estava lotado, as Fan Fests estavam lotadas, os bares, as padarias, tudo estava lotado e a torcida empolgadíssima. A sério? é como deveria ser. Vamos nos concentrar em tentar mudar algo por aqui com o que temos de mais poderoso: o voto. Agora chega disso e vamos falar do que interessa: o jogo.

Aos 10 minutos, bola na rede, jogador brasileiro marcando o primeiro gol da Copa! contra! contra? Marcelo empurrou cruzamento de Olic, originado na Avenida Daniel Alves, contra o patrimônio. Aquela sensação de que seríamos hexacampeões sem o menor esforço desapareceu instantaneamente. Agora o Brasil tinha de remar o dobro para conseguir fazer o que dele se esperava e vencer na estréia. O selecionado Croata mostrava até ali uma defesa arrumada e contra-ataques rápidos. Ficou a cargo de Neymar, depois de Oscar degladiar no meio-campo, a função de redentor. Chute de fora da área, pouca força, desvio leve, trave, gol. O Brasil esperava desde 2007 por esse momento.

Na segunda etapa Felipão esperou por uma melhor atuação de alguns jogadores que estiveram abaixo no primeiro tempo, casos de Paulinho e Hulk, que deram lugar a Hernanes e Bernard respectivamente. Logo depois das substituições apareceu a primeira grande polêmica do mundial: o juiz assinalou penalti em ‘deitada’ de Fred. Muita reclamação – justa por sinal – mas não teve jeito, Neymar na cobrança, bola na mão do goleiro e na rede. A virada veio, ainda que não da maneira mais desejada. A Seleção acabou perdendo um pouco do domínio de bola, mesmo porque a Croácia precisava do empate. E ele quase aconteceu. Júlio César defendeu algumas boas chances da Croácia, tendo inclusive lance de gol em que já havia sido marcada falta sobre o goleiro. Quando o jogo já se encaminhava para um ataque x defesa insano nos acréscimos, Ramires brigou por bola no meio campo e ela sobrou para Oscar, o camisa 11 conduziu até próximo da entrada da área e mandou de bico, surpresa absoluta, inclusive para o goleiro croata. 3×1, conta fechada e dever cumprido na estréia.

Vamos às notas:

Júlio César – não inspira muita confiança, duas rebatidas esquisitas pro meio da área – 7

Dani Alves – pior em campo, deixou uma avenida no lance do gol croata – 4

Tiago Silva – um pouco abaixo de seu companheiro de zaga – 7

David Luiz – jogou sério e garantiu alguma tranquilidade pelo lado esquerdo da defesa – 8

Marcelo – depois do gol contra começou a correr mais, ainda assim, abaixo do esperado – 6

Luiz Gustavo – grande partida, solidez defensiva e bons passes na saída de bola – 8

Paulinho – um bom lance na cara do goleiro e nada mais – 7

Oscar – decisivo, ganhou a bola do gol de empate, fez o passe que originou o penalti e ainda marcou o seu num golaço digno de nota – 10

Hulk – fraco, errou lances simples e não acrescentou nada ao ataque – 5

Neymar – grande estréia, dois gols e muita tranquilidade – 9

Fred – deitou para ganhar um penalti inexistente e mais nada, pouco – 7

Hernanes – quase entregou o ouro em péssima saída de bola – 6

Ramires – roubou a bola do terceiro gol – 8

Bernard – apareceu pouco, não criou nada de especial – 6

Melhores momentos:

FICHA TÉCNICA
BRASIL 3 X 1 CROÁCIA

Local: Arena Corinthians, em São Paulo (SP)
Data/Horário: 12/6/2014,
Árbitro: Yuichi Nishimura (JAP)
Assistentes: Toshiyuki Nagi (JAP) e Toru Sagara (JAP)
Gols: Marcelo, contra, aos 11’/1°T; Neymar, aos 29’/1°T, aos 25’/2°T e Oscar aos 45’/2°T
Cartão amarelo: Neymar (Brasil), Lovren e Corluka (Croácia)

BRASIL: Júlio César; Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz e Marcelo; Luiz Gustavo, Paulinho (Hernanes, aos 15’/2°T) e Oscar; Hulk (Bernard, aos 22’/2°T), Neymar (Ramirese, aos 41’/2°T) Fred. Técnico: Luiz Felipe Scolari.

CROÁCIA: Pletikosa; Srna, Corluka, Lovren e Vrsaljko; Rakitic (Brozovic, aos 17’/2°T) Kovacic e Modric, Perisic; Olic e Jelavic (Rebic, aos 35’/2ºT). Técnico: Niko Kovac.

Read Full Post »

Older Posts »